quinta-feira, 27 de abril de 2017

De Fleetwood Mac a Cat Stevens, conheça a eclética trilha sonora de Guardiões da Galáxia Vol. 2


Mais do que um simples complemento narrativo, a eclética trilha sonora já é um dos protagonistas de Guardiões da Galáxia. Escolhidas a dedo pelo virtuoso diretor James Gunn, o empolgante setlist "fala" mais do que os próprios diálogos, embalando as ações dos personagens com energia e um viés pop. Assim como no primeiro longa, aliás, a "Awesome Mix Vol. 2" se tornou um dos inúmeros acertos da continuação, atestando o cuidado do realizador ao entregar uma continuação à altura do original. Conheça então as canções que compõe a marcante trilha sonora de Guardiões da Galáxia Vol. 2 (leia a nossa crítica aqui). 

- The Chain - Fleetwood Mac (1977)


Responsável por embalar o primeiro grande trailer desta continuação, o clássico The Chain (ouça aqui), da banda britânica Fleetwood Mac, se tornou um dos grandes sucessos de importante grupo. Lançada em 1977, a faixa do álbum Rumours foi recebida com entusiasmo pelo público e pela crítica na época do seu lançamento, tanto que quarenta anos depois a canção segue rendendo frutos e embalando filmes do porte de Guardiões da Galáxia Vol. 2. 

- Sweet - Fox on The Run (1974)


Um dos pilares do Glam Rock britânico, a banda Sweet alcançou o Top 10 na Bilboard Hot 100 com o hit Fox on The Run (ouça aqui). Nº 1 na Austrália, na Dinamarca e na Alemanha, a canção do álbum Desolation Boulevard embalou os principais trailers e combinou perfeitamente com a 'vibe' pop da película. Sucesso ao redor do mundo, a canção se manteve em alta nos anos seguintes e até hoje segue marcando presença no Cinema. Nas últimas duas décadas, inclusive, a canção fez parte do setlist de filmes como Jovens, Loucos e Rebeldes, Detroit Rock City, Quando em Roma e Catch. 44. O termo "Fox" (raposa em português), aliás, é uma referência as belas groupies que seguiam o grupo. 

- Aliotta Haynes Jeremiah - Lake Shore Drive (1971)


Uma baladinha country pouco conhecida do grande público, a canção Lake Shore Drive (ouça aqui) popularizou a banda Aliotta Haynes Jeremiah. Lançada em 1971, a música "homenageava" uma famosa estrada a beira de um lado em Chicago. As línguas mais venenosas, entretanto, diziam que a música fazia referência a uma droga bem popular na década de 1970, o LSD. Vide as iniciais do título. Enfim, só mesmo James Gunn para "ressuscitar" esta simpática canção setentista. 

- Electric Light Orchestra - Mr. Blue Sky (1978)


Uma das canções mais memoráveis do grupo ELO, Eletric Light Orchestra, Mr. Blue Sky (ouça aqui) é um daqueles hits que frequentemente marcam presença dentro do universo pop. Sucesso nos EUA e no Reino Unido, a música casou perfeitamente com a 'vibe' otimista da película, revelando o faro apurado de Gunn e a capacidade dele reutilizar uma canção icônica dentro de um contexto tão novo. Na verdade, Mr. Blue Sky já frequentou o setlist de outras importantes produções, entre elas os filmes Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças, O Fada do Dente, Megamente; e as séries CSI, Doctor Who e American Dad!.

- Sam Cooke - Bring It on Home to Me (1962)


Clássico do cantor de Soul Sam Cooke, Bring It on Home to Me (ouça aqui) se tornou um enorme sucesso nos EUA, ocupando a décima terceira posição no concorrido Billboard Hot 100. Infelizmente, Cooke não pode curtir o sucesso da sua carreira. Uma das vozes mais ativas na luta pela igualdade racial nos EUA, o cantor foi morto em 1964, assassinado pela gerente de um hotel. A sua voz, entretanto, seguiu forte e influente. Recentemente, inclusive, a revista Rolling Stones o classificou como o quarto maior cantor de todos os tempos. Bring It on Home to Me, aliás, foi regravada nas vozes de outros importantes grupos, incluindo a memorável versão do grupo The Animals. 

- Glen Campbell - Southern Nights (1977)


Com uma carreira longeva e bem sucedida, o cantor country Glen Campbell se manteve nos holofotes na Música, na TV e também no Cinema. Antes de emplacar o hit Southern Nights (ouça aqui), ele apresentou o programa The Glen Campbell Goodtime Hour entre 1969 e 1972. Já nas telonas, ganhou destaque no clássico Bravura Indômita e fez pequenos papéis em títulos como Punhos de Aço e The Cool Ones. Foi na música, no entanto, que ele conseguiu grande destaque. Com a regravação de Southern Nights, Campbell alcançou o primeiro lugar na Billboard Hot 100 e na Canadian RPM Top Singles. Escrita e interpretada originalmente por Allen Toussaint, a música sobre as memórias de infância do autor chamou a atenção de Glen Campbell, que logo a transformou num hit nos EUA. 

- George Harrison - My Sweet Lord (1970)


De longe a canção mais aclamada da lista, My Sweet Lord (ouça aqui) representou o ápice da carreira solo do ex-Beatles George Harrison. Forte e virtuosa, a canção misturou elementos do rock e da música indiana ao se revelar uma prece ao Deus Hindu Krishna. Recebida com entusiasmo pela crítica, a canção alcançou o primeiro lugar em diversos países, incluindo os EUA, a Austrália, o Canadá, o Reino Unido, a Alemanha, a França e muitos outros. A Revista Roling Stones, aliás, considerou My Sweet Lord como a canção nº 460 na lista com as 500 melhores canções de todos os tempos. Estou bem curioso para ver como James Gunn irá utilizar esta canção em Guardiões da Galáxia Vol. 2. 

- Looking Glass - Brandy (You're Fine Girl) (1972)


A canção mais famosa da banda americana Looking Glass, Brandy (You're Fine Girl) (ouça aqui) catapultou o grupo pop ao estrelato. Lançado em 1972, o hit ocupou o primeiro lugar da Billboard Hot 100 e foi considerada pela revista a décima segunda melhor canção do ano. Assim como muitas das músicas da lista, Brandy já marcou presença em outras importantes produções, entre elas Os Reis de Dogtown, Say Anything..., As Panteras e em Os Simpsons. 

- Jay and The Americans - Come a Little Bit Closer (1964)


Um bem sucedido grupo da década de 1960, Jay and The Americans garantiram gritos histéricos das suas fãs com o hit Come a Little Bit Closer (ouça aqui). O grande sucesso do grupo nos EUA, a canção Come a Little Bit Closer alcançou a terceira posição na Billboard Hot 100 ao contar a história de uma sedutora donzela. Um verdadeiro achado de James Gunn. 

- Silver - Wham Bam Shang-a-Lang (1976)

De longe a canção mais exótica da lista, Wham Bam Shang-a-Lang (ouça aqui) se tornou um dos grandes hits da banda country Silver. O maior sucesso do grupo, a canção ocupou a décima sexta colocação na Billboard Hot 100 e a posição de número 70 entre as melhores canções do ano. O Silver, porém, não se manteve na ativa por muito tempo, já que a banda encerrou as suas atividades pouco tempo depois, mais precisamente no ano de 1978. 

- Cheap Trick - Surrender (1978)


Outro grande representante do bom e velho 'Rock and Roll', a icônica Cheap Trick marcará presença no longa com a fantástica Surrender (ouça aqui). Lançada em 1978, a música se tornou um dos maiores sucessos do grupo e o colocou na tão cobiçada lista da Billboard Hot 100. Recentemente, inclusive, a Rolling Stones colocou Surrender como a canção número 471 na lista das 500 melhores canções de todos os tempos. Curiosamente, Surrender já marcou presença num outro filme ligado ao Universo Marvel. Em 2005, o grupo Simple Plan regravou a música para o filme Quarteto Fantástico. Aqui, porém, James Gunn preferiu a clássica versão original deste hit setentista. Tá ai a diferença. 

- Cat Stevens - Father and Son (1970)


Para sintetizar o clima familiar presente em Guardiões da Galáxia Vol 2., James Gunn comprovou a sua genialidade ao selecionar a clássica Father and Son (ouça aqui), do cantor Cat Stevens, para o setlist. Lançada em 1970, esta fantástica canção fala sobre a relação entre um pai e seu filho, um tema que deve permear o longa, já que na continuação finalmente iremos conhecer o pai do herói Peter Quill. Com uma letra forte e intimista, a canção dialoga com temas bem universais, se tornando um prato cheio para James Gunn. Que música!

- Parliament - FlashLight (1978)


Do rock clássico ao funk americano, a banda Paliament fecha esta seleta lista com o hit FlashLight (ouça aqui). Primeiro sucesso deste importante grupo, a canção inaugurou um moderno segmento musical, o populer P-Funk, um movimento liderado pelo cantor George Clinton. Influenciado por nomes como Jimi Hendrix, Led Zeppelin, James Brown e Frank Zappa, a música deu uma modernizada no velho funk, se tornando referência para diversos outros artistas. A importância do grupo, aliás, foi evidenciada pela Revista Rolling Stones. Enquanto Flash Light foi eleita a canção número 202 na lista das 500 melhores músicas de todos os tempos, o Parliament ficou na 56ª posição entre os 100 maiores artistas da história. Viva a diversidade musical defendida por James Gunn!

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...