domingo, 24 de maio de 2015

Longa francês se sagra o grande vencedor do Festival de Cannes


Presidido pelos irmãos Ethan e Joel Coen (Onde os Fracos Não tem Vez), o juri do Festival de Cannes elegeu o longa francês Dheepan, do diretor Jacques Audiard (O Profeta), como o vencedor da Palma de Ouro em 2015. Num ano em que o evento abriu as portas para filmes mais populares, com destaque para os ovacionados 'Mad Max - Estrada da Fúria' e a nova animação da Pixar 'Divertida Mente', Dheepan arrancou elogios ao apresentar uma trama extremamente universal, que segundo a crítica internacional se equilibra habilmente entre a ação e o drama. Na trama, recheada de temáticas sociais, um soldado desertor do Sri Lanka (vivido pelo escritor Jesuthasan Antonythasan) deixa para trás um passado de mortes acumuladas. Para imigrar para a Europa, ele precisa levar uma jovem e uma criança com ele, fazendo-se passar por esposo e pai. Mas ao se mudar para a França, vai ter que pegar em armas de novo para proteger suas "agregadas". 


Além de Dheepan, a 68ª edição do Festival de Cannes deu ao longa húngaro 'Saul's Son', do diretor László Nemes, o Grande Prêmio com a láurea da Federação Internacional de Imprensa Cinematográfica. Narrando o sofrimento dos Sonderkommando, um grupo de judeus forçados a ser mão de obra para os nazistas em Auschwitz, o longa foi um dos trabalhos mais celebrados da mostra competitiva, atraindo as atenções ao lado de títulos como 'Mon Roi', da eleita Melhor Atriz Emmanuelle Bercot (Ela Vai), 'Carol,' da também Melhor Atriz Rooney Mara, 'Youth', do diretor Paolo Sorrentino (A Grande Beleza), e 'Mia Madre', do ator John Turturro (Amante à Domicílio). Já o prêmio do Juri ficou para o sci-fi existencial 'The Lobster', que causou grande burburinho por sua original premissa. Estrelado pelo trio Rachel Weisz (A Múmia), Colin Farrel (Por um Fio) e Léa Seydoux (Azul é a Cor mais Quente), o longa nos apresenta a um futuro que proíbe as pessoas de ficarem solteiras. Nesta realidade distópica, qualquer um é obrigado a encontrar um parceiro dentro de 45 dias. Caso não encontrem ninguém, eles são transformados em um animal de sua preferência e soltos no meio da Floresta. Que viagem! 


Já fora da competição, o novo longa do diretor Woody Allen teve uma recepção inicialmente morna. Estrelado pela dupla Joaquin Phoenix e Emma Stone, 'O Homem Irracional' não chamou tanto a atenção da crítica, que pareceu dividida quanto a qualidade da película. As vaias, no entanto, marcaram realmente presença em "The Sea of Trees", novo longa do ator Matthew McConaughey. Após brilhar em títulos como 'Amor Bandido' e 'Clube de Compras Dallas', o vencedor do Oscar em 2014 não conseguiu salvar o drama do diretor Gus Van Sant, que foi vaiado impiedosamente durante a sessão de estreia. Por outro lado, longas como 'Sicario' parecem ter agradado ao público e a crítica. Dirigido por Dennis Villenauve, do ótimo 'Suspeitos', o thriller de espionagem estrelado por Emily Blunt (foto acima), Benicio Del Toro e Josh Brolin arrancou aplausos da imprensa ao acompanhar uma missão da CIA contra o grande líder de um cartel de drogas mexicano. Assim como 'Sicario', títulos como o documentário 'Amy', sobre a cantora Amy Winehouse, e 'Macbeth', versão do clássico "Shakesperiano" estrelada por Marion Cotillard e Michael Fassbender, também foram bem recebidos durante o cultuado festival francês. Confira abaixo a lista com os principais vencedores da 68º edição do Festival de Cannes. 

PRÊMIOS PRINCIPAIS

Palma de Ouro

Dheepan, de Jacques Audiard (França)

Grande Prêmio do Júri

Son of Saul (O filho de Saul), de László Nemes

Melhor diretor

Hou Hsiao Hsien, por "The Assassin" (A assassina) (Taiwan)

Prêmio do Júri

The Lobster, de Yorgos Lanthimos

Melhor atriz (Empate)
Rooney Mara, por Carol (EUA)
Emmanuelle Bercot, por Mon Roi (Meu rei) (França)

Melhor ator

Vincent Lindon, por La Loi du Marché (A lei do mercado) (França)

Melhor roteiro

Michel Franco, por Chronic (México)

Caméra d´Or (melhor longa de diretor estreante)

La Tierra y la Sombra, de Cesar Augusto Acevedo (Colômbia, Brasil, Chile, França, Holanda)

Palma de Ouro - curta-metragem

Waves ´98, de Ely Dagher (Líbano, Qatar)

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...