quarta-feira, 26 de abril de 2017

Diretor de O Silêncio dos Inocentes e Filadélfia, Jonathan Demme morre aos 73 anos


Luto no Cinema. Responsável por introduzir um dos antagonistas mais icônicos da história do Cinema, o frio Hannibal Lecter, o diretor Jonathan Demme faleceu nesta quarta-feira (26), aos 73 anos, vítima de um câncer no esôfago. A informação foi confirmada pela própria família do nova iorquino. Dono de uma filmografia singular, o diretor iniciou a sua carreira nos populares Filmes B, mais precisamente no universo do Exploitation, assinando filmes como as comédias de ação Celas em Chamas (1974) e Loucura de Mamãe (1975). Após o elogiado Nas Ondas do Rádio (1977), Demme entrou no radar das grandes premiações com a comédia dramática Melvin e Howard (1980). Vencedor do Oscar nas categorias Melhor Atriz Coadjuvante (Mary Steenburgen) e Melhor Roteiro, o longa narra a história real de um pacato operário que resolve dar carona a um homem que diz ser o inventor milionário Howard Hughes.

terça-feira, 25 de abril de 2017

Colin Firth está de volta no insano trailer de Kingsman: The Golden Circle


Foi divulgado agora a pouco o excelente primeiro trailer de Kingsman: The Golden Circle. Ao som do clássico "My Way", do icônico Frank Sinatra, a empolgante prévia revela o fim da sede desta importante organização e introduz o excêntrico caubói interpretado por Channing Tatum. Novamente dirigida por Mathew Vaughn (Kick-Ass, X-Men: Primeira Classe), a prévia revela a aptidão do realizador para as cenas de ação e a forte veia cômica da película. Estrelado por Taron Edgerton, Kingsman: The Golden Circle terá ainda um elenco recheado de grande nomes, entre eles Mark Strong, Juliane Moore, Halle Berry e Jeff Bridges. O longa tem previsão de estreia para o dia 22 de setembro no Brasil. Leia a nossa crítica sobre o filme original.

segunda-feira, 24 de abril de 2017

É Apenas o Fim do Mundo

A arte das meias-palavras

Com apenas vinte oito anos, o talentoso Xavier Dolan já é dono de uma significativa filmografia. Uma das novas vozes mais relevantes do Cinema Mundial, o realizador canadense ficou conhecido pela contundência com que transita por questões familiares tão universais, se esquivando das soluções fáceis ao equilibrar intimismo e virtuosismo em obras densas e geralmente pessoais. Como podemos perceber, por exemplo, no seu mais recente trabalho, o intenso É Apenas o Fim do Mundo. Numa obra caótica e propositalmente histérica, Dolan faz um primoroso uso das meias-palavras ao acompanhar o estrago ocasionado por um conturbado reencontro familiar. Com enquadramentos claustrofóbicos, diálogos nervosos e momentos desconfortáveis, o jovem diretor imprime o seu estilo ao extrair a tensão por trás de uma incômoda volta para casa, entregando uma obra expansiva que, assim como os seus personagens, se revela falha e genuinamente humana. 

sábado, 22 de abril de 2017

Do Fundo do Baú (Um Estranho no Ninho)

Um dos três* únicos filmes a levar para a casa as cinco principais estatuetas do Oscar, entre elas a de Melhor Filme e Direção, Um Estranho no Ninho (1975) é um drama com o selo de insanidade do extraordinário Jack Nicholson. Antes de brilhar na pele de um instável pai em O Iluminado (1980), como o icônico Coringa em Batman (1989), como um metódico vizinho em Melhor é Impossível (1997) e como um excêntrico mafioso em Os Infiltrados (2006), este inestimável nome do cinema americano abraça a loucura ao entregar uma das performances mais humanas da sua carreira. Sob a batuta do excelente Milos Forman, do épico musical Amadeus (1984), Nicholson enche a tela de energia ao dar vida a um homem capaz de enxergar toda a crueldade presente numa instituição para doentes mentais. Mais do que um grito de alerta envolvendo a maneira inacreditável com que os pacientes eram tratados na época, Um Estranho no Ninho é um longa sobre companheirismo e igualdade. Um relato comovente potencializado pelas extraordinárias atuações e pela honestidade com que aborda um tema tão delicado. 

sexta-feira, 21 de abril de 2017

The Discovery

Uma instigante premissa desperdiçada num filme raso e sentimentalista

Sem medo de transitar por temas polêmicos, vide as controvérsias em torno das séries 13 Reasons Why e Dear White People, a Netflix tem se arriscado cada vez mais também no formato longa metragem. Após conquistar a atenção do público com o crítico Beasts of No Nation (2015) e entregar um copilado de comédias estúpidas estrelada por Adam Sandler, a empresa tem investido pesado em filmes originais, tem dado voz a novos realizadores, mas o padrão de qualidade ainda parece distante das suas melhores séries e produções documentais. Como podemos perceber, por exemplo, no recém-lançado The Discovery, um Sci-Fi promissor que se perde diante das suas próprias intenções. Mesmo com uma instigante premissa em mãos, o longa dirigido e roteirizado por Charlie McDowell (Complicações do Amor) segue um rumo genérico ao falar sobre a vida após a morte, se esquivando das promissoras questões existenciais ao se render a um romance raso e sentimentalista. 

quarta-feira, 19 de abril de 2017

O Mestre dos Gênios

Um drama de cartilha sobre alguns dos maiores nomes da literatura norte-americana

Com um elenco de fazer inveja a qualquer grande postulante ao Oscar, O Mestre dos Gênios é um drama biográfico convencional que flerta com a genialidade dos retratados ao reproduzir a relevante parceria entre o editor Max Perkins e o escritor Thomas Wolfe. Enquanto se concentra nesta complexa relação de amizade, o longa dirigido pelo estreante Michael Grandage é intimista ao realçar não só o árduo processo de trabalho dos dois, como também ao traduzir a sincera conexão entre eles e ao desvendar as suas respectivas personalidades. No momento em que decide ampliar o alcance da obra, no entanto, o longa não encontra tempo hábil para se aprofundar em algumas promissoras subtramas, subaproveitando a presença de figuras e elementos históricos em prol de uma abordagem mais convencional. Ainda assim, mesmo diante dos inegáveis problemas narrativos, O Mestre dos Gênios se revela uma película importante, principalmente por ressaltar a inquietude e o virtuosismo de um grupo de homens que dedicou a sua vida à literatura moderna.


segunda-feira, 17 de abril de 2017

É Mentira! Os Oito Momentos mais Insanos da Franquia Velozes e Furiosos


Recebido com entusiasmo pelo público, Velozes e Furiosos 8 (leia a nossa crítica) coloca a franquia como o representante mais rentável do lucrativo Cinema de ação. No seu final de semana de estreia, o longa dirigido por F. Gary Gray faturou estrondosos US$ 531,9 milhões nas bilheterias ao redor do mundo, a maior abertura da história recente do Cinema, comprovando que as mudança de tom defendida pelos produtores se tornaram decisivas para a retomada da saga. Na verdade, apesar do carisma dos personagens e da forte identificação criada com o público, a saga ganhou uma nova legião de fãs no momento em que decidiu abraçar o absurdo sem grande pudor, nos brindando com sequências insanas e estupidamente divertidas. Dito isso, nesta matéria especial iremos listar oito dos momentos mais "mentirosos" e positivamente exagerados da franquia Velozes e Furiosos. E olha que não são poucos...

sábado, 15 de abril de 2017

Top 10 (Filmes de Ação Mentirosos)


Neste final de semana chegou aos cinemas Velozes e Furiosos 8 (leia a nossa crítica aqui), o novo capítulo da remodelada franquia estrelada por Vin Diesel. Após três filmes mais voltados para o submundo das corridas clandestinas, a franquia transitou para o cinema de ação a partir do empolgante Velozes e Furiosos 4 (2009). As mudanças, aliás, deram um novo gás para a saga. Flertando mais honestamente com o escapismo, a série ganhou um novo status em Velozes e Furiosos 5: Operação Rio, um estrondoso sucesso de público que ditou o tom dos dois filmes seguintes, o espetaculoso Velozes e Furiosos 6 (2013) e o excelente Velozes e Furiosos 7 (2015). Eis que, impulsionado pelo êxito comercial do último lançamento, chega aos cinemas Velozes e Furiosos 8, uma mistura ainda mais absurdo do que já vinha sendo apresentado nos últimos filmes. Se você achava que uma perseguição envolvendo um tanque já era um exagero, o que esperar de uma produção que trará um submarino para o centro da ação? Assim como o novo filme da saga, inclusive, outros grandes representantes do cinema de ação também já contaram as suas "mentirinhas". Dito isso, neste Top 10 iremos reunir alguns dos mais mentirosos representantes do gênero. Na lista traremos apenas grandes e qualificadas produções que, teoricamente, prezem pela realidade. Desta forma, filmes que façam parte de um universo fantástico e\ou super-heroico não estarão presentes nesta seleção. Sem mais enrolação, começamos com... 

sexta-feira, 14 de abril de 2017

Velozes e Furiosos 8

Quanto mais absurdo melhor

Reconhecida como uma das mais rentáveis e populares franquias de ação da atualidade, a série Velozes e Furiosos soube se reinventar ao longo dos últimos dezessete anos. Inserida inicialmente num cenário bem específico, o marrento submundo das corridas clandestinas, a saga estrelada por Vin Diesel e pelo saudoso Paul Walker se aproximou gradativamente do escapista cinema de ação, (re)iniciando um lucrativo ciclo com Velozes e Furiosos 5: Operação Rio. Embora tenha se mantido fiel à temática base dos primeiros longas, o valor da família dentro deste ambiente moralmente dúbio, a missão passou a ser outra. Os “pegas” foram substituídos pela pancadaria e pelas mirabolantes perseguições. O quanto mais absurdo melhor passou a ditar o rumo da franquia e a transformou num produto atual aos olhos do grande público. Inserido neste contexto, Velozes e Furiosos 8 se revela um continuação à altura dos três últimos títulos da série. Por mais que não tenha o peso, o frescor e a coesão narrativa do seu excelente antecessor, o filme dirigido por F. Gary Gray (Uma Saída de Mestre) empolga ao entregar duas horas de puro entretenimento, nos brindando com alguns dos momentos mais insanos e estupidamente divertidos da saga. O grande trunfo desta sequência, porém, reside na perspicácia do realizador ao aproveitar os “novos” integrantes desta disfuncional "família", principalmente a dupla Jason Statham e Dwayne Johnson, adicionando novas possibilidades a uma fórmula que já apresenta sinais de esgotamento. 

Épico! Confira o primeiro teaser de Star Wars: Os Últimos Jedi


Foi divulgado agora a pouco, durante a Star Wars Celebration, o grandioso primeiro teaser de Star Wars: Episódio VIII - Os Últimos Jedi. Com um forte teor épico, a prévia mostra a reação da Primeira Ordem após os episódios dos últimos filmes e o processo de treinamento de Rey (Daisy Ridley) com Luke Skywalker (Mark Hamill). Embora não revele nada sobre a trama, o material impressiona com sequências em grande escala, culminando na marcante frase "O tempo dos Jedi acabou". Uma sentença poderosa, principalmente quando dita pelo recluso Luke Skywalker. Dirigido e roteirizado por Rian Johnson (Looper), Star Wars: Episódio VIII - Os Últimos Jedi tem previsão de estreia para o dia 15 de Dezembro em solo brasileiro. Confira abaixo o memorável primeiro teaser. 


E aproveitando a realização do Star Wars Celebration, um grande evento para a comemoração do aniversário de quarenta anos da franquia, confira o emocionante tributo em homenagem a saudosa Carrie Fisher, a inesquecível Princesa Leia Organa.

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Reverente ao original, A Bela e a Fera ultrapassa a marca de US$ 1 bi nas bilheterias


Nos últimos dias escrevi uma matéria sobre a crescente onda nostálgica em Hollywood. No artigo lembrei da volta de franquias como Jurassic Park, Star Wars e Star Trek, da refilmagem de títulos como Cinderella e Mogli: O Menino Lobo e do então iminente sucesso da versão 'live action' de A Bela e a Fera. Um triunfo que, diga-se de passagem, se torna cada vez mais expressivo. Segundo o site Box Office Mojo, o longa dirigido por Bill Condon cruzou nesta semana a barreira de US$ 1 bilhão nas bilheterias ao redor do mundo. Com US$ 1,010 bi, a película se tornou o sétimo longa da Disney a ultrapassar esta importante marca comercial. Vivendo a sua melhor fase em muitos anos, o estúdio conseguiu atingir este feito com Star Wars: O Despertar da Força (US$ 2,06 bi), Vingadores: A Era de Ultron (US$ 1,405 bi), Capitão América: Guerra Civil (US$ 1,153 bi), Star Wars: Rogue One (US$ 1,055 bi), Procurando Dory (US$ 1,028 bi) e Zootopia: Essa Cidade é o Bicho (US$ 1,023 bi). Nada mal Disney. E olha que esse ano a companhia ainda lança Guardiões da Galáxia 2, Thor: Ragnarok e o aguardado Star Wars: Os Últimos Jedi. Leia a nossa opinião sobre A Bela e a Fera e também o nosso artigo sobre a protagonista Emma Watson. 

quarta-feira, 12 de abril de 2017

Apostando Tudo

A reabilitação de um perdedor

Nos últimos dias escrevi uma matéria sobre a musa do cinema 'indie' Greta Gerwig, estrela de filmes como Frances Ha, Mistress America e o recente Mulheres do Século XX. Na matéria falei sobre o movimento 'mublecore', uma corrente do cinema independente conhecida pelos seus filmes de baixo orçamento, com muito improviso e atores completamente desconhecidos. Um dos principais nomes deste segmento, o diretor Joe Swanberg encontrou no Netflix a liberdade necessária para dar sequência a sua carreira, conseguindo alcançar um público mais expressivo com a série Easy e agora com a comédia Apostando Tudo. No projeto mais "acessível" da sua filmografia, o realizador norte-americano se mantém fiel ao seu estilo ao entregar ma obra honesta e descompromissada. Embora peque ao explorar a questão do vício em jogos com inadvertida conveniência, o longa envolve ao narrar a desaventurada jornada de um apostador arrependido, encontrando no carismático Jake Johnson a energia necessária para elevar o nível de uma requentada premissa. 

terça-feira, 11 de abril de 2017

O Que Fazemos nas Sombras?

Com humor inteligente e ótimas atuações, longa ri do universo vampiresco

Uma mistura de Isto é Spinal Tap (1984) com Entrevista com Vampiro (1994) e Amantes Eternos (2014), O Que Fazemos nas Sombras subverte o universo vampiresco numa sátira inteligente e recheada de boas ideias. No melhor estilo 'mockumentary', a sátira dirigida pela dupla Taika Waititi e Jemaine Clement (Flight of Concords) foge do lugar comum ao rir de um gênero tão consolidado, extraindo o realismo por trás do absurdo ao acompanhar a rotina de um quarteto de vampiros seculares em pleno século XXI. Com um humor bem particular e uma impagável estética documental, a dupla surpreende ao entregar uma obra recheada de predicados estéticos, vide o extraordinário trabalho da equipe de maquiagem, uma comédia de humor negro que não se deixa limitar pela sua proposta descompromissada. 


segunda-feira, 10 de abril de 2017

Thor "encontra" Hulk no extraordinário teaser de Thor: Ragnarok


Assim fica difícil para concorrência Marvel. Foi divulgado agora a pouco o excepcional primeiro teaser de Thor: Ragnarok, uma das melhores e mais empolgantes prévias já apresentadas dentro do universo Vingadores. Ao som de Led Zeppelin, o trailer não perde tempo ao introduzir a nova condição do asgardiano, a nova ameaça e uma palinha do tão esperado embate entre os dois herói. Com um visual exuberante, humor afiado e um talentoso elenco, Thor: Ragnarok tem previsão de estreia para o dia 2 de Novembro no Brasil. A direção será do criativo Taika Waititi (O que Fazemos nas Sombras?), uma aposta ousada que parece se refletir em cada frame deste fantástico teaser. Assista abaixo. 


sábado, 8 de abril de 2017

Cinemaniac Indica (Uma Repórter em Apuros)

Uma mistura de Bom Dia Vietnã (1987) com Guerra ao Terror (2009), Uma Repórter em Apuros oferece um ponto de vista curioso sobre a função do correspondente de guerra. Indo de encontro aos relatos mais sérios, a comédia dirigida pela dupla John Requa e Glenn Ficarra flerta com o humor satírico ao investigar as desventuras de uma repórter em solo afegão, expondo o lado mais absurdo por trás da rotina destes corajosos profissionais. Embora inserido dentro de um contexto quase inofensivo, o longa envolve ao desvendar o 'modus operandi' dos jornalistas em solo estrangeiro, incluindo os excessos e excentricidades, encontrando na afiada performance de Tina Fey o misto de cinismo e realismo necessário para dar credibilidade a esta irreverente película. 

sexta-feira, 7 de abril de 2017

O Dia do Jornalista e os Grandes Filmes sobre esta Desvalorizada Profissão


Esta é uma data que eu não poderia deixar passar em branco. Neste dia 7 de abril é celebrado no Brasil o Dia do Jornalista, uma profissão na qual sou formado e que sempre me motivou a tocar o barco aqui no Cinemaniac. Numa carreira de muito trabalho, e geralmente pouca remuneração, os jornalistas logicamente viraram grandes personagens dentro da sétima arte, se tornando pivô de alguns dos maiores clássicos do cinema moderno. Neste Dia do Jornalista confira alguns dos filmes indispensáveis sobre os bastidores desta profissão.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...