quinta-feira, 8 de julho de 2010

Cinemaniac Indica (Toy Story 3)

E a Pixar acertou mais uma vez !!!! Depois dos recentes sucessos Wall-e e Up - Altas Aventuras, sinceramente, esperava que o resultado da terceira continuação da série Toy Story poderia frustrar o espectador. Afinal, os filmes do estúdio cada vez mais flertavam com o drama e eu não conseguia enxergar como isso poderia ter êxito em uma trilogia que tem como personagens principais brinquedos. Pois bem, não só deu certo, como me arrisco a dizer que Toy Story 3 em nada deixa a desejar aos seus antecessores. Mantendo os traços e muitos personagens que consagraram os longas anteriores, Toy Story 3 além de uma excelente diversão, nos brinda com conquistante doses de sensibilidades.


Dirigida por Lee Unkrich, o longa já começa transbordando intensidade com a bela cena de uma das muitas brincadeiras de Woody e seus amigos. Porém, diferente dos dois filmes anteriores, as doses de diversão são diminuídas, quando Andy, o dono dos brinquedos agora com 17 anos, vai para a faculdade. Sem saber qual é o seu rumo, Woody, Buzz e toda a turma passam a temer o lixo, mas acidentalmente, acabam indo parar em um lugar ainda mais cruel: uma creche. Lá, o lugar que parecia maravilhoso, cheio de crianças com amor para dar, acaba se tornando um grande pesadelo. Sob as ordens de um maléfico urso cor de rosa, o grupo agora terá que sobreviver e lutar contra medos nunca antes enfrentados, pra voltar ao sotão de Andy.

A sinopse descrita acima pode deixar o filme com um ar "infantilizado", mas tenha certeza que o resultado final passa longe disto. Sabendo que grande parte dos fãs do longa cresceram, assim como o personagem de Andy, o roteirista Michael Arndt nos traz uma história madura que emociona e conquista o espectador desde as primeiras cenas. Debatendo temas adultos, como este amadurecimento e as novas responsabilidades da fase adulta, ao longo que os min vão se decorrendo começamos a perceber que o filme vai se aprofundando, se transformando, deixando de ser um simples e divertido desenho animado, para se tornar uma bela e cativante história de vida. Afinal, quem de nós não vai crescer, quem, infelizmente, não deixou de lado muito dos seus sonhos de crianças para começar a viver as responsabilidades da vida adulta. É contrastando estes dilemas, com a simplicidade dos sonhos e da vida infantíl, que Toy Story arranca lágrimas dos espectadores, principalmente daqueles que cresceram junto à trilogia. Se Up teve, talvez, os melhores minutos iniciais, Toy Story 3 consegue justamente o oposto. Um final de arrepiar.

Dramas á parte, a animação continua sendo, também, diversão garantida. Repleto de personagens cativantes, não só para os adultos, como também para as crianças, a manutenção das fórmulas anteriores foi mantida acertadamente. Explorando todos os diversos personagens antigos da trama, com equilibrio e espaço para todos se desenvolverem, o filme em nenhum momento cai na mesmice. Além disto, a trama ganha cativantes e curiosos personagens, como o ótimo Ken, um dos grandes achados do filme, o urso rosa Lotso, um vilão á altura do filme, o bebezão e o palhaço Picklepants, que apesar da pouca participação, contribui diretamente para o excelente resultado final do filme. Além da manutenção dos personagens, a qualidade da animação continua irreparável. A cena inicial, já citada acima, é brilhante. Assim como o grande clímax do filme, que desde já, considero como uma das melhores cenas animadas já realizadas. Somada a qualidade das animações da Pixar, o roteiro se desenvolve de maneira eficiente, sem grandes inovações, mas com objetividade e eficácia, tornando o resultado final expressivo.

Com sensibilidade, emoção e altas doses de entretenimento, Toy Story 3 é diversão garantida e acima de tudo, deixa aquele saboroso gostinho de quero mais. Mas, assim como a maravilhosa fase da infância, tudo deve ter o seu fim e Toy Story conseguiu terminar em grande estilo. Uma maravilhosa e comovente fábula sobre o amadurecimento. Mais uma grande obra da Pixar.

Por que assistir ?

- Por se tratar do desfecho de uma das melhores trilogias já feitas.
- Pela bela e emocionante trama apresentada.
- Por personagens inesquecíveis, como os já citados Woody e Buzz Lightear, que aliás, protagoniza uma cena de dança espanhola realmente hilária.

3 comentários:

Amanda Aouad disse...

Também temia por essa continuação e me emocionei muito com o que vi. A cena final é um primor. Digno de grandes clássicos.

Nekas disse...

Também quero tanto ver este filme!

Abraço
Cinema as my World

thicarvalho disse...

Sem dúvidas Amanda, um belíssimo filme. Um dos melhores do anoi, na minha opinião.

Bruno veja sim pq vc não vai se arrepender. Um grande trabalho, mais um aliás, da Pixar.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...