sábado, 1 de novembro de 2014

Top 10 (Atores que passaram a infância e a juventude sob os holofotes de Hollywood)


Neste final de semana chega aos cinemas o aclamado Boyhood - Da Infância à Adolescência, longa dirigido por Richard Linklater (Antes do Amanhecer) que foi rodado durante doze anos. Acompanhando o crescimento do jovem Mason, que será interpretado pelo estreante Ellar Coltrane, o realizador optou por seguir ano após ano o crescimento deste ator, dando ainda mais veracidade a esta elogiada jornada de amadurecimento. Ellar Coltrane, no entanto, não será o primeiro ator a crescer diante dos holofotes de Hollywood. Muitas das atuais estrelas do cinema começaram a trabalhar ainda jovens, permitindo que os fãs da sétima arte pudessem acompanhar o seu crescimento a cada lançamento. Neste Top 10 Cinemaniac, aproveitando o lançamento deste forte candidato ao Oscar 2015, confira uma lista com atores que passaram a infância e a juventude sob os holofotes de Hollywood.

10º Chloe Moretz (10 de Fevereiro de 1997)


Uma das maiores revelações recentes de Hollywood, Chloe Grace Moretz começou realmente muito cedo em Hollywood. Aos oito anos, a atriz se destacou no papel secundário em o Horror de Amityville (2005). Logo após, a jovem esteve no elenco de Vovó Zona 2 (2006) e 500 Dias com Ela (2009). Em 2010, porém, Chloe Moretz teve o grande papel de sua carreira em Kick Ass - Quebrando Tudo. Acostumada a papéis mais excêntricos, a jovem atriz deu vida a uma assassina mirim. Sem tempo a perder, a jovem continuou estrelando sucessos, incluindo ai A Invenção de Hugo Cabret (2011), Sombras da Noite (2012) e Kick-Ass 2 (2013). Já chegando a maior idade, Chloe Moretz passou a viver personagens mais maduros, com destaque para os recentes Carrie - A Estranha (2013), Se Eu Ficar (2014) e O Protetor (2014). 

9º Dakota Fanning (23 de Fevereiro de 1994) e Elle Fanning (9 de abril de 1998)



Essa, realmente, cresceu sob os holofotes de Hollywood. Após um inicio mais voltado as séries de TV, incluindo participações em CSI (2000) e Plantão Médico (2000), Dakota Fanning estreou em grande estilo no longa Uma Lição de Amor (2001), aos sete anos. Muito elogiada pela atuação, onde dividiu cena com Sean Penn, a jovem atriz seguiu estrelando sucessos como Grande Menina, Pequena Mulher (2003), Chamas da Vingança (2004), O Amigo Oculto (2005) e o mega sucesso Guerra dos Mundos (2005). Chegando a fase mais adolescente de sua carreira, a atriz estrelou ainda o drama A Vida Secreta das Abelhas (2008), A Saga Crepúsculo - Lua Nova (2009), se destacou com o ousado The Runaways (2010) e viveu o dramático Agora e para Sempre (2012).



Irmã mais nova de Dakota, Elle começou ainda mais cedo. Em Uma Lição de Amor (2001), a atriz estreou aos dois anos ao viver a fase mais nova do personagem interpretado por sua irmã. Foi em A Creche do Papai (2005), no entanto, que ela realmente ganhou o seu primeiro personagem nas grandes produções. Ainda sem o mesmo status da irmã, Elle esteve no elenco de Provocação (2004), Babel (2006), Deja Vú (2006), Traídas pelo Destino (2007) e O Curioso Caso de Benjamin Button (2008). Já com uma carreira bem consolidada, cercada de trabalhos mais sóbrios, a atriz ganhou status de protagonista no elogiado drama Um Lugar Qualquer (2010) e no espetacular Sci-Fi teen Super 8 (2011). Após alguns papéis menores em Compramos o Zoológico (2011) e Ginger e Rose (2012), Elle Fanning viria a ganhar status de estrela em Malévola (2014), um dos maiores sucessos deste ano. 

8º Corey Feldman (16 de Julho de 1971) e Corey Haim (23 de Dezembro de 1971 - 10 de Março de 2010)



Uma das principais estrelas adolescente da década de 1980, Corey Feldman se tornou um dos símbolos desta geração. Iniciando a carreira com um pequeno papel aos oito anos, no filme Um Século em 43 Minutos (1979), o ator começou a realmente se destacar no cinema em 1984. Após participações em séries de TV, incluindo ai o famoso Clube do Mickey, Feldman conseguiu maior destaque em Sexta-Feira 13 (Parte 5) e no cultuado Gremlins. Seu primeiro grande personagem, porém, apareceu no clássico Os Goonies (1985). Após o estrondoso sucesso deste longa, que faturou US$ 61 milhões nos EUA, Feldman viria a brilhar ao lado do saudoso River Phoenix em Conta Comigo (1986), drama juvenil baseado no conto de Stephen King. Emendando um sucesso atrás do outro, o ator estrelou num curto prazo de tempo os sucesso Os Garotos Perdido (1987), Sem Licença Para Dirigir (1988) e Um Sonho Diferente (1989). Nesse meio tempo, porém, Corey Feldman passou por uma série de problemas. Em sua autobiografia intitulada Coreyography, o ator revelou que era explorado pelos pais e que a sua problemática criação o levou ao caminho das drogas. De estrela dos seus próprios longas, Corey passou a ter somente papéis menores e não conseguiu recuperar na fase adulta o status de estrela conseguido durante a sua infância e adolescência.


Grande parceiro de Corey Feldman, o saudoso Corey Haim seguiu um caminho bastante semelhante. Com um grande papel no seu primeiro longa, o drama Quando se Perde a Ilusão (1984), o ator de então doze anos iniciava assim uma jornada meteória na década de 1980. Já como protagonista, ele esteve a frente de longas como A Inocência do Primeiro Amor (1986) e o já citado clássico Os Garotos Perdido (1987). Iniciando ai a sua parceria com Feldman, os dois estrelariam longas como Sem Licença para Dirigir (1988), Um Sonho Diferente (1989) e Envolvidos com o Perigo (1993)Apesar de seguir tendo destaque em outros trabalhos, como em Rollerboys (1990), Haim começou a também perder espaço na fase adulta. Passando por problemas com as drogas, o ator deu sequência em sua carreira, mas nunca voltou a ter mesmo status da fase adolescente. Após notórios problemas com o álcool e as drogas, que chegaram a afasta-lo da carreira de ator por cinco anos, Corey Haim faleceu aos 38 anos, vítima de complicações resultadas de uma pneumonia. Então abalado, Feldman publicou na época uma emocionada carta lembrando da falta que o amigo iria fazer. Dois anos antes, aliás, os dois atuaram pela última vez juntos em Garotos Perdidos - A Tribo (2008).

7º Daniel Radcliffe (23 de Julho de 1989) e Emma Watson (15 de Abril de 1990)


Esses dois, aliás, passaram por uma experiência muito semelhante a do jovem Ellar Coltrane. A diferença é que enquanto a estrela de Boyhood cresceu ao longo de um mesmo filme, Daniel Radcliffe e Emma Watson foram da infância à adolescência ao longo dos oito filmes da franquia Harry Potter. Estreando com um papel de importância em O Alfaiate do Panamá (2001), o jovem ator inglês viu a sua vida mudar ao ser escolhido para protagonizar a franquia Harry Potter. Responsável por dá vida a um dos bruxos mais conhecidos da cultura pop, Daniel Radcliffe se dedicou por dez anos ao desenvolvimento da franquia. Após o início em A Pedra Filosofal (2001), o ator emendou em sequência os sucessos A Câmara Secreta (2002), o mais sóbrio O Prisioneiro de Azkaban (2004), O Cálice de Fogo (2005), A Ordem da Fênix (2007), O Enigma do Príncipe (2009), e as Relíquias da Morte Parte 1 (2010) e Parte 2 (2011). Em meio as especulações sobre o futuro do ator após o término desta franquia, Daniel Radcliffe mostrou que poderia fazer sucesso longe do universo concebido pela escritora J.K Rowling. Além de sua dedicação ao teatro, o ator estrelou o suspense A Mulher de Preto (2012), o drama Versos de um Crime (2013) e a comédia Será Que ? (2013).


Fiel escudeira de Harry Potter, Hermione Granger deu à Emma Watson a chance de brilhar. Estreando em Harry Potter e a Pedra Filosofal (2001), a atriz fez o mesmo caminho de Daniel Radcliffe, incluindo ai  O Cálice de Fogo (2005) e as Relíquias da Morte Parte 1 (2010) e Parte 2 (2011). Com o término da franquia, no entanto, a jovem atriz seguiu uma já celebrada carreira em Hollywood. Sem perder muito tempo, enquanto Radcliffe se dedicou aos longas mais independentes, Watson brilhou em grandes produções. Logo após o término de Harry Potter, a atriz teve papel de destaque no elogiado As Vantagens de Ser Invisível (2012), na adaptação do best-seller Bling Ring: A Gangue de Hollywood (2013) e no épico bíblico Noé (2014).

6º Elijah Wood (28 de Janeiro de 1981)



Iniciando sua jornada como ator aos oito anos, numa ponta em De Volta para o Futuro 2 (1989), Elijah Wood ganhou o seu primeiro papel de destaque em Avalon (1990). Elogiado por seu desempenho, o ator viu o seu trabalho crescer através de longas como Paraíso (1991), Eternamente Jovem (1992), O Anjo Malvado (1993), A Árvore dos Sonhos (1994), Flipper (1996) e Tempestade de Gelo (1997). O ano de 1998, porém, permitiu que Elijah Wood estrelasse um grande blockbuster, o filme catástrofe Impacto Profundo. Este, aliás, seria a porta de entrada do ator para uma das maiores franquias de todos os tempos. Superando uma centenas de candidatos, ele foi escolhido para dar vida ao Frodo Bolseiro na trilogia Senhor dos Anéis (2001). Rodando os três longas simultaneamente, durante 14 meses entre 1999 e 2000, o diretor Peter Jackson permitiu que o ator se tornasse um dos símbolos desta franquia baseada na obra de J.R.R Tolkien. O estrondoso sucesso do épico, inclusive, só deu mais status a carreira de Elijah Wood, que já na fase adulta seguiu fazendo sucesso com longas como Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças (2004), Hooligans (2005) e Enigmas de um Crime (2008).

5º Natalie Portman (9 de Junho de 1981)



Essa já começou a carreira com dois grandes sucessos. Entre doze e treze anos, Natalie Portman impressionou os críticos ao estrelar o cultuado O Profissional (1994). Vivendo uma espécie de Lolita, a jovem mostrou uma latente química com Jean Reno, construindo uma criança que começa a desenvolver um amor platônico por um assassino profissional que a salvou. Já no ano seguinte, mesmo sem ter o mesmo protagonismo, Portman teve uma grande personagem em Fogo contra Fogo (1995), onde não se intimidou ao contracenar com Al Pacino. Com bons desempenhos, a atriz emendou uma sequência de trabalhos num curto prazo de tempo. Num mesmo ano, Natalie participou de três produções importantes, o drama Brincando de Seduzir (1996), a comédia-romântica Todos Dizem eu te Amo (1996) e a sátira Marte-Ataca (1996). Após este ano espetacular, aliás, Natalie Portman viria a sua vida mudar ao ser convidada para estrelar a segunda trilogia Star Wars. Aos 18 anos, a jovem entrava no caminho dos blockbusters ao viver a Princesa Amidala em A Ameaça Fantasma (1999). A partir daí, além de brilhar em Ataque dos Clones (2002) e  A Vingança dos Sith (2005), a atriz construiu uma carreira de respeito em sua fase adulta, com destaque para os seus desempenhos em Closer (2004), onde recebeu a primeira indicação ao Oscar, V de Vingança (2005), A Outra (2008), Cisne Negro (2010), longa que lhe rendeu o Oscar de Melhor Atriz, e Thor (2011).

4º Scarlett Johansson (22 de Novembro 1984)



Uma das atrizes mais bem sucedidas da atualidade, Scarlett Johansson começou a atuar ainda jovem. Com nove para dez anos, a jovem iniciou a sua carreira com um papel pequeno em O Anjo da Guarda (1994). Um ano depois, porém, Scarlett conseguiu maior destaque como a filha de Sean Connery em Justa Causa (1995). Com papeis de maior protagonismo, a atriz recebeu uma indicação ao Spirit Awards por Meninas de Ninguém (1996), e continuou crescendo através de longas como Lado a Lado com o Amor (1996) e Esqueceram de Mim 3 (1997). Seu primeiro papel de verdadeiro impacto, no entanto, viria com O Encantador de Cavalos (1998), onde dividiu a tela com Robert Redford. Já com uma carreira considerada ascendente, Scarlett elevaria o seu patamar com o drama independente Ghost World - Aprendendo a Viver (2001). Com uma jornada construída através de filmes de menor investimento, a atriz se tornaria realmente reconhecida aos 19 anos, com o celebrado Encontros e Desencontros (2003). Dirigida por Sofia Coppola, Scarlett Johansson iniciou ai o caminho rumo ao estrelato, se tornando em seguida uma das musas de Woody Allen em Match Point (2005), Scoop (2006) e Vicky Cristina Barcelona (2008) e heroína do cinema de ação em Homem de Ferro 2 (2010), Os Vingadores (2012), Capitão América 2 (2014) e Lucy (2014).

3º Drew Barrymore (22 de Fevereiro de 1975)



Trazendo o talento no DNA, a neta do ator Lionel Barrymore (A Felicidade Não se Compra) é uma das atrizes que nos acostumamos a ver desde cedo. Sempre precoce, aos cinco anos elá já conseguia o seu primeiro papel em Viagens Alucinante (1980), aos nove já fumava e bebia, e aos treze já usava drogas. Antes disso, no entanto, seu primeiro personagem de maior expressão veio em E.T (1982), longa dirigido por seu padrinho Steven Spielberg. Considerada uma das principais atrizes mirins da época, a jovem brilhou nas adaptações das obras Chamas da Vingança (1984) e Olhos de Gato (1985) de Stephen King. Em meio aos problemas com as drogas, que a levou a uma tentativa de suicídio aos 14 anos, a atriz passou a se dedicar aos filmes para TV e só voltaria aos cinemas em Bem Longe de Casa (1989). Buscando afastar a imagem infantil, ela resolveu apostar em papeis mais maduros na adolescência, com destaque para Relação Indecente (1992) e Guncrazy (1992), que lhe rendeu uma indicação ao Globo de Ouro. Entre papeis coadjuvantes mais importantes, como em Batman - Eternamente (1995), e filmes que não agradaram ao público, como Quatro Mulheres e um Destino (1994), Barrymore teria a ideia de sua carreira quando, aos vinte anos, fundou a sua própria produtora em 1995. Afinal de contas, apesar de ter recuperado o fôlego em Afinados no Amor (1998) e Todos Dizem Eu Te Amo (1996), foi através da Flower Filmes que, já na fase adulta e recuperada, ela lançou seus principais sucessos, incluindo As Panteras (2000), Como se Fosse a Primeira Vez (2004) e Letra e Música (2007). 

2º Kirsten Dunst (30 de Abril de 1982)



Com uma das carreiras mais bem construídas de Hollywood, Kirsten Dunst é um daqueles nomes que teve uma impecável transição da juventude para a fase adulta. Estreando no cinema aos sete anos, sob a batuta de Woody Allen, num pequeno papel em Contos de Nova Iorque (1989), a atriz impressionou a crítica e o público aos 12 anos, com o seu desempenho em Entrevista com Vampiro (1994). Apesar da sua aparência angelical, cultivada até os dias de hoje, a jovem surpreendeu ao dar vida a uma sanguinária vampira mirim, recebendo uma indicação ao Globo de Ouro. Voltando aos papéis mais convencionais, Kirsten se promoveu nos longas Jumanji (1995) e Pequenos Guerreiros (1998). Tentando se distanciar dos papéis mais infantis, a atriz voltaria a ganhar destaque no elogiado drama As Virgens Suicidas (1999). De volta aos papéis mais teen's, Kirsten Dunst emplacou Todas as Garotas do Presidente (1999), As Apimentadas (2000) e O Miado do Gato (2001). Quando a sua carreira parecia que ia perder força, ela foi escolhida para dar vida a Mary Jane em Homem Aranha (2002). Papel que não só marcou a sua transição para a fase mais adulta, como abriu espaço para os elogiados Homem-Aranha 2 (2004), Wimbledon (2004), Tudo Acontece em Elizabethtown (2004), Maria Antonieta (2006) e os recentes Entre Segredos e Mentiras (2010) e Melancolia (2011). Tudo isso, aos 32 anos. 

1º Jodie Foster (19 de Novembro de 1962)



Vencedora de dois Oscar por Acusados (1989) e O Silêncio dos Inocentes (1992), Jodie Foster estreou aos dez anos com Napoleão e Samantha (1972). Impulsionada por este sucesso, ela estrelou ainda uma das versões de Tom Sawyer (1973), o drama de Martin Scorsese Alice Não Mora Mais Aqui (1974) e Ecos de um Verão (1976). Nesse mesmo ano, aliás, Foster ganharia um dos seus principais papéis em Taxy Driver (1976). Sob a batuta de Scorsese, ela impressionou o mundo ao viver uma prostituta de 13 anos, papel que lhe rendeu uma indicação ao Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante. Reconhecida por público e crítica, Foster seguiu se destacando em Bugsy Malone (1976), Gatinhas (1980) e O Circo da Morte (1980), estes dois últimos marcando a transição para a fase mais adulta da atriz. Após este longa, inclusive, ela passou pelo pior momento de sua carreira quando o presidente Ronald Reagan, em 1981, foi baleado durante um atentado. Na prisão, o atirador John Hinckley Jr. revelou que foi motivado por uma obsessão doentia por Jodie Foster e pelo filme Taxy Driver. A atriz, obviamente, ficou muito abalada com o fato de ter sido perseguida por este homem, e deu uma freada em sua carreira. O impacto desta situação, no entanto, não atrapalhou a sua fase adulta, que ficou marcada por trabalhos não só como atriz, incluindo ai Nell (1994) Anna e o Rei (1999) e O Quarto do Pânico (2002),  como também na direção, com destaque para Mentes que Brilham (1991) e Um Novo Despertar (2011). 

Fora da Lista

- Shirley Temple (23 de Abril de 1928 - 10 de Fevereiro de 2014)


Esse é um caso que não poderia estar nesta lista. Uma das primeiras grandes estrelas do cinema infantil, Shirley Temple é um daqueles exemplos em que o ator não consegue repetir na fase adulta o sucesso que teve enquanto criança. Temple, no entanto, foi muito mais do que uma estrela de Hollywood. Na verdade, ao longo de quase duas décadas de atuação incessante, a carismática jovem se tornou um símbolo dos EUA. Com apenas três anos, Shirley teve a sua estreia numa série de curtas-metragens Baby Burlesks, onde parodiava grandes estrelas de Hollywood. Em meio a Grande Depressão de 1929, a atriz levou alegria aos cinemas através de uma série de curtas e longas como Alegria de Viver (1934), Olhos Encantadores (1934), A Queridinha da Família (1994), A Pequena Orfã (1935) e A Pequena Rebelde (1935). O sucesso de Shirley era tanto que além de salvar da falência o estúdio FOX, em 1932, ela recebeu aos seis anos um "Baby Oscar" pelo conjunto da obra, e foi citada publicamente pelo presidente norte-americano Franklin D. Roosevelt. Em um comunicado oficial, ele a agradeceu a atriz por "ajudar a América a atravessar a Grande Depressão com apenas um sorriso".


Seguindo a sua trajetória de sucesso, com até quatro lançamentos por ano, Temple seguiria brilhando em Pobre Menina Rica (1936), Heidi (1937), o clássico A Princesinha (1939) e O Pássaro Azul (1940). Já na transição para a fase adolescente, o seu ritmo deu uma grande diminuída. Ainda assim, ela seguiu estrelando muitos trabalhos, incluindo Miss Annie Ronnie (1942), Desde que Partiste (1944), Solteirão Cobiçado (1947), Sangue de Heróis (1948), Têmpera de Vencedora (1949) e A Kiss for Corliss (1949). Estes dois, aliás, foram os últimos longa-metragens lançados por Temple, que aos 21 anos iria se afastar dos cinemas com 43 longas e 14 curtas. Após se dedicar a política, se tornando inclusive diplomata, Shirley Temple seguiu ativa até falecer no dia 10 de Fevereiro de 2014, aos 85 anos, de causas naturais.

Menções Honrosas

- Kristen Stewart (9 de Abril de 1990)




Estreando em Hollywood aos 11 anos, Kristen Stewart emplacou uma série de sucessos em sua juventude, incluindo ai O Quarto do Pânico (2002), Speak (2004), Zathura (2005), Eu e as Mulheres (2007), Na Natureza Selvagem (2007), o fenômeno da saga Crepúsculo (2008) e os independentes The Runaways (2010) e Na Estrada (2012).

- Lindsay Lohan (2 de Julho de 1986)




Lindsay é mais uma das crianças prodígios de Hollywood que não resistiram a fama na adolescência. Entre séries e filmes de sucesso, a atriz degringolou nos últimos anos, se perdeu entre clínicas de reabilitações, e tenta aos poucos recuperar a sua carreira. Estrelando nos cinemas aos 12 anos em Operação Cupido (1998), Lindsey se destacou ainda em Sexta-Feira Muito Louca (2003), Meninas Malvadas (2004), Herbie - Meu Fusca Turbinado (2005) e Sorte no Amor (2006)

- Joseph Gordon-Levitt (17 de Fevereiro de 1981)


Empurrado pelo sucesso na série Dark Shadows (1991), aos onze anos Joseph Gordon-Levitt teve o seu primeiro papel de nos cinemas em Nada é Para Sempre (1992). Entre séries de TV e cinema, o ator construiu uma carreira respeitável na juventude através dos longas Os Anjos Entram em Campo (1994), A Jurada (1996), Halloween H20 (1998) e 10 Coisas que Odeio em Você (1999). Recentemente, aliás, o ator estrelou os sucessos A Origem (2010), Looper (2012) e Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge (2012). 

- Macaulay Culkin (26 de Agosto de 1990)



Confesso que este nome entrou ao 45 min do segundo tempo. Por mais que Macaulay Culkin seja um dos maiores atores mirins do cinema, a carreira dele foi abreviada aos 15 anos após uma série de problemas pessoais. Nesse meio tempo, no entanto, este "fenômeno" estrelou longas como O Rochedo de Gilbratar (1988), Quem Vê Cara não Vê coração (1989), Esqueceram de Mim (1990), Meu Primeiro Amor (1991), Esqueceram de Mim 2 (1992), Anjo Malvado (1993), Pagemaster (1994) e Riquinho (1994).

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...