segunda-feira, 7 de julho de 2008

Especial Chaplin

Como alguém que gosta de cinema, sempre quis falar um pouco sobre a história de Charles Chpalin. Confesso a vocês que até um ano e meio atrás, não poderia discutir nem três linhas sobre Chaplin. Só começei a conhcer a fantástica história deste gênio, a partir de três empurrãozinhos. O primeiro foi de uma disciplina na faculdade (Teoria da Imagem e o som) onde muito se falou do desenvolvimento do cinema, e por consequência de Chaplin. Em segundo, graças ao telecine Cult, que neste período passou o especial Chaplin, onde sessões duplas de filmes dele me deixaram muito impactado. Aí, conhecendo um pouco mais sobre filmografia dele, resolvi comprar uma das bibliografias sobre ele. Foi neste momento que me rendi a genialidade dele. E é sobre a vida, suas histórias e principalmente seus filmes, que nós proximos cinco dias eu tenho a (humilde) intenção de comentar com vocês.

Charles Spencer Chaplin, para mim foi o maior gênio da história do cinema. Tudo que ele fez foi genial, seus filmes, suas atitudes, sua postura política e principalmente seu espírito questionador e justo. Seus filmes sempre retrataram a busca pela igualdade, pela justiça. Chaplin, na figura de Carlitos, era o super-herói do povo. Aquele que não tem dinheiro, que não tem superpoderes, que não termina com as lindas mulheres, mas que do seu jeito lutava pelos seus ideais, que representava os anseios de grande parte do povo inglês e mundial. Ele ria para não chorar, ou melhor, fazia rir para superar a tristeza de um período duro para muitas pessoas. Por essas razões, o Cinemaniac resolveu homenagear essa personalidade do cinema: Sir Charlie Chaplin. Durante essa semana cinco filmes desta personalidade serão destacados e o primeiro, que na minha opinião - e de muitos - é o melhor, será Luzes da Cidade.

City Lights, do original, foi lançado no ano de 1931, e demorou cerca de 2 anos e 8 meses para ser completamente finalizado. Este para mim é a melhor produção de Chaplin, porque mistura comédia (muita, diga-se de passagem), romance (que não é meloso como da maioria da época) e a sensibilidade, característica primordial nos filmes de Chaplin. O filme conta mais um dos causos de Carlitos, que por um fortuito é confundido por uma ceguinha (Virginia Cherril, ótima atuação) com um milionário. Carlitos se apaixona pela beleza da moça, e faz de tudo para conseguir arranjar o dinheiro e fazê-la enxergar novamente. E fazer de tudo para Chaplin é mesmo fazer de tudo, assim ele se mete nas situações mais cômicas que você pode pensar, incluindo ai uma luta de boxe. Esta cena, aliás, é uma das mais engraçadas do cinema. Nem a pessoa mais mal humorada, não vai deixar de dar um sorrisinho. Enfim, assistam, riam e se emocionem com essa obra prima de Chaplin.

Confira, nos links abaixo, o restante deste mágico especial sobre a carreira do grande Charles Chaplin.

- Nascimento do astro
- Os amores de Chaplin
- Idealismo e suas consequências
- O reconhecimento e a morte do gênio
- As pérolas de Chaplin

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...