terça-feira, 12 de agosto de 2014

Top 10 (Robin Williams)


É com muita tristeza que escrevo hoje essa matéria especial em homenagem a Robin Williams, que faleceu nesta segunda-feira (11) vítima de uma asfixia. Confesso que o ator, um dos grandes realizadores da década de 1990, foi um dos responsáveis por me apresentar ao fantástico e encantador mundo do Cinema. Assim como Stallone, Schwarzenegger, Jim Carrey e os clássicos personagens da Disney, Williams entra para a minha seleta lista de ídolos da juventude, daqueles que sempre me levavam aos cinemas ou as locadoras. Como bem disse o presidente Barack Obama, via nota oficial, "Robin Williams era um radialista, um médico, um gênio, uma babá, um presidente, um professor, um Peter Pan e tudo mais. Mas ele era único." Para celebrar o trabalho deste grande ator, não vou aqui ter a pretensão de listar os dez melhores, ou os de mais importantes filmes de Robin Williams. Na verdade, neste Top 10 Cinemaniac, vou destacar os meus filmes preferidos na carreira deste inesquecível ator. E começamos com...

10º O Som do Coração (2008)


Interpretando um personagem extremamente dúbio, Robin Williams teve no drama musical O Som do Coração uma de suas últimas grandes atuações. Contracenando com o jovem Freddie Highmore, Williams interpreta um explorador de órfãos.  Em troca do dinheiro conseguido através de pequenas apresentações musicais nas ruas, ele oferecia abrigo e segurança para os jovens. Tudo muda quando ele conhece August (Highmore), um musico prodígio que pode representar a grande mudança da sua vida. O que ele não sabia era que o destino fosse conspirar contra os seus planos. Um ótimo longa, marcado pelas grandes atuações e pela impecável trilha sonora. 

9º Jack (1996) e Jumanji (1995)

Tudo bem, eu sei que é um Top 10, mas nesse caso vou abrir um precedente para dois clássicos da Sesão da Tarde. Trabalhando com o diretor Francis Ford Coppola (O Poderoso Chefão), Robin Williams tem uma das suas mais marcantes atuações em Jack. Dando vida a um jovem que sofre de uma doença que acelera o seu envelhecimento, Williams mostra toda a sua habilidade ao equilibrar comédia e drama em um mesmo personagem. O que mais impressiona, no entanto, é a veracidade que o ator passa ao interpretar um adolescente em um corpo de adulto.


Já em Jumanji, talvez o filme mais divertido da carreira do ator, Williams é um garoto que acaba preso em um jogo de tabuleiro. O tempo passa e anos mais tarde, quando dois jovens decidem reiniciar o jogo, o agora homem volta a sua realidade para tentar colocar fim a sua prisão. Dirigido por Joe Johnston (Capitão América - O Primeiro Vingador), Jumanji é um espetáculo visual aprimorado pelo grande desempenho de Williams. 

8º Popeye (1980)


Talvez o primeiro grande trabalho da carreira de Williams, Popeye representou o estopim de uma carreira grandiosa em Hollywood. Dirigido pelo cultuado Robert Altman (Assassinato em Gosford Park), e contracenando com a expressiva Shelley Duvall (O Iluminado), o ator deu vida ao clássico personagem das histórias dos quadrinhos de Elzie Segar. Apostando na manutenção do clima envolvendo o personagem, com direito a um belo trabalho de direção de arte e a grande atuação de Williams, Popeye é um filme que merece ser redescoberto. 

7º O Homem Bicentenário (1999)


Numa de suas mais carismáticas atuações, Robin Williams dá vida a um robô que quer virar humano em O Homem Bicentenário. Dirigido por Chris Columbus (Esqueceram de Mim), esse drama com toques de comédia nos apresenta a emocionante jornada de Andrew (Williams), um robô mordomo que realizava pequenas tarefas domésticas. Aos poucos, apesar da sua programação, Andrew começa a introduzir traços da personalidade humana, como inteligência, raciocínio e o seu próprio modo de pensar. Disposto a se tornar humano, Andrew inicia assim uma jornada através do tempo para conseguir realizar o seu sonho. Contando com as ótimas atuações Oliver Platt (2012), Sam Neill (Jurassic Park) e Embeth Davidtz (Matilda), O Homem Bicentenário merece estar em qualquer lista quando o assunto é Robin Williams. 

6º Aladdin (1992)


Com grande carreira também como dublador, Robin Williams interpretou um dos seus melhores personagens no longa da Disney Alladin. Dando voz ao inesquecível gênio da lâmpada na dublagem original, o ator pode mostrar todo o seu talento oriundo do Stand-Up Comedy. Fazendo piadas, imitações e até cantando, Williams transformou o personagem num dos pontos altos de uma das maiores animações de todos os tempos. No longa, após se descoberto por Aladdin, o gênio sai de sua lâmpada mágica oferecendo três desejos. Disposto a ajudar o seu amo a conquistar a princesa Jasmine, ele entra na mira do cruel e ganancioso Jafar, conselheiro particular do Sultão. Ainda que a dublagem brasileira seja realmente espetacular, esse é um longa animado que merece ser assistido no idioma original. 

5º Tempo de Despertar (1990) e O Pescador de Ilusões (1991) 


Inspirado na devotada história real do médico Oliver Sacks, Tempo de Despertar revelou a faceta mais dramática de Robin Williams. Na pele de um neurologista disposto a encontrar uma cura para um surto de  encefalite letárgica, o saudoso ator emocionou ao entregar uma performance dócil e comedida, nos fazendo enxergar a dedicação por trás deste ousado tratamento. Sob a sensível batuta da diretora Penny Marshall (Quero ser Grande), o longa é cuidadoso ao reproduzir o 'modus operandi' do médico e o reflexo do procedimento na rotina dos catatônicos pacientes. Embora peque pelo exagero aqui ou ali, a realizadora conta também com a magnífica performance de Robert De Niro, impecável ao absorver o misto de esperança, angústia e desilusão de um dos adoentados. Num trabalho extremamente físico, o astro de Poderoso Chefão: Parte 2 brilha ao traduzir a desordem física e os problemas de coordenação motora do seu personagem, um trabalho intenso e meticuloso merecidamente honrado com uma indicação ao Oscar de Melhor Ator. Uma verdadeira ode ao avanço científico e a determinação de um médico, Tempo de Despertar deixa também uma poderosa mensagem em prol da vida. Um drama agridoce capaz de realçar o fator humano, vide os ótimos coadjuvantes, por trás deste tocante relato inspirado em fatos. 


Indicado ao Oscar por seu desempenho no longa, O Pescador de Ilusões marca um dos grandes pontos altos da carreira de Robin Williams. Dirigido novamente por Terry Gilliam, que já havia trabalhado com ele em As Aventuras do Barão de Münchausen (1988), Williams dá vida a um mendigo que acaba tendo uma nova chance na vida quando encontra aquele que o levou a essa situação. Contando com as grandes atuações de Jeff Bridges (Tron) e da ganhadora do Oscar Mercedes Ruehl (Quero ser Grande), na pele de um radialista que se torna pivô de uma grande tragédia, Gilliam e Williams nos apresentam uma tocante jornada que só a vida poderia nos proporcionar. 

4º Uma Babá Quase Perfeita (1993)


Talvez o maior fenômeno comercial da carreira de Robin Williams, Uma Babá Quase Perfeita está no imaginário de dez entre dez fãs de cinema nascidos na década de 1980. Com um orçamento de pouco mais de US$ 24 milhões, o longa faturou mais de US$ 441 milhões na época, números expressivos para o gênero. Primeiro longa na parceria com Chris Columbus, Williams interpreta o inesquecível Daniel Hillard, um homem que passa pelo pior momento de sua vida. Desempregado e recém separado, Hillard acaba perdendo a guarde de seus filhos para sua ex-esposa (Sally Field). Disposto a tudo para passar mais tempo com as crianças, Hillard acaba se vestindo como uma velha irlandesa para tentar conseguir uma vaga como babá na casa de sua ex-esposa. Sem dúvidas, um dos trabalhos mais memoráveis da carreira do ator. 

3º Gênio Indomável (1997)


Se Uma Babá Quase Perfeita foi o grande ponto alto no aspecto comercial da carreira de Robin Williams, o ator chegou realmente ao auge em 1997, com o envolvente drama Gênio Indomável. Vencedor do Oscar como Melhor Ator Coadjuvante, Williams impressiona por seu sensível desempenho como um psicólogo marcado por uma série de tragédias familiares. Dirigido por Gus Van Sant, o longa narra a história de um jovem gênio da matemática, grande atuação de Matt Damon, que parece não querer aproveitar o seu dom. Após sofrer na infância, o jovem órfão se mostra extremamente arredio quando o assunto é a sua vida profissional e parece só ver olhos para os amigos e as pequenas confusões. Tudo muda, no entanto, quando ele é descoberto por um professor de Havard (Stellan Skarsgård). Percebendo que o jovem precisava de cuidados especiais, o professor chama um ex-colega seu (Williams) para tentar encontrar um rumo para a vida do jovem. Um belíssimo drama marcado por marcantes personagens, com destaque também para as atuações de Ben Affleck e Minnie Driver, e para o expressivo argumento assinado por Damon e Affleck. 

2º Bom Dia Vietnã (1987)


Se um filme pode definir Robin Williams, esse é Bom dia Vietnã. Demonstrando toda a habilidade do ator em brincar com temas sérios, o longa dirigido por Barry Levinson é preciso ao construir uma bem humorada crítica ao desnecessário conflito contra os vietnamitas. Na trama, Williams vive Cronauer, um excêntrico militar que acaba deslocado para Saigon para assumir o comando de uma rádio operada pelo governo norte-americano. Lá, apesar da resistência de alguns militares, ele acaba revolucionando todo o funcionamento da rádio, apostando em músicas antes censuradas, nas piadas e no tradicional bordão "Bom Dia Vietnã!. O bom humor de Cronauer, no entanto, passa a ficar abalado quando ele passa a perceber que a guerra está mais próxima dele do que esperava. Além da grande atuação de Williams, que foi indicado a Oscar por seu desempenho, vale ressaltar também a belíssima cena ao som de "What a Wonderful World".

1º Sociedade dos Poetas Mortos (1990)


Uma aula de cinema em um só filme, Sociedade dos Poetas Mortos é aquele tipo de trabalho indispensável para os fãs da sétima arte. Dirigido pelo sempre elogiado Peter Weir, o longa é muito mais do que um simples drama. É uma grande mensagem sobre o rumo que damos as nossas vidas. Contando com um Robin Williams inspirador, a trama narra a história de um professor disposto a dar uma verdadeira lição de vida para seus alunos. Em meio ao conservadorismo de sua instituição, ele ensina para os seus alunos sobre a Sociedade dos Poetas Mortos, um velho grupo de estudantes que se reuniam para aproveitar o que de melhor a vida podia oferecer. Entusiasmados com as lições do professor, os alunos acabam entrando em rota de colisão com os ortodoxos diretores. Repleto de citações a grandes clássicos da literatura, e de grandes atuações, Sociedade dos Poetas Mortos simboliza muito bem o que foi a carreira de Robin Williams. Um filme definitivo. 

Menções Honrosas

- Insônia (2002)

Sempre versátil, Williams tem grande desempenho nesse suspense dirigido por Christopher Nolan e estrelado por Al Pacino. Um filme instigante e sufocante. 

- Amor Além da Vida (1998)


Visualmente impactante, em Amor Além da Vida Robin Williams dá vida a um marido apaixonado que não encontra limites para salvar a sua esposa.

- Patch Adams - O Amor é Contagioso (1998)


Dentro do estilo que o consagrou, numa sutil mistura de comédia e drama, Robin Williams vive um médico com estilo pouco ortodoxo no emocionante Patch Adams. Baseado numa tocante história real.

- Gaiola das Loucas (1996)


Um remake que ganhou uma versão ainda melhor nas mãos de Robin Williams e Nathan Lane.

                Fonte do video: From Here There

Essa é a nossa singela homenagem para um dos monstros da comédia, o inesquecível Robin Williams.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...