sábado, 23 de agosto de 2014

Das lutas para o Cinema! Conheça os lutadores profissionais que conseguiram sucesso nas telonas



Ela é bela, carismática e extremamente perigosa dentro de um ringue. Grande ícone do MMA, atual campeã do UFC e medalhista de bronze nos Jogos Olímpicos de Pequim (como judoca), Ronda Rousey está entre as protagonistas da terceira continuação de Os Mercenários (leia a nossa crítica aqui), longa que estreou nesse fim de semana em solo brasileiro. Apesar do elenco desta sequência impressionar, com direito as presenças de Harrison Ford, Mel Gibson e Antonio Bandeiras, a estreante consegue um lugar de destaque neste novo capítulo da franquia capitaneada por Sylvester Stallone e Jason Statham. Seguido o caminho de muitos outros profissionais das artes marciais, Rousey é apenas mais uma a tentar um lugar ao sol como estrela de Hollywood.


E quando falamos na combinação entre artes marciais e Hollywood, o primeiro nome que vêm a mente é o de Bruce Lee. Pai do estilo Jet Kune Do, Lee foi campeão mundial de caratê ao derrotar Vic Moore com apenas um soco. Dedicado ao estilo de luta e a sua academia, o ator acabou conseguindo um papel de destaque na série O Besouro Verde, interpretado o mordomo bom de briga Kato. Extremamente habilidoso, Bruce Lee era tão rápido e técnico na gravação das cenas que os diretores da série pediam constantemente para que ele diminuísse a velocidade dos golpes para que a câmera conseguisse capturar os seus movimentos. Embalado pelo sucesso do programa de TV, Lee estrelou ainda alguns clássico do gênero, incluindo O Dragão Chinês (1971), A Fúria do Dragão (1972), O Voo do Dragão (1972) e Operação Dragão (1973). Sua carreira, no entanto, foi abreviada em função da sua precoce morte, aos 32 anos, vítima de um edema cerebral. Recentemente, aliás, Bruce Lee se tornou um dos personagens especiais de um jogo da franquia UFC.


Curiosamente, um dos grandes sucessores de Lee foi o seu principal aluno: um tal de Chuck Norris. Campeão de caratê na categoria meio-médio por sete anos consecutivos, o ator foi eleito o lutador do ano pela revista Black-Belt em 1969. Derrotado por Bruce Lee no clássico O Voo do Dragão, provavelmente o único revés em sua carreira cinematográfica, Norris iniciou assim a sua grande escalada rumo ao sucesso. Um dos maiores ícones do cinema de ação da década de 1980, o ator foi o responsável por algumas franquias de destaque, entre elas Braddock, Comando Delta e Walker Texas Ranger. Norris esteve também no elenco de Os Mercenários 2, participando de uma das mais divertidas sequências do longa. Seguindo também o estilo oriental das artes marciais, Jet Li foi mais um a ter êxito nessa transição. Campeão Nacional chinês durante a adolescência, fato que o levou a ser classificado como um "tesouro" local, Li traz na carreira papeis de destaque em Máquina Mortífera 4, Romeu tem que Morrer, Cão de Briga e na franquia Os Mercenários.


Outro grande nome do cinema de ação oitentista, Jean Claude Van Damme também é oriundo do mundo das lutas. Apesar de ter se destacado mais como bailarino e fisioculturista, o ator belga venceu o European Pro Karate Association, na categoria meio pesado, sendo derrotado na final do Campeonato Mundial de Caratê (1979). Apesar da promissora carreira no mundo das lutas, Van Damme se dedicou muito mais a carreira cinematográfica. Protagonista de O Grande Dragão Branco (1988), Duplo Impacto (1991), Soldado Universal (1992), O Alvo (1993) e Time Cop (1994), o ex-lutador foi o grande antagonista de Os Mercenários 2. Quem também teve uma rápida e eficiente presença no mundo do caratê foi Dolph Lundgren. Conhecido como o boxeador soviético Ivan Drago, de Rocky IV, o sueco foi campeão europeu na categoria em 1980 e 1981. Mestre em Engenharia Química pela Universidade de Sidney, Lundgreen ficou conhecido por seus papeis em Mestres do Universo, Soldado Universal, Massacre no Bairro Japonês e é mais um a integrar a franquia Os Mercenários. 

MMA e a sua contribuição para o Cinema


Ronda Rousey, aliás, não foi o primeiro nome do MMA a investir na carreira cinematográfica. Grande campeão do UFC 6, Oleg Taktarov (à esquerda) se tornou um dos pioneiros nessa transição. Especialista em Sambo e Jiu-Jitsu, Oleg venceu lendas como o brasileiro Marco Ruas e o gigante Tank Abbott. Após a carreira profissional, o ex-lutador russo ficou conhecido por seus papeis como antagonista, marcando presença em 15 Minutos (2001), Rollerball (2002), A Lenda do Tesouro Perdido (2004) e Predadores (2010). Seguindo os seus passos, Randy Couture (ao centro) foi outro ícone do MMA a se arriscar nos cinemas. Campeão do UFC por três vezes, em duas categorias diferentes, o ex-lutador iniciou a carreira na comédia Big Stan, esteve no drama Cinturão Vermelho, e conseguiu grande destaque como integrante original da trupe Os Mercenários. Assim como Taktarov e Coutore, Quinton Jackson (à direita) vem se esforçando na transição para a tela grande. Ex-campeão dos Meio Pesados do UFC e atual lutador do Bellator, o popular Rampage teve também carreira vitoriosa no Pride. Um dos protagonistas do reboot de Esquadrão Classe A, ao lado de Bradley Coopley, Liam Neeson e Sharlton Copley, Quinton obteve destaque no suspense O Último Trem e no policial Fogo Contra Fogo.


Ainda no MMA, a bela Gina Carano foi a primeira mulher do UFC a figurar nos Cinemas. Pinçada por Steven Soderbergh, Carano estrelou o suspense A Toda Prova (2011), protagonizando o longa ao lado de Michael Fassbender, Channing Tatum e Antonio Banderas. Demonstrando grande aptidão nas cenas de ação, Carano acabou entrando para o elenco de Velozes e Furiosos 6 e estrelou também o ainda inédito In The Blood. Enquanto Carano, Taktarov e Rampage já construíram carreira solidificada, alguns ainda estão dando os seus primeiros passos no cinema. Esse é o caso de George St Pierre, que esteve no elenco de Capitão América 2 - O Soldado Invernal. Interpretando o vilão Bartroc, o lutador foi campeão do UFC na categoria Meio Médio, detendo 12 defesas de cinturão bem sucedidas. Com 19 triunfos na categoria, Pierre é considerado um dos melhores lutadores da história do evento. 

The Rock e Mickey Rourke: dois conhecidos atores que seguiram rumos opostos


Nenhum desses nomes, porém, chega perto de alcançar o êxito comercial de Dwayne "The Rock" Johnson. Ainda que muitos critiquem o fantasioso WWE, o ex-lutador foi sete vezes campeão no evento e duas vezes campeão mundial de Pesos-Pesados da WCW. Segundo maior salário de Hollywood, "The Rock" estrelou O Escorpião Rei, Velozes e Furiosos 5 e 6, A Fada do Dente, G.I Joe: Retaliação, Sem Dor, Sem Ganho e o ainda inédito Hércules. Um dos nomes mais conhecidos da modalidade, o ex-lutador Hulk Hogan foi um dos primeiros wrestlers a conseguir espaço nas telonas. Vencedor do WWE Championship, do WCW World Heavyweight Championship e do AWA World Heavyweight Championship, Hogan rapidamente atraiu as atenções em Hollywood. Mesmo estrelando longas de gosto duvidoso, o carismático lutador protagonizou as "pérolas" Um Agente muito Secreto, Herói por Engano, Comando Suburbano e teve uma inesquecível participação em Rocky III, onde enfrentou o próprio protagonista. Seguindo o passo dos dois, Dave Bautista assumiu o seu primeiro papel de destaque em Guardiões da Galáxia, grande aposta da Marvel Studios em 2014. Responsável pelo eloquente Drax, o ex-lutador foi quatro vezes campeão Mundial dos Pesos-Pesados e duas vezes o campeão da WWE.


Enquanto alguns lutadores enxergam o cinema como uma alternativa, o ator Mickey Rourke resolveu fazer um inusitado caminho inverso. Considerado um dos nomes mais promissores da década de 1980, o ator de 9 semanas e 1\2 de Amor, Corpos Ardentes e Angel Heart decidiu voltar ao mundo do boxe em 1991, após ter se dedicado a modalidade na juventude. Entre 1991 e 1994, o ator realizou oito lutas, ganhando seis e empatando duas. Apesar do bom desempenho, a carreira não foi adiante e, pra piorar, o seu rosto foi afetado pelas lesões. Recorrendo a uma série de cirurgias plásticas, o então galã perdeu espaço e por muito pouco não jogou a sua carreira fora. Vivendo de pequenas pontas e vilões, Rourke viu a sua atividade voltar aos trilhos em 2005, quando estrelou os longas Sin City e Domino - A Caçadora de Recompensas. A sua volta por cima, no entanto, aconteceu no premiado O Lutador (2008). Desde então, o ator voltou a marcar presença em blockbusters, incluindo Homem de Ferro 2, Os Mercenários e Sin City: A Dama Fatal.

2 comentários:

Hugo disse...


Muito legal seu texto.

Desde que Bruce Lee ficou famoso e morreu em seguida no início dos anos setenta, vários filmes B de ação utilizaram lutadores, mesmo que muitos deles jamais tenham sido profissionais.

O negro Jim Kelly que trabalhou em "Operação Dragão" foi um dos primeiros, depois surgiram outros como Bolo Yeung, Jalal Merhi, Billy Blanks, Loren Avedon, o francês Olivier Gruner e até a loirinha Cynthia Rothrock.

Tem ainda os chineses que são quase malabaristas. Jackie Chan, Sammo Hung, Yuen Biao e Jet Li.

Abraço

thicarvalho disse...

É, na verdade, preferi destacar os mais conhecidos e que se colocaram como grandes campeões profissionais. Aliás, quase deixei Lee de fora porque ele só teve uma grande exibição e logo depois fundou sua academia e espalhou o seu estilo. Sempre bom também revelar outros nomes. Grande abs Hugo e valeu pela visita.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...