sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Shaun, o Carneiro - O Filme

Adoravelmente lúdico, longa captura a essência das comédias do cinema mudo

O mais novo trabalho do estúdio Aardman, o mesmo dos aclamados A Fuga das Galinhas (2000) e Wallace e Gromit: A Batalha dos Vegetais (2005), Shaun, o Carneiro - O Filme ousa ao dar contornos elaborados a uma singela premissa familiar. Capturando com brilhantismo a essência narrativa do cinema mudo, a adorável animação dirigida por Richard Starzak e Mark Burton abre mão dos diálogos ao privilegiar a expressividade dos seus carismáticos personagens, comprovando ser capaz de comover e arrancar honestas risadas mesmo sem o auxílio das palavras. Fiel à técnica do stop motion, um recurso extremamente artesanal que se tornou a marca desta empresa britânica, o longa se distancia das soluções mais convencionais ao pintar uma aventura descompromissada e naturalmente divertida. Uma despretensiosa pérola da animação, potencializada pelo humor universal, pelo fantástico apuro visual e pela cativante atmosfera lúdica.


Inspirado na popular e homônima série de TV britânica, Shaun, o Carneiro é uma daquelas produções que conquista desde a primeira sequência. Através de um argumento preciosamente simples, atraente tanto para a criançada, como também para os adultos de plantão, o roteiro assinado por Starzak e Burton encanta ao deixar uma sincera e edificante mensagem de união familiar. Na trama, recheada de referências à cultura pop, somos apresentado a Shaun, uma ovelha superinteligente que parece incomodada com a rotina dentro da fazenda. Sob os cuidados de um zeloso fazendeiro, o rebanho dia após dia precisa passar pelas mesmas situações, levantando logo cedo para comer, trabalhar e caminhar pela plantação. Ansioso por um dia de folga, Shaun e o seus amigos resolvem bolar um elaborado plano envolvendo o fazendeiro, dando algumas horas a mais de sono para ele dentro de um trailer abandonado. Acidentalmente, no entanto, o veículo vai parar na cidade grande, sofrendo um acidente que acaba deixando o dono dos animais desmemoriado. Com a ajuda do seu rebanho e do fiel cão pastor Bitzer, Shaun decide descobrir o paradeiro do fazendeiro, encarando os perigos urbanos na desesperada tentativa de reunir a sua "família" e retomar a sua pacata rotina rural.


Apesar da vocação infantil do longa ser evidente, a dupla de realizadores é brilhante ao investir na ousada estrutura narrativa aqui proposta. Numa nítida homenagem a ícones como Charlie Chaplin e Buster Keaton, o bem resolvido roteiro encontra soluções criativas para substituir o recurso da palavra falada, se inspirando nas comédias do cinema mudo ao explorar não só a comunicação gestual e as feições dos seus protagonistas, mas também a eclética e participativa trilha sonora. Valorizando o lado mais exótico desta fábula, a incursão dos animais na cidade grande rende cenas refinadas e genuinamente engraçadas, a maioria delas envolvendo a inusitada "camuflagem" das ovelhas dentro do caótico cenário urbano. A sequência do restaurante, em que os animais fazem de tudo para se integrar aos nossos costumes, é irresistível. Ainda que o equilibrado humor físico seja mais voltado para a criançada, os adultos de plantão também são agraciados pela trama. Com referências à icônicas celebridades, o galo Usain Bolt é hilário, o longa surpreende ao reproduzir de maneira perspicaz clássicas cenas de títulos como Taxi Driver, Cabo do Medo e O Silêncio dos Inocentes. Nada mal para uma animação tão pueril. Esbanjando maturidade, o argumento é igualmente habilidoso ao transitar da aventura para os trechos mais comoventes, tirando um baita proveito da expressividade dos personagens. Contando com o magnífico trabalho da equipe de animação, Shaun, Bitzer e o rebanho de ovelhas "falam" através dos olhos e de pequenos grunhidos, garantindo uma profundidade capaz de superar qualquer palavra vazia.


Recorrente dentro das carismáticas produções da Aardman, o stop motion de Shaun merece um capítulo à parte. Numa época em que a animação digital vem tomando conta do gênero, tornando as produções mais elaboradas e verossímeis, a aclamada empresa segue dominando esta trabalhosa e artesanal técnica, impressionando ao dar sentimentos tão humanos à figuras compostas por massinha de modelar. Procurando valorizar a expressão, a textura e a mobilidade dos protagonistas, a equipe de animadores nos presenteia com um trabalho realmente fantástico, suprindo com extremo bom gosto a ausência da fala. Em meio a cenários lúdicos, contrastantes e incrivelmente detalhistas, personagens como o esperto carneiro, o preocupado cão Bitzer, o fofo pequeno Timmy e o desmemoriado Fazendeiro se revelam absolutamente agradáveis, emocionando e divertindo com extrema naturalidade. Além disso, coadjuvantes como o vilanesco chefe da carrocinha e o cativante cão vira-lata só adicionam ritmo à trama, dando ainda mais substância ao singelo último ato. Promovendo uma adorável e sutil fábula sobre a amizade, Shaun, o Carneiro - O Filme é um entretenimento digno dos principais trabalhos deste criativo estúdio. Com uma inocência cada vez mais rara dentro do gênero, Richard Starzak e Mark Burton criam uma atmosfera inegavelmente fascinante, dando contornos particulares a simpática jornada de um inteligente grupo de animais.


Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...