sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Férias Frustradas e as viagens mais engraçadas do Cinema


Neste final de semana chegou aos cinemas a comédia Férias Frustradas (confira a nossa opinião aqui), continuação do clássico oitentista estrelado pela dupla Chavy Chase e Beverly D'Angelo. Agora sob a batuta da dupla Ed Helms (Se Beber, Não Case) e Christina Applegate (O Roqueiro), o longa acompanha a nova geração da família Griswold e a sua confusa viagem ao famoso parque de diversões Wally World. Aproveitando este clima de nostalgia com o lançamento da refilmagem dirigida pelo jovem John Francis Daley, neste especial do Cinemaniac confira alguns das viagens mais mais hilárias do Cinema. 

- Férias Frustradas (1983)
E começamos claro com o já clássico Férias Frustradas. Dirigido por Harold Ramis e roteirizado por John Hughes, a hilária comédia estrelada por Chavy Chase e Beverly D'Angelo nos conduziu por uma viagem absolutamente impagável. Fazendo de tudo para levar os seus filhos ao popular parque Wally World, o afetuoso e determinado Clark Griswold (Chase) decide promover uma daquelas clássicas viagens em família. Abrindo mão das passagens aéreas, ele se une a esposa Ellen (D'Angelo) e aos filhos Rusty (Anthony Michael Hall) e Audrey (Dana Barron) dando início a um desastrado passeio pelo interior dos EUA. Sucesso nos EUA, onde faturou US$ 61 milhões, o longa conta ainda com as inestimáveis presenças de John Candy (Jamaica abaixo de Zero) e de Randy Quaid (Independence Day). Nunca uma viagem a um parque temático foi tão engraçada. 

- Se Beber, Não Case (2009)
De um clássico oitentista para um estrondoso sucesso recente, Se Beber, Não Case acabou consagrado como uma das mais bem sucedidas comédias da última década. Dirigida por Todd Philips, o longa arrancou risadas ao redor do mundo ao narrar as desventuras de quatro insanos amigos durante uma viagem para Las Vegas. Ainda que esta hilária despedida de solteiro se distancie das fórmulas padrões dos 'road movies', já que se prende a um único lugar, as idas e vindas do quarteto estrelado por Bradley Cooper, Ed Helms, Zach Galifianakis e Justin Bartha merece marcar presença nesta lista. Responsável por duas outras continuações, o primeiro longa conseguiu US$ 467 milhões ao redor do mundo, consagrando não só o trio de atores, mas também o humor do diretor Todd Philips. Nunca tome Ruflin numa despedida de solteiro. 

- Mong e Loide (1995)
Protagonizada pela dupla Chris Farley e David Spade, dois comediantes de sucesso nos anos 90, Mong e Loide garantiu muitas risadas ao juntar tipos completamente diferentes numa divertida viagem. Dirigido por Peter Segal (Como se Fosse a Primeira Vez), o longa acompanha o irresponsável Tommy (Farley), um playboy estúpido que sempre viveu as custas do bondoso pai. Após a inesperada morte dele, no entanto, o jovem precisa assumir a indústria da família, que passa por uma grave crise financeira. Disposto a manter a fábrica em atividade, Tommy se une então ao "certinho" Richard (Spade), um funcionário exemplar que parece ser a última esperança da empresa. Deixando as diferenças de lado, a dupla inicia então uma viagem pelo interior dos EUA, tentando vender o maior número de peças para manter vivo o império construído pelo pai de Tommy. Recheado de hilárias sequências, a relação dos dois protagonistas se revela o verdadeiro trunfo deste longa, que se tornou um dos principais trabalhos da carreira do saudoso Chris Faley. Um velho favorito da Sessão da Tarde. 

- Vovô sem Vergonha (2013)
Contando com a irreverência da trupe Jackass, Vovô sem Vergonha é um 'road movie' que acabou inesperadamente parando no Oscar. Indicado ao prêmio de Melhor Maquiagem, a espirituosa comédia estrelada por Johnny Knoxville levou para as telonas o atrevido idoso Irving Zisman. Na trama, dirigida por Jeff Tremaine, após a morte de sua esposa (Spike Jonze) o oitentão já fazia planos para aproveitar a sua vida de viúvo. Durante o funeral, no entanto, a sua filha surge pedindo para que ele tomasse conta do seu filho (Jackson Nicoll) e que levasse o carismático garoto para o seu ausente pai. Contrariado, Irving inicia então uma viagem ao redor do EUA, se metendo em uma série de problemas graças ao seu estilo beberrão e depravado. Seguindo as fórmulas da popular trupe, este 'road movie' apronta das suas em situações reais, capturadas com brilhantismo pelas câmeras de Termaine. Surpreendentemente divertido. 

- Debi e Loide: Dois Idiotas em Apuros (1994)
Sucesso de público e crítica na década de 1990, Debi e Loide é talvez um dos mais engraçados representantes desta lista. Estrelado pela dupla Jim Carrey e Jeff Daniels, o longa dirigido por Peter Farrelly e Bobby Farrelly se tornou um mega sucesso ao faturar US$ 247 milhões nos cinemas de todo mundo. Na trama, acompanhamos os idiotas Debi e Loide, dois amigos inseparáveis que acabam se unindo para uma grande viagem. Após tomar posse de uma maleta deixada por uma de suas passageiras, Loide (Carrey) decide partir rumo a Aspen para devolver o pertence a ela. Completamente apaixonado, ele se junta a Debi (Daniels) numa impagável jornada pelos EUA, sem saber que seriam seguidos por dois perigosos capangas. Impossível não rir com as bobagens de Carrey e Daniels. 

- Família do Bagulho (2013)
Estrelado pelo quarteto Jason Sudeikis, Jennifer Aniston, Will Pouter e Emma Roberts, Família do Bagulho levou um trupe de desajustados a uma desastrada viagem. Dirigido por Rawson Marshall Thurber, o longa acompanha a jornada do traficante fracassado David (Sudeikis), um bandido de quinta categoria que se vê em apuros quando tem o seu dinheiro roubado. Devendo a um poderoso traficante, vivido também por Ed Helms, ele é obrigado a ir ao México e trazer para os EUA uma enorme remessa de maconha. Precisando de um disfarce, David resolve criar uma família de mentirinha, recrutando uma stripper (Aniston), uma rebelde (Roberts) e um completo imbecil (Pouter) para formar o clã dos Miller's. Com evidentes problemas de relacionamento, os quatro acabam se metendo num grande problema com um traficante mexicano, precisando voltar as pressas para os EUA numa viagem completamente absurda. 

- Tá Todo Mundo Louco (2001)
Vários 'road movies' em um só, Tá Todo Mundo Louco fez sucesso ao nos brindar com uma incessante busca por um prêmio de um milhão de dólares. Dirigido pelo experiente Jerry Zucker, a comédia acompanha o jogo criado pelo milionário Donald Sinclair (John Cleese), um excêntrico dono de cassino que resolve dar uma fortuna ao primeiro hóspede que chegasse a cidade de Silver City. Entre os "escolhidos" estão uma ex-hippie (Whoopi Goldberg), um esperto advogado (Breckin Meyer), uma dupla de atrapalhados irmãos (Seth Green e Vince Vieluf), um pacato italiano (Rowan Atkinson), um enrolado árbitro de futebol americano (Cuba Gooding Jr.) e um pai em férias familiares (Jon Lovitz). Recheado de situações hilárias, a sequência envolvendo neo-nazistas é uma das mais engraçadas que já assisti, Tá todo Mundo Louco brilhou junto ao público, faturando cerca de US$ 85 milhões ao redor do mundo. 

- Nebraska (2014)
Representante do cinema indie, Nebraska se revela um 'road movie' inesperadamente engraçado. Dirigido pelo talentoso Alexander Payne (Os Descendentes), o longa nos apresenta ao senil Woody (Bruce Dern), um inocente senhor, sem grandes perspectivas em sua vida, que acredita ter ganho um milhão de dólares em um prêmio de uma revista. Para conseguir o dinheiro, Woody terá que chegar a cidade de Lincoln, no Nebraska. O prêmio passa a ser uma obsessão para ele, que mesmo com a alta idade decide por diversas vezes chegar à cidade. No entanto, seus sumiços são sempre frustrados por sua esposa Kate (June Squibb) e por seu filho David (Will Forte). Comovido com a busca do pai, David resolve oferecer uma carona a Woody, mesmo sabendo que o "prêmio" não passava de uma propaganda. Adotando uma estética particular, com fotografia em preto e branco e com uma levada bem tranquila, Nebraska arranca honestas risadas, principalmente com a adorável figura materna vivida pela veterana June Squibb. Indicado ao Oscar de Melhor Filme.

- Antes só do que mal Acompanhado (1987)
Outro clássico oitentista, Antes só do que mal Acompanhado reuniu os talentosos comediantes Steve Martin e John Candy num hilário 'road movie'. Dirigido pelo cultuado John Hughes (Clube dos Cinco), o longa narra a viagem de Neal (Martin), um sério publicitário que decide embarcar para Chicago para passar o feriado de Ação de Graças com a família. Durante o voo, ele conhece o intrometido Del Griffith (Candy), um comunicativo e inconveniente passageiro que senta ao seu lado. Incomodado com a situação, Neal se vê em apuros quando o desembarque do avião é transferido para uma pequena cidade do Kansas em função de uma tempestade. Sem ter como chegar a Chicago, Neal e Del acabam resolvendo alugar um carro, inciando assim uma viagem recheada de impagáveis percalços. Estrelado por duas feras do humor e dirigido por um gênio das comédias adolescentes, Antes Só do que Mal Acompanhado foi bem recebido por público e crítica, faturando US$ 49 milhões em todo mundo.

- Borat (2006)
Uns viagem em busca de fortuna. Outros em busca da diversão familiar. Borat, no entanto, viaja ao redor dos EUA em busca da paixão da sua vida: a atriz Pamela Anderson. Com base nesta excêntrica premissa, o ácido Sacha Baron Cohen revirou a cultura norte-americana do avesso com o irreverente Borat: O Melhor Segundo Repórter do Glorioso País Cazaquistão Viaja à América. Explorando o humor nonsense e as situações reais, Cohen impressionou ao evidenciar o lado mais enraizado do americano num inusitado 'road movie'. Recheado de sacadas geniais, a interpretação de Borat para o hino dos EUA é fantástica, o longa acabou indicado ao Oscar de Melhor Roteiro e deu ao protagonista o Globo de Ouro de Melhor Ator em Comédia e\ou Musical.

- Um Parto de Viagem (2010)
Mais um trabalho de Todd Philips na lista, Um Parto de Viagem colocou frente a frente Robert Downey Jr. e Zach Galifianakis num insano 'road movie'. Na trama, recheada de ótimas gags, o "Homem de Ferro" vive Peter, um futuro pai que descobre que a sua esposa está prestes a dar a luz. Disposto a fazer tudo para acompanhar o nascimento do seu primeiro filho, ele aparentemente não teria grandes problemas para chegar a Atlanta. Peter, porém, no contava que ia conhecer o atrapalhado Ethan (Galifianakis), um aspirante a ator que irá destruir os planos do novo papai. Mesmo distante da qualidade de Se Beber, Não Case, Um Parto de Viagem arranca gargalhadas ao aproximar duas figuras completamente opostas.

- Madrugada Muito Louca (2004)
Maconheiros de carteirinha, Harol e Kumar embarcam numa insana viagem em busca de um hambúrguer (????) em Madrugada Muito Louca. Dirigido por Danny Leiner (Cara, Cadê meu Carro?), o longa narra a jornada de dois inesperáveis amigos que, após um dia estressante, resolvem relaxar fumando maconha e assistindo televisão. Durante a exibição da programação, no entanto, eles assistem a propaganda da lanchonete White Castle, partindo numa surtada viagem noturna atrás deste saboroso fast food.

- Pequena Miss Sunshine (2006)
Acompanhando as idas e vindas de uma família completamente disfuncional, Pequena Miss Sunshine nos brinda com um adorável 'road movie'. Dirigido pela dupla Jonathan Dayton e Valerie Faris, o longa narra a jornada da pequena Olive (Abigail Breslin), uma garotinha desajeitada que sonha em participar do concurso de beleza infantil Miss Sunshine. Contando com o apoio do seu politicamente incorreto avô (Alan Arkin), ela consegue convencer o seu atarefado pai (Greg Kinnear) e a sua zelosa mãe (Abigail Breslin) a partirem numa viagem dentro de uma kombi amarela rumo a um bizarro concurso de moda. Recheado de sequências cativantes, a dança final é hilária, Pequena Miss Sunshine encanta e arranca inúmeras risadas ao nos conduzir por uma cativante aventura familiar. Vencedor de dois Oscar, a comédia indie faturou expressivos US$ 100 milhões ao redor do mundo, superando os modestos US$ 8 milhões de orçamento. 

- Sex Drive: Rumo ao Sexo (2008)
Mais um despretensioso besteirol norte-americano, Sex Drive: Rumo ao Sexo garante muitas risadas ao contar a jornada de um jovem em busca da sua primeira experiência sexual. Dirigido por Sean Anders (A Ressaca), este divertido 'road movie' nos apresenta a Ian (Josh Zuckerman), um cara legal que via internet encontra o seu primeiro amor. Vivendo a expectativa de perder a virgindade, Ian se une aos amigos Lance (Clarke Duke) e Felicia (Amanda Crew), partindo numa desastrada viagem ao redor dos EUA. Acima da média em relação as produções do gênero, Sex Drive merece uma vaguinha nesta lista.

- Eurotrip (2004)

Uma das viagens mais engraçadas desta lista, Eurotrip - Passaporte para Confusão mostrou a Europa de uma maneira bem mais irreverente. Dirigido por Jeff Schaffer, este impagável longa acompanha a jornada de Scott (Scott Mechlowicz), um garoto correto que faz uma grande amizade com um alemão em um site de relacionamento. Após uma bebedeira, no entanto, ele começa a acreditar que o seu "amigo europeu" tinha outros interesses, rompendo qualquer ligação após uma inesperada cantada. O que Scott não sabia era que o seu "amigo", na verdade, era uma bela amiga, e que ela estava apaixonada por ele. Disposto a corrigir esta lambança, Scott se une a um trio de amigos e parte para a Europa numa viagem absolutamente engraçada. Recheada de sequências memoráveis, Eurotrip vai bem além dos filmes do gêneros, não podendo ficar de fora de uma lista recheada de hilárias viagens. 

- Meu Melhor Inimigo (1998)
Numa parceria que sempre rendeu grandes comédias, Walter Matthau e Jack Lemmon se reuniram mais uma vez no impagável Meu Melhor Inimigo. Dando vida novamente aos clássicos personagens Oscar e Félix, a dupla dirigida por Howard Deutch arranca inúmeras risadas ao protagonizar uma engraçadíssima viagem rumo ao casamento dos seus filhos. Impossível não rir com as trapalhadas destes dois amigos, numa continuação direta do clássico Um Estranho Casal. Pena que o título brasileiros não valorizou este fato.

- Caindo na Estrada (2000)
Olha o diretor Todd Philips de volta na lista. Num dos seus primeiros grandes trabalhos, Caindo na Estrada é outro surtado 'road movie' em busca da manutenção de um relacionamento. Na trama, estrelada por Tom Green, Breckin Meyer, Seann William Scott e DJ Qualls, um grupo de amigos se une numa acelerada viagem para impedir que uma fita de vídeo comprometedora caia nas mãos da namorada de um deles. Outro besteirol de qualidade.

- Apertem os Cintos... o Piloto Sumiu (1980)

E para o final nada melhor do que uma das grandes comédias já produzidas por Hollywood. Satirizando os filmes de aviação, Apertem os Cintos... o Piloto Sumiu acabou nos apresentando a uma das viagens mais insanas criadas pelo cinema. Dirigida e roteirizada pelo trio Jim AbrahamsDavid e Jerry Zucker, a comédia não perdoa ninguém ao contar a história de um ex-combatente da guerra do Vietnã que durante um voo comercial acaba se tornando a última esperança dos passageiros. Recheado de sequências fantásticas, o piloto automático é impagável, o longa foi eleito pelo American Film Institute uma das dez comédias mais engraçadas da história do cinema. 

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...