quarta-feira, 1 de abril de 2015

Neste Dia 1º de Abril, confira alguns dos mentirosos mais carismáticos do Cinema

Cuidado. Não confie em qualquer notícia divulgada no dia de hoje. Como de costume, neste dia 1º de Abril muitas mentiras acabam se espalhando pelas redes sociais, pregando alguns sustos nos internautas mais desavisados. Como o nosso assunto aqui no Cinemaniac, porém, é o cinema, neste Dia da Mentira confira alguns dos mais carismáticos mentirosos dentro da sétima arte. 

- Pinóquio (Pinóquio 1940)


Acho que quando falamos em mentira, a primeira lembrança dentro da cultura pop é a do clássico Pinóquio. Símbolo dos dilemas morais envolvendo a falta com a verdade, o boneco de madeira que queria se tornar um menino de verdade acabou se tornando um dos grandes ícones deste Dia da Mentira. Sem dúvidas, um dos maiores clássicos da animação.

- Joe e Jerry (Quanto mais quente Melhor 1959)


Seguindo na linha dos filmes carismáticos, Quanto mais Quente Melhor abriu as portas para uma linhagem de mentirosos travestidos que ganhou corpo em filmes como Tootsie (1982), Uma babá quase Perfeita (1993) e As Branquelas (2004). Estrelado por Tony Curtis e Jack Lemmon a comédia narra a história de dois músicos que acidentalmente acabam testemunhando um crime. Obrigados a sumirem, os dois resolvem se travestir e passam a trabalhar numa banda formada só por mulheres. Um clássico dirigido por Billy Wilder e também estrelado pela estonteante Marilyn Monroe. 

- Ferris Bueller (Curtindo a Vida Adoidado 1986)

Símbolo da geração adolescente da década de 1980, Curtindo a vida Adoidado nos apresentou a um dos mais icônicos mentirosos: o malandro Ferris Bueller. Dirigido pelo grande John Hughes, esta comédia mostra o esforço de um aluno para conseguir matar aula e através de pequenas mentiras ter um daqueles dias inesquecíveis. 

- Les Anderson (Sem Licença para Dirigir 1988)




Disposto a tudo para conseguir tirar a sua primeira carteira de motorista, o jovem Les entra numa espiral de mentiras no divertidíssimo Sem Licença para Dirigir. Estrelado pela dupla Corey Haim e Corey Feldman, o longa decide recorrer a este artificio quando é surpreendentemente reprovado na prova teórica. Por sorte, no entanto, ele acaba enganando o sistema e com a carteira em mãos tem um daqueles dias difíceis de esquecer. 

- Harry Tasker e Helen Tasker (True Lies 1994)



Num filme recheado de mentiras, True Lies mostra como um casal pode ser afetado pela ausência de verdade. Dirigido por James Cameron, este bem humorado filme de ação apresenta a jornada de um agente secreto que tenta esconder o seu ofício de sua família. Esta tentativa de proteção, no entanto, acaba frustrando a sua esposa que desconfia da fidelidade do marido. Com um desconfiando do outro, o agente decide pregar uma peça na esposa, mas acaba a colocando em meio a uma perigosa ameaça terrorista. 

- Fletcher Reede (O Mentiroso 1997)



Estrelado pelo 'ás' da comédia Jim Carrey, O Mentiroso arranca enumeras gargalhadas ao fazer piada com a compulsão de mentir. Nos apresentado o mentiroso Fletcher Reede, a comédia dirigida por Tom Shadyac mostra que para um advogado o fato de não poder mentir pode se tornar um enorme problema. Tudo isso porque seu filho, cansado de não ouvir a verdade, desejou em seu aniversário que o pai não mentisse por um dia. 

-  João Grilo (O Auto da Compadecida 1999)


Enquanto alguns mentem para viver, outros mentem para sobreviver. Esse é o caso de João Grilo, um dos mais marcantes personagens da literatura brasileira e que ganhou uma magistral interpretação nas mãos do competente Matheus Nachtergale. Adaptação da clássica obra do saudoso Ariano Suassuna, o longa dirigido por Guel Arraes é brilhante ao capturar a malandragem deste personagem, que se apoia nas pequenas mentiras como solução para os problemas sociais do nosso país. 

-  Frank Abagnale Jr (Prenda-me se For Capaz 2002)


Inspirado numa impressionante história real, Prenda-me se For Capaz mostra a história de um homem que fez da mentira a sua profissão. Contando com a grande atuação de Leonardo DiCaprio, Steven Spielberg mistura comédia e drama ao narrar as trapaças aprontadas Frank Abagnale Jr, um homem que ganhou milhões graças a sua vocação para as mentiras e a trapaça. DiCaprio que recentemente, aliás, também deu vida a um outro grande mentiroso do cinema: Jordan Belfort em O Lobo de Wall Street (2013).

- Alexander (Adeus Lênin - 2003)


Em alguns casos, no entanto, a mentira pode ser utilizada por bons motivos. Em Adeus Lênin, uma adorável 'dramédia' indicado ao Globo de Ouro de Melhor Filme Estrangeiro, Daniel Brühl vive Alex, um jovem engajado que se dedica a luta pela unificação da Alemanha. Sua mãe, por outro lado, era uma socialista tradicional, que acreditava piamente nos dogmas da Alemanha Oriental. Durante um protesto, no entanto, ela presencia o seu filho sendo espancado por um grupo de policiais, o que a leva a um AVC. Em coma durante algum tempo, pra surpresa de Alex sua mãe retoma a consciência pouco tempo depois da unificação do país. Temendo que esta notícia pudesse representar um choque para ela, o jovem decide faze-la acreditar que o socialismo ainda vigora na Alemanha. 

Nick Naylor (Obrigado por Fumar 2005)



Mais um daqueles que faz da mentira a sua profissão, Nick Naylor mostra em Obrigado por Fumar como uma mentira bem contada pode se tornar uma verdade. Numa ácida crítica a industria do tabaco, o longa dirigido por Jason Reitman é extremamente perspicaz ao narrar a jornada de um porta-voz das principais empresas de cigarro e a sua tentativa de livrar o seu produto das mais diversas acusações. Um brilhante relato sobre o perigo por trás da frieza dos números. 

- Mark Whitacre (O Desinformante! 2009)




Contando com uma inspirada atuação de Matt Damon, O Desinformante é uma daquelas despretensiosas comédias que quase passam despercebidas. Mostrando como uma mentira pode se tornar um gigantesca bola de neve, o longa dirigido por Steven Soderbergh empolga ao narrar a história de um mentiroso compulsivo. Na trama, Mark Whitacre é um ganancioso executivo de uma empresa que para dar um voo mais alto em sua carreira decide se tornar um informante do governo. Sem calcular as consequências de suas ações, este homem decide plantar uma série de mentiras, confundindo não só os seus chefes, mas também os próprios agentes. Contando com a habilidade de Damon em construir tipos assim, vide os seus trabalhos em O Talentoso Ripley (1999) e em Os Infiltrados (2006), O Desinformante se mostra uma inusitada comédia de erros. 

- Olive (A Mentira 2010)




E pra fechar esta lista uma comédia bem atual. Em A Mentira, o diretor Will Gluck mostra como uma inocente mentira pode tomar grandes proporções. Estrelado pela carismática Emma Stone, o longa narra a história de uma jovem que decide simular uma noite de amor para livrar o seu amigo gay da perseguição de sua turma. As coisas, no entanto, saem do controle quando outros "deslocados" descobrem o que ela fez e decidem recorrer a esta mentira para ganhar um status social dentro do colégio. Agora com fama de "fácil", Olive então decide escancarar e passa a agir de maneira ousada para chocar de vez o restante da escola. Uma ácida e adorável crítica aos filmes do gênero High-School. 

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...