sábado, 15 de abril de 2017

Top 10 (Filmes de Ação Mentirosos)


Neste final de semana chegou aos cinemas Velozes e Furiosos 8 (leia a nossa crítica aqui), o novo capítulo da remodelada franquia estrelada por Vin Diesel. Após três filmes mais voltados para o submundo das corridas clandestinas, a franquia transitou para o cinema de ação a partir do empolgante Velozes e Furiosos 4 (2009). As mudanças, aliás, deram um novo gás para a saga. Flertando mais honestamente com o escapismo, a série ganhou um novo status em Velozes e Furiosos 5: Operação Rio, um estrondoso sucesso de público que ditou o tom dos dois filmes seguintes, o espetaculoso Velozes e Furiosos 6 (2013) e o excelente Velozes e Furiosos 7 (2015). Eis que, impulsionado pelo êxito comercial do último lançamento, chega aos cinemas Velozes e Furiosos 8, uma mistura ainda mais absurdo do que já vinha sendo apresentado nos últimos filmes. Se você achava que uma perseguição envolvendo um tanque já era um exagero, o que esperar de uma produção que trará um submarino para o centro da ação? Assim como o novo filme da saga, inclusive, outros grandes representantes do cinema de ação também já contaram as suas "mentirinhas". Dito isso, neste Top 10 iremos reunir alguns dos mais mentirosos representantes do gênero. Na lista traremos apenas grandes e qualificadas produções que, teoricamente, prezem pela realidade. Desta forma, filmes que façam parte de um universo fantástico e\ou super-heroico não estarão presentes nesta seleção. Sem mais enrolação, começamos com... 

10º O Beijo do Dragão (2001)


Diferente de Bruce Lee, Jackie Chan e Donnie Yen, Jet Li não se faz de rogado ao utilizar os efeitos especiais para compor as suas sequências de ação. O resultado, geralmente, são cenas memoráveis, mas que por diversas vezes testam a nossa suspensão da descrença. Como podemos perceber, por exemplo, no ótimo O Beijo do Dragão (2001). O mais subestimado título desta lista, o longa dirigido por Chris Nahon coloca Li como um homem altruísta que se envolve com a máfia ao salvar uma prostituta em perigo (Bridget Fonda). Com uma série de escapistas sequências de ação, a película exagera ao traduzir a letalidade do protagonista, como na cena em que o herói utiliza uma bola de sinuca para por fim aos seus oponentes. Que mira!

9º Máquina Mortífera 2 (1989)


Longe de ser a mais "mentirosa" das franquias de ação, Máquina Mortífera 2 testou os limites do bom senso ao ampliar o escopo da trama nesta continuação. Na minha opinião o melhor filme da saga, o longa dirigido por Richard Donner superou as expectativas ao explorar com irreverência o melhor do gênero 'buddy cop movie'. Como se não bastasse a sequência da bomba no banheiro e o grandioso clímax, a continuação mereceu entrar nesta lista graças a cena do helicóptero. Nela, após uma calorosa noite de amor, Riggs (Mel Gibson) é surpreendido por um ataque de um grupo de soldados de elite. Além de escapar de uma centena de tiros, ele salva a sua amada, o cachorro e ainda derruba um helicóptero com uma pistola. Nada mal...

8º Missão: Impossível (1996)


Um dos mais rentáveis astros em atividade em Hollywood, Tom Cruise é uma das poucas estrelas do cinema de ação que costuma dispensar os seus dublês. Recentemente, inclusive, nós escrevemos uma matéria sobre as peripécias do ator durante as filmagens de Missão: Impossível - Nação Secreta. No filme, para dar credibilidade a espetacular cena de abertura, Cruise resolveu voar do lado de fora de um avião, uma sequência audaciosa e realmente perigosa. No primeiro Missão: Impossível, porém, nem a entrega física do ator foi capaz de justificar alguns dos momentos mais absurdos do longa. Na pele do espião Ethan Hunt, Tom Cruise desafiou os limites da física em inúmeras cenas, entre elas a exagerada sequência do trem, uma perseguição em altíssima velocidade que só mesmo Hollywood seria capaz de produzir. Merece o oitavo lugar nesta lista.

7º Rambo 3 (1988)


Indo de encontro ao denso primeiro longa, a quadrilogia Rambo solidificou o cinema de ação oitentista ao popularizar os famosos "exércitos de um homem só". Embora não tenha a mesma qualidade dos dois primeiros longas, esta pérola estrelada por Sylvester Stallone elevou o nível do absurdo a enésima potência ao colocar o popular soldado americano contra um exército de terroristas\comunista. Além destruir uma tropa de inimigos, vide a paródia Top Gang 2: A Missão (1993), Rambo deu uma "aula" de primeiros socorros ao usar pólvora e fogo para cicatrizar um ferimento de bala. Uma sequência absurda que, por si só, já seria o bastante para tornar Rambo 3 um dos filmes mais "mentirosos" do Cinema de ação. E ai de quem dizer que isso é um problema.

6º True Lies (1994)


De Sylvester Stallone para Arnold Schwarzenneger, True Lies já traz a mentira no seu próprio nome. Um dos últimos inventivos filmes de ação da década de 1990, o empolgante longa dirigido por James Cameron colocou o popular astro como um espião que resolve esconder da sua família a sua verdadeira profissão. Isso até a sua esposa, a excelente Jamie Lee Curtis, desconfiar que ele esteja a traindo. Numa mistura perfeita de comédia com ação, Cameron abraça o escapismo ao nos brindar com um dos filmes mais divertidos do gênero. Insano ao longo das envolventes duas horas de projeção, True Lies entrega algumas cenas genuinamente mentirosas, entre elas um arriscado resgate numa ponte destruída ou um vertiginoso duelo envolvendo um caça e um helicóptero. Nenhuma delas, porém, supera a hilária sequência do tiroteio quando, por acidente, a assustada esposa põe fim a uma dezena de perigosos terroristas. Uma cena mentirosa, mas absolutamente impagável.

Obs: Embora não tenha nenhuma ligação com a lista, a cena do striptease também é sensacional.

5º Velozes e Furiosos 6 (2013)


Após a destruidora sequência do cofre de Velozes e Furiosos 5, os produtores tiveram que quebrar a cabeça para elevar o nível de absurdo dentro desta remodelada franquia. O resultado, inegavelmente, supriu as expectativas. Em Velozes e Furiosos 6, Justin Lin testou os limites da série ao construir duas das mais sequências mais mentirosas do atual cinema de ação. Na primeira delas, seguindo a lógica da franquia, o realizador empolga ao criar uma perseguição envolvendo um tanque de guerra e um resgate mirabolante, comprovando que as leis da física não se aplicavam aqui. É dentro do clímax, porém, que Lin experimenta o mundo mágico do gênero. Embora excelente, como a maioria das cenas citadas nesta lista, o tão esperado confronto final é recheado de exageros. Na verdade, na ânsia de colocar um avião como o palco da ação, o longa esqueceu que não dá para fazer uma perseguição de quase quinze minutos em uma pista de aeroporto. Por mais que a suspensão da descrença seja um pré-requisito básico dentro do gênero, a falta de cuidado, aqui, chamou a atenção. A revista Empire, inclusive, percebeu o excesso e calculou que, para que a cena fosse viável, a pista deveria ter pelo menos 45 km de extensão. Como critério de comparação, a Ponte Rio-Niterói, por exemplo, tem 13 km de extensão. Já a maior pista de pouso do mundo está localizada na Base Aérea de Edwards, na Califórnia, e possui 12 Km de extensão. Em outras palavras, Justin Lin pecou pelo excesso, mas é preciso dizer que esta quilométrica "mentirinha" não fez mal a ninguém.

4º Velocidade Máxima (1994)


Por falar em mentiras automobilísticas, Velocidade Máxima testou os limites do bom senso ao usar um "imparável" ônibus como o seu palco. Estrelado por Keanu Reeves e Sandra Bullock, o longa dirigido por Jan de Bont mostrou que um "buzão" era capaz de fazer uma série de arriscadíssimas manobras em altíssima velocidade. Além disso, não contente em brincar com os limites da física, vide a cena em que o ônibus "voa" entre duas pontes sem perder velocidade, o realizador não se faz de rogado ao construir sequências fora do veículo, mostrando que os EUA tem o asfalto mais liso do mundo. 

3º Adrenalina (2006)


O limite da mentira, entretanto, chega a um novo nível daqui para frente. Em Adrenalina, Jason Statham explora os limites do corpo humano ao narrar as desventuras de um homem que precisa manter os seus batimentos cardíacos lá em cima para seguir sobrevivendo. Dirigido pela dupla Mark Neveldine e Brian Taylor, o longa abraça o absurdo ao acompanhar as peripécias do "pobre" matador de aluguel, com direito a injeções de adrenalina, uso de drogas, choques e cenas de sexo de péssimo gosto. Nenhuma delas, porém, supera a sequência final, uma cena que mais parece retirada de um desenho animado.

2º O Procurado (2008)


Com Angelina Jolie e James McAvoy, O Procurado inaugurou o tão comentado tiro em curva. Só isso já bastaria para o filme marcar presença nesta lista. Dirigido por Timur Bekmambetov, o longa mostrou um vasto repertório de mentirosas sequências de ação, a maioria delas gabaritadas pela exuberante presença de Jolie e pela capacidade do realizador russo em construir momentos insanos. Como não citar, por exemplo, a cena final da letal personagem interpretada por Jolie, um desfecho insano para um filme totalmente inverossímil.

1º Mandando Bala (2007)


O nosso primeiro lugar, no entanto, não poderia ser de outro filme senão excelente Mandando Bala. Com o versátil Clive Owen na pele de um assassino disposto a salvar a vida de um bebê recém-nascido, o longa dirigido por Michael Davis enfileira absurdos ao levar o segmento "exército de um homem só" para outro nível. Sem tempo a perder, o longa é um copilado de mentirosas sequências de ação, culminando numa cena em que o anti-herói derrota uma dezena de oponentes enquanto faz sexo com a prostituta interpretada pela bela Monica Bellucci. E como se não bastasse isso, no clímax ele consegue dar um tiro usando as suas próprias mãos e uma lareira, o que me fez colocar Mandando Bala como um dos filmes mais mentirosos do grande e popular Cinema de ação.

Menções Honrosas

- Os Mercenários 2 (2012)


Reunindo alguns dos maiores astros do cinema de ação, Os Mercenários 2 reúne uma enxurrada de sequências mirabolantes. Na melhor delas, com a ajuda de um evidente cabo de aço, Schwarzenegger destrói a porta de um microcarro na gigantesca sequência do aeroporto.

- A Outra Face (1997)


Do mestre John Woo (Fervura Máxima), A Outra Face já parte de uma premissa absurda. Ainda que as cirurgias faciais sejam possíveis, o longa estrelado pela dupla Nicolas Cage e John Travolta testa as nossas expectativas ao defender a tese do transplante facial. O problema é que esqueceram que este "procedimento" não deveria mudar, por exemplo, a cor dos olhos, a altura dos envolvidos e nem tão pouco o peso dos mesmos. Ainda assim, é um filme estupidamente divertido, vide o show de ‘over action’ do hoje decadente Nicolas Cage.

- Comando para Matar (1985)


Um "Rambo" com problemas paternos, o militar John Matrix fortaleceu os populares "exércitos de um homem só" no exagerado Comando para Matar. Por mais que Arnold Schwarzenegger tinha na época a estrutura física capaz de nos fazer acreditar nos feitos do seu personagem, o diretor Mark L. Lester pesa a mão ao construir sequências absurdas, mentirosas e por diversas vezes toscas. O mais observador vai perceber uma série de pequenos erros técnicos, daqueles que só elevam o nível de diversão da película.

- 007: Um Novo dia Para Morrer (2002)


Desde a sua origem a franquia 007 sempre prezou pelo escapismo. Em Um Novo Dia para Morrer, porém, o exagero tomou conta. Último filme de Pierce Brosnan na pele do agente James Bond, o longa abusou do CGI ao colocar o ator em variadas situações, com destaque para a sequência em que o protagonista "surfa" num tsunami no melhor estilo kitesurf. Merece uma menção especial.

Mais informações sobre o cinema na nossa página do Facebook e na nossa conta do Twitter

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...