segunda-feira, 1 de março de 2010

Cinemaniac Indica (Anjos e Demônios)

Repetindo a fórmula apresentada em Código Da Vinci, o diretor Ron Howard faz de Anjos e Demônios um filme mais intenso e frenético, do que a primeira adptação da obra literária de Dan Brown. Se a grande crítica do público, em relação ao primeiro longa, foi a falta de ação, Howard resolve o problema com um filme cheio de ritmo e mistérios, que vão se desenvolvendo ao longo dos quase 140 min de duração. Apesar do ritmo acelerado, o espectador não tem muitas dificuldades em compreender o andamento da trama. O resultado é uma diversão bem mais acessível, com qualidade bastante semelhante, se não melhor, do que a apresentada em Código da Vinci.

Assim como no primeiro longa, a trama de Anjos e Demônios se passa nos bastidores da Igreja Católica. Depois de descobrir o segredo do Código Da Vinci, o professor Robert Langdon passou a ser "persona non grata" entre o alto escalão da Igreja católica. Porém, quando uma série de cardeais são sequestrados e uma antiga facção oposta a Igreja Católica volta a tona, Langdon é chamado e parte por todo o Vaticano na tentativa de encontrar os cativeiros, antes que à eleição do novo Papa venha a acontecer.

A trama pode parecer simples, mas os seus desdobramentos a deixam bastante interessante. Sem o mirabolismo, e por que não as falácias, do primeiro filme, o roteiro é bem desenvolvido, apesar de em alguns momentos fazer fortes referências ao primeiro filme, inclusive com o desfecho da trama. A partir de um certo momento, você começa a perceber que já viu aquilo em algum lugar, e o final acaba não surpreendendo tanto, como deveria. Mesmo assim, graças a ótima atuação do elenco, o filme guarda algumas surpresas. Como sempre, Tom Hanks tem uma interpretação irretocável, seguido de perto do também ótimo Ewan Mcgregor, na pele de um padre nada convencional. Stellan Skarsgard também não decepciona, na pele do Chefe de Policia Suíço, que na minha opinião, poderia inclusive ser mais explorado na trama.

Seguindo o objetivo da obra de Dan Brown e de O Código Da Vinci, o longa tem acesso a lugares, que poucas vezes foram mostrados no cinema. Se o primeiro filme teve como pano de fundo o museu do Louvre, Anjos e Demônios traz ótimas cenas dentro do Vaticano e na Praça de São Pedro. Porém, diferente de O Código, que conseguiu a permissão para as filmagens "in loco", o Vaticano não cedeu a liberação. Então a produção de Anjos e Demônios, construi uma projeção da Praça de São Pedro, em escala real, para realizar todas as cenas. Além disto, outros espaços foram construídos graças aos recursos digitais, que aliás, estiveram presentes ao longo de todo o filme. Utilizada de maneira bastante realista, as reconstruções ficaram bastante fieis às obras originais. Além disto, a cena da explosão final, foi muito bem conduzida, apesar da falta de veracidade em alguns momentos, afinal um James Bond não era o que muita gente esperava ao ver Anjos e Demônios.

Enfim, apesar de alguns pequenos exageros, Anjos e Demônios é uma obra cinematográfica interessante e bem conduzida, que garanto, não vai decepcionar a nenhum espectador, graças a boa trilha sonora, ao ritmo envolvente e a eficiente direção de Ron Howard. Agora, com relação a obra literária, que ainda não tive a oportunidade de ler, fica a dúvida se o filme foi fiel ou não. Mas isso deixo para vocês responderem...

3 comentários:

Nekas disse...

Fica muito atrás do livro mas não deixa de ser um bom thriller!

Tanto o livro como o filme são inferiores ao livro e filme do Código DaVinci.

Abraço
http://nekascw.blogspot.com/

Tiago Britto disse...

O pra isso! Meu chara! rpz...eu realmente gosto das obras de Dan Brown! e indico sim....temos que diferencias livros de adaptaçoes e achei esta mt boa!

vou te linkar blz?

thicarvalho disse...

Nekas concordo plenamente. Só acho q "o código" e anjos e demonios tem linhas narrativas diferentes, que acabam produzindo resultado semelhante. O primeiro opta por uma narrativa mais classica, lenta, com muitas explicações e desfecho surpreendente. Já o segundo, opta por uma narrativa mais ágil, intensa, com uso de muitas cenas de ação e inclusive efeitos especiais. Por isso, apesar das diferenças, acho o resultado dos dois filmes altamente satisfatório. Grande abraço e volte sempre...

Tiago seja bem vindo. Tenho uma visão mto parecida com a sua, com relação às adaptações. Acho q o livro tem um formato e o filme outro, por isso é praticamente impossível uma adaptação literária ser completamente fiel. Ahh não ser casos como Senhor dos Aneis, com filmes de 3h. Muito obrigado pela viosita e claro que pode linkr. Vou visitar o seu tb e colocar o link por aqui... Grande abraço e volte sempre.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...