quarta-feira, 11 de maio de 2016

O Fim da Turnê

Um Quase Famosos versão literária

Inspirado no romance biográfico 'Although of Course You End up Becoming Yourself', O Fim da Turnê adota uma abordagem intimista ao acompanhar os bastidores de uma aclamada reportagem sobre o escritor David Foster Wallace. Apesar do ritmo lento e aparentemente pouco cativante, o longa dirigido por James Ponsoldt (O Maravilhoso Agora) ganha força ao dissecar esta interessante persona, expondo não só a sua reconhecida genialidade, mas principalmente as suas inseguranças, os seus medos e os seus sentimentos mais humanos. 

Na trama, uma espécie de Quase Famosos (2000) indie, David Lipsky (Jesse Eisenberg) é um escritor pouco conhecido que ganha a oportunidade de escrever para a popular revista Rolling Stone. Cansado de falar sobre 'boy bands' e músicas genéricas, ele sugere uma entrevista com o aclamado David Foster Wallace (Jason Siegel), que vinha rodando os EUA na divulgação do seu mais novo livro: o bem sucedido Graça Infinita. Impressionado com a oportunidade, Lipsky é pego de surpresa ao se deparar com um entrevistado simples e pacato, criando uma conexão natural com ele à medida que a sua reportagem ganha corpo.


Através de diálogos expressivos e reveladores, o roteirista Donald Margulies é cuidadoso ao construir esta complexa relação, investigando de maneira honesta e reflexiva os dilemas mais pessoais da dupla de escritores. Sob um ponto de vista sóbrio, Ponsoldt é habilidoso ao expandir o universo destes dois personagens, os aproximando ao discutir tanto sobre temas mais específicos, como o impacto da fama ou os egos inflados, quanto sobre questões mais existencialistas, como a busca pela felicidade e por um sentido para a vida. Além disso, o realizador mostra categoria ao evidenciar a química entre os dois personagens, fazendo um excelente uso da verborragia de Jesse Eisenberg e do inesperado comedimento de Jason Siegel. 


Este último, aliás, mesmo fora da sua zona de conforto, absorve com rara inspiração as nuances do brilhante David Foster Wallace, tornando crível a aura simples/genial/depressiva do seu personagem. Desta forma, ao desvendar o homem por trás da sua obra, O Fim da Turnê se revela uma história de amizade densa e recheada de sentimentos. Um filme indie, agridoce e profundo à sua maneira.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...