domingo, 29 de dezembro de 2013

Balanço 2013 (Decepções, surpresas e os filmes mais subestimados do ano)

Mais um ano vai se aproximando de seu final, e assim vai chegando a hora do nosso balanço sobre esse ano de 2013 para o cinema. Em meio a uma profusão de remakes e sequências de pouco destaque, 2013 nos brindou com boas surpresas e pode sim ser considerado um bom ano para a sétima arte. Antes de elegermos os DEZ MELHORES FILME DO ANO, segundo o Cinemaniac, vamos destacar as cinco maiores decepções, surpresas e os filmes mais subestimados de 2013. E para dar início aos trabalhos vamos as maiores decepções deste ano.

- Decepções



"A grande decepção do ano na minha opinião. Após o sucesso de Drive, a minha expectativa era gigantesca para esse novo trabalho da dupla Ryan Gosling e Nicolas Winding Refn. O primeiro trailer se mostrou extremamente promissor, com uma pegada semelhante a apresentada no primeiro longa desta parceria. No entanto, ao assistir ao filme no Festival do Rio fiquei impressionado com o tamanho da besteira que foi feita. Ryan Gosling tem até uma boa atuação, Kristin Scott Thomas também, mas a trama é extremamente enfadonha. Visualmente interessante, o filme se perde em meio a ousadia do diretor dinamarquês, se mostrando um dos grandes desastres do ano. Um filme que se perde através das suas metáforas e da sua tentativa de parecer mais profundo do que é."

2º O Conselheiro do Crime

                               

"Dirigido por Ridley Scott, e com um time de astros do primeiro nível, incluindo ai nomes como Brad Pitt, Javier Bardem, Cameron Diaz, Penelope Cruz e Michael Fassbender, O Conselheiro do Crime é o maior desperdício de talentos desta temporada. Se apoiando também em uma série de metáforas, a boa trama é jogada fora através de diálogos insossos, repletos de falsos simbolismos, e que acabam não dizendo nada. Confesso que, em alguns momentos, parecia que os atores estavam falando outra língua, tamanha era a minha falta de compreensão sobre os diálogos apresentados. Ridley Scott também não pareceu muito inspirado no comando do longa, e alguns personagens beiram o caricatural. Pra se ter uma noção, só a partir da primeira hora de projeção o filme começa a funcionar. Uma pena, porque o desempenho da dupla Fassbender e Brad Pitt é espetacular, e o filme tem sim seus ótimos momentos. Mas nem isso salva o longa de ser uma grande decepção. "

3º Duro de Matar – Um bom dia para Morrer

                               
"No caminho contrário dos grandes astros de ação, Bruce Willis parece ter colocado um ponto final na franquia Duro de Matar com um decepcionante trabalho. Com uma trama fraca, e um personagem que nem de longe lembra o tradicional John McLane, o longa é vazio. Uma série de boas cenas de ação, ligadas por uma fraquíssima trama. Jai Courtney não ajuda muito como o filho de McLane, e só o carisma de Willis não foi o suficiente para sustentar o longa."

4 º Se Beber Não Case 3

                                

"Alguns produtores deveriam parar enquanto estão ganhando. Na verdade, nem de longe Se beber, Não Case 3 foi um fracasso de público, já que faturou mais de 350 milhões de dólares em todo o mundo. Mas em nada, eu disse em nada, o longa lembra o ótimo primeiro filme. É apenas um filme novo, irregular, com o quarteto que protagonizou o primeiro filme. De uma comédia despretensiosa sobre despedida de solteiro, o longa passou a se tornar uma obra quase de ação, aliás de gosto duvidoso, que se perde em meio a tentativa de soar diferente. Não é um filme ruim, mas decepciona, principalmente para aqueles que esperavam um desfecho desta trilogia à altura do primeiro longa.”

5º RIPD
                                       
“Sinceramente, apostei as minhas fichas nesse longa. Apostando no talento de Jeff Bridges e no carisma de Ryan Reinolds, o longa surgiu como uma das promessas desse ano. No entanto, o resultado final é tolo. Uma série de situações mal construídas, ligadas por um fraco roteiro, que acaba não conseguindo se encontrar. Uma pena, porque visualmente o filme tem os seus méritos. Um grande fracasso de público, que acabou rendendo apenas 78 milhões de dólares. Um detalhe: o filme custou 130 milhões.”

- Subestimados

1º O Cavaleiro Solitário

                              

"Um dos maiores fracassos de públicos do ano, O Cavaleiro Solitário é também um dos filmes mais incompreendidos deste ano. Dirigindo por Gore Verbinski, e estrelado por Johnny Depp, o filme realmente é um tanto quanto longo, mas é extremamente divertido. Uma aventura como há muito não se via. Uma bela homenagem à um clássico personagem, incluindo um excelente clímax marcado pela trilha sonora que consagrou a série da década de 1950. A crítica mundo a fora, no entanto, pegou pesado com o longa, o que acabou afastando boa parte do público das salas de projeção."

2 º O Grande Gatsby

                                   

"Um dos melhores trabalhos na carreira de Baz Luhrmann, essa versão moderna de um dos maiores clássicos da literatura norte-americana é de uma beleza impar. Contando com grande elenco, incluindo os ótimos Leonardo DiCaprio, Carey Mulligan, Joel Edgerton e Tobey Maguire, Luhrmann nos brinda com um grande show. Um espetáculo visual empolgante, que não recebeu a merecida atenção por parte do grande público. "

3º O Homem de Aço

                                     

"Confesso que pouco esperava desta nova versão do grande herói da DC. Após o fraquíssimo Superman: O Retorno, dirigido por Bryan Singer, toda a concepção desta nova sequência me pareceu equivocada. A minha única esperança ficava pela presença do diretor Zack Snyder. Felizmente o meu pessimismo não se concretizou, e o novo Homem de Aço não só conseguiu atingir um ótimo desempenho, como abriu a possibilidade de um novo mundo dentro do universo DC. Desde os efeitos visuais fantásticos, até as ótimas atuações de Henry Cavill e Michael Shannon, tudo se mostrou acertado. Um belo trabalho de Snyder, que vai agora partir para uma sequência ainda mais grandiosa. O esperado encontro entre Batman e Superman."

4º O Homem de Ferro 3

                                  

"Filme de maior bilheteria do ano, Homem de Ferro 3 é também uma dos mais subestimados filmes de super-heróis dos últimos tempos. Uma opção, uma única opção envolvendo um célebre personagem, acabou criando um grande frenesi negativo entre os fãs, o que colocou o filme num patamar abaixo do esperado. Uma pena, porque esse terceiro filme é bem melhor que a segunda continuação. "

4º Elysium

                               
"Após o sucesso de Neil Blomkamp em Distrito 9, Elysium ganhou uma grande repercussão em todo o mundo. Para nós brasileiros então, a expectativa era ainda maior, até porque o filme marcou a estreia em hollywood do ator brasileiro Wagner Moura. E o resultado final é sim interessante. Logicamente muito esperavam um novo Distrito 9, o que é bem complicado de acontecer. Mas dentro da estética hollywoodiana, o filme é bem eficiente, apresenta uma ótima crítica, e bons desempenhos de Moura, Matt Damon e de Sharlito Copley."

- Surpresas

1º Um Time Show de Bola

                                  

"Primeira investida em longas de animação do diretor argentino Juan José Campanella, ganhador do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro com O Segredo de Seus Olhos, Um Time Show de Bola encontra no sentimento nostálgico a forma perfeita para destacar a universal paixão pelo futebol. Entretenimento de altíssima qualidade, o longa é um dos melhores trabalhos dentro da animação computadorizada em 2013. Dirigido por um argentino, com jogadores vestindo verde e amarelo, o longa leva para as telonas toda a paixão sul-americana pelo futebol."

2º O Verão da Minha Vida

                                     

"O genérico título brasileiro pode assustar, mas O Verão de Minha Vida não é mais uma daqueles típicos filmes de férias concebidos para reinarem na "sessão da tarde". Dirigido e roteirizado pela dupla Jim Rash e Nat Faxon, vencedores do Oscar com a trama de Os Descendentes, a comédia dramática se apoia em interessantes personagens para debater sobre o processo de amadurecimento dentro da juventude. Contando com Sam Rockwell inspirado, o longa evita se levar muito a sério, cria uma atmosfera original e ao mesmo tempo densa, levando para as telas as inseguranças de um jovem de 14 anos, além das consequências que um casamento equivocado pode proporcionar dentro de uma família."

3º Vovô sem Vergonha

                                      

"Com toques de Borat, Pequena Miss Sunshine e da trupe Jackass, road-movie liderado por Johnny Knoxville é uma das grandes surpresas do ano. Um hilário road-movie que apresenta as aventuras do octogenário vivido por Johnny Knoxville. Explorando câmeras escondidas, e as ótimas reações do público em meio as pegadinhas de Irving, o longa apresenta uma linha narrativa simples, mas interessante, não se resumindo apenas a um emaranhado de esquetes."

4º Rota de Fuga

                                   

"Além de reunir a dupla de astros Sylvester Stallone e Arnold Schwarzenegger, o longa utiliza muito bem as fórmulas que consagraram o gênero, incluindo uma trama eficiente, o humor sarcástico, os tradicionais clichês e o tradicional exagero cenas de ação. Tudo isso com uma direção certeira, de Mikael Hafstrom, e um elenco repleto de caras conhecidas."

5º Wolverine:Imortal

                                 

"Após o fraquíssimo desempenho de X-Men Origem: Wolverine, eu me arrisco a dizer que qualquer trabalho feito em Wolverine: Imortal já teria sido superior ao seu antecessor. Felizmente, os profissionais envolvidos no novo longa do mutante mais famoso da Marvel não quiseram apenas limpar a imagem do personagem. Mas sim, apresentar um novo caminho, uma retomada para a franquia. Para isso, a aposta fica pela busca da verdadeira essência do personagem e num novo rumo para série, que deixa boa parte dos mutantes de lado e viaja para o Japão."

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...