quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Cinemaniac Indica (2012)

Muitos podem ter o criticado e sinceramente eu compreendo os motivos. Afinal, com um orçamento de 260 milhões de dólares, o filme peca pela sua fraca trama, pelos clichês absurdos e pelas milhares de coincidências, que só acontecem mesmo em Hollywood. Mas mesmo assim, com todos estes pontos fracos, o filme é diversão garantida, principalmente para aqueles que não exigem do cinema muito mais do que um bom entretenimento.

Dirigido por Rolland Emmerich, consagrado por outros filmes catástrofes como O Dia Depois do Amanha e Independence Day, 2012 tem o mérito de não tentar ser levado à sério. Apesar dos primeiros minutos passarem a impressão que o filme irá seguir a mesma linha dos anteriores, se apoiando em discursos científicos, com o passar do tempo percebemos que isto não é a mais pura verdade. A entrada do personagem de Woody Harrelson na trama e as mais mentirosas e espetaculares cenas de fuga já vista no cinema,  dão a entender que o longa proporcionará "apenas" o fim do mundo mais "divertido" já produzido por Hollywood. Prova disto é a explicação da catástrofe que está por vir, sob a ótica da animação criada pelo personagem de Woody. Simples, irônica e super criativa, meia hora do filme foi resumida em cerca de 1 min. Por falar em tempo, o que poderia ser um problema de 2012, passa rápido. Sabendo equilibrar o andamento da trama as quase 3 horas do filme passam rápido e de maneira suave.

Ao menos se a trama não é muito boa, é bem aproveitada, principalmente com a inclusão de  personagens originais. Claro que um filme deste gênero, tem que ter o heroi (John Cusak), o presidente bonzinho (Denny Glover), a mãe do ano (Amanda Pett), o politico cabeça-dura (Oliver Platt), o super cientista (Chiwetel Ejiofor) e o maluco beleza (Woody Harrelson). Porém, somados a estes perfis já conhecidos, o filme adiciona alguns personagens que fogem aos padrões Hollywoodianos, principalmente pelo fato de serem Russos. Ao adicionar os personagens de Yuri Karpov (Zlatko Buric), seu fiel escudeiro Sasha (Johann Urb) e sua esposa ninfeta (Beatrice Rosen), o filme ganha em possibildades e até por isto foge do óbvio, por mais que pareca improvável, afinal o trailer já resume bem a trama do filme.

Por falar no elenco, para um filme de 260 milhões, as atuações deixam muito a desejar. Contrapondo boas atuações, como as de Oliver Platt, Woody Harrelson (sempre) e John Cusak, à algumas mais fracas, como as de Thandie Newton, Chiwtel Ejiofor e Amanda Pett, o filme perde na qualidade de interpretações. Porém, como este não é o foco de Emmerich,  os incríveis efeitos visuais deixam as atuações em segundo plano.

Aliás, no quesito efeitos visuais, 2012 é até agora o melhor de todos no gênero e também o mais mentiroso. Repleto de cenas sufocantes, de fugas sensacionais, o fim do mundo se tornou algo bem divertido aos olhos do espectador. Sem dar importância ao valor humano, Rolland Emmerich provoca de tudo um pouco na fuga da família Curtis. Ruas, prédios, pontes, tudo aparece na frente da família, que por um milagre, consegue se esquivar. Aliás, a cena da queda do Cristo é bem feita, mas não é tão destacada, como parecia no trailer.

Enfim apesar de todos os problemas e do elevado tempo de duração, 2012 é sim uma boa diversão. Com bastante ação, apoiada na catástrofe prevista pelo calendário Maia, o filme com certeza vai fazer o espectador roer as unhas e se prender nas poltronas do cinema. Em outras palavras, se você for ao cinema de maneira despretensiosa 2012 será um grande entretenimento. Caso contrário, esta não será a melhor das opções.

3 comentários:

Nekas disse...

O filme é, como tu dizes, destinado àqueles que apenas procuram boa diversão...
Uma tremenda desilusão este filme...

Abraço
http://nekascw.blogspot.com/

Ricardo Martins disse...

Disse tudo! Eu não fui no cinema esperando o roteiro do ano, fui para ver destruição de boa grandeza e mega efeitos especiais! Para mim foi válido! Bem dito que quando se ver por esse lado esquece e deixa de lado outros pontos fracos, como atuação!

Eu me segurava na cadeira e suava a mão com os efeitos! Nem vi se passarem as quase 3hs!

2012 é um bom entretenimento e do gênero o mais estrondoso!

E o legal foi ele abordar o planeta: Brasil, Índia, Roma, e mais um montão de referências atuais!

ABraÇo

thicarvalho disse...

Q bom q vcs concordaram comigo. Eu vi mtas criticas negativas sobre o filme, mas não o achei ruim. Pelo contrário é divertido, eficiente e visualmente brilhante. Sem dúvida uma ótima experiência cinematográfica.

Valeu pelas visitas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...