domingo, 22 de março de 2015

Top 10 (Filmes sobre a escassez de água)


Neste domingo (22) é celebrado o Dia Mundial da Água. Numa época em que os recursos naturais estão cada vez mais escassos, e que os grandes centros comerciais brasileiros já começam a sofrer com a falta d'água, esta data nos faz lembrar da nossa responsabilidade perante a saúde do nosso planeta. Ciente desta necessidade, o cinema já vem se antecipando e através de uma série de engajados trabalhos tenta mostrar o quão catastrófico é o impacto da falta deste recurso natural. Aproveitando o alerta promovido por esta data, neste Top 10 Cinemaniac vamos apresentar alguns dos bons filmes que levantaram questões sobre a escassez de água.

10º Tank Girl - Detonando o Futuro (1995)



Não se levando a sério por um segundo sequer, Tank Girl é uma daquelas brincadeiras que funcionam. Inspirado numa HQ britânica, o longa nos apresenta a um futuro pós-apocalíptico onde a água praticamente se esgotou. As poucas reservas naturais, escondidas nos lugares mais inóspitos, acabam entrando na mira de uma poderosa corporação, que passa a lucrar com a venda deste precioso recurso natural. Apostando num visual bem exótico, com direito a inusitados musicais, muitas cores e a adição de inspirados desenhos animados, o longa dirigido por Rachel Talalay (A Hora do Pesadelo 6) encontra na "espevitada" atriz Lori Petty (Caçadores de Emoções) a heroína perfeita para este excêntrico e cult longa. Com destaque para a cena em que a protagonista toma banho de areia e, logicamente, para a presença de uma morena e extremamente jovem Naomi Watts (King Kong).

9º Rango (2011)


Olha a primeira animação da lista. Numa época em que os longas animados estão se mostrando mais engajados que os grandes blockbusters, Rango promove uma bem-vinda crítica através de carismáticos personagens. Dirigido por Gore Verbinski, o longa narra a história de um camaleão criado em cativeiro. Após muito tempo preso, o animal se torna uma espécie de herói de um pequeno vilarejo ao se colocar a disposição para os protege-los de um fora da lei. As coisas mudam, no entanto, quando ele acaba sendo o responsável pela escassez de água nesse vilarejo, tendo que comprovar a sua verdadeira coragem ao resolver esse grande problema. Brincando com o popular gênero Western, Verbinski constrói uma trama recheada de interessantes questões, a principal delas envolvendo a falta de água.

8º 127 Horas (2011)



Apesar de não ser um longa sobre a escassez de algum recurso natural, 127 Horas é impressionantemente real ao mostrar os limites de um ser humano. Inspirado numa incrível historia real, o longa dirigido por Danny Boyle narra a história de um aventureiro que resolve partir numa escalada solitária por um rochedo norte-americano. O que era para ser um passeio despretensioso, no entanto, vira uma grande agonia quando ele fica com o seu braço preso após uma queda. Durante estas 127 Horas, este homem terá que suportar não só a dor, mas também a falta de água e o frio para conseguir sobreviver. Conduzido com enorme intensidade por Boyle, este drama mostra com extrema competência como a falta de água pode nos levar a conhecer os nossos próprios limites. Méritos, logicamente, para a grande atuação de James Franco, que nos conduz por esta agonizante história de superação.

7º Os Deuses devem estar Loucos (1984)



Quem tem mais de 25 anos e gosta de cinema com certeza já assistiu a Os Deuses devem estar Loucos, um daqueles populares filmes das "sessões da tarde". Mesmo sem falar propriamente sobre a escassez de água, esta hilária comédia dirigida pelo sul-africano Jamie Uys é precisa ao mostrar o cotidiano de uma isolada tribo em uma árida região. Adotado um sagaz e fictício tom documental, o longa arranca honestas gargalhadas ao acompanhar a trajetória de um nativo para se livrar de um artefato que acaba alterando o relacionamento dentro desta tribo. Vale destacar, aliás, a ótima continuação do ano de 1990, que conseguiu manter a inegável originalidade deste primeiro longa.

6º O Livro de Eli (2010)



Chegando aos filmes mais sérios, O Livro de Eli é um daqueles trabalhos que considero amplamente subestimados. Dirigido por Albert e Allen Hughes, este longa pós-apocalíptico nos apresenta a um futuro em que os recursos naturais foram completamente consumidos. Com a água vendida à peso de ouro, um grupo liderado por um nefasto sobrevivente tenta reconstruir uma sociedade em torno dos poucos recursos que sobraram. Em meio ao canibalismo e a violência, ele resolve sair a caça de um livro que, segundo a sua teoria, traria o poder para governar todas as outras cidades que existem. É ai que o caminho deste homem se cruza com o de Eli (Denzel Washington), um viajante solitário que traz consigo o tão cobiçado livro. Apostando numa crítica extremamente afiada e em algumas viradas de trama extremamente interessantes, O Livro de Eli está longe de ser "apenas" mais um bom filme de ação.

5º Mad Max - Além da Cúpula do Trovão (1985)



Numa das franquias que melhor explorou esta realidade pós-apocalíptica, Mad-Max: Além da Cúpula do Trovão pintou um cenário nebuloso envolvendo a falta de água. Após vingar a morte de sua esposa nos dois (ótimos) primeiros longas, Max (Mel Gibson) se vê em uma nova aventura quando acaba cruzando com a cidade de Bartertown, um vilarejo criado após a contaminação das principais fontes de água. Fugindo bastante da pegada dos dois primeiros filmes, o diretor George Miller deu uma grande amenizada neste trabalho, que acabou se tornando um cult pela presença da cantora e antagonista Tina Tuner. Um filme estiloso, com uma crítica pertinente, mas que se rendeu a elementos mais comuns dos blockbuster's.

4º Interestelar (2014)



Um dos trabalhos mais comentados de 2014, Interestelar levantou questões importantíssimas sobre o futuro do nosso planeta. Em meio as pirações do cultuado Christopher Nolan (Batman: O  Cavaleiro das Trevas), o longa estrelado por Matthew McConaughey e Anne Hathaway mostra um futuro em que o planeta Terra está a beira de um colapso. Com o fim de boa parte dos recursos naturais, os seres humanos sobreviviam de milho e poucos vegetais, um grupo de astronautas decide partir numa missão derradeira para conseguir encontrar um novo planeta para os sobreviventes. Correndo contra o tempo, já que o clima árido, a falta de água e de oxigênio era cada vez mais alarmante, o grupo se depara com uma grande dúvida quando dois outros planetas se mostram hospitaleiros para a população da Terra. Com uma primeira metade realmente genial, Nolan é extremamente habilidoso ao nos apresentar a uma realidade tragicamente possível para o nosso planeta. Ainda que o final seja (no mínimo) problemático, Interstelar se mostra pertinente ao evidenciar a nocividade imposta pela escassez dos recursos naturais.

3º Vidas Secas (1963)



Reconhecido como um dos principais exemplares do Cinema Novo, Vidas Secas é impecável ao mostrar a verdade nua e crua por trás das secas no sertão nordestino. Inspirado na clássica obra de Graciliano Ramos, o longa dirigido por Nelson Pereira dos Santos acompanha a jornada de uma família de retirantes durante uma grande seca. Procurando uma forma de sobreviver em meio a escassez de água, Fabiano (Átila Iório) vê uma luz no fim do túnel quando a chuva cruza o seu caminho. Ao lado de sua esposa, dos dois filhos e de uma cachorrinha, ele acaba oferecendo os seus serviços para um fazendeiro na esperança de aproveitar esta oportunidade em meio a aridez do sertão. As coisas, no entanto, não ganham contornos positivos, principalmente quando a seca retorna ameaçando não só o seu emprego, mas também a sua própria esperança.

2º A Estrada (2009)



Num dos relatos mais contundentes sobre um eventual futuro pós-apocalíptico, A Estrada é exemplar ao construir uma realidade marcada pela completa escassez de recursos naturais. Dirigido por John Hillcoat (Os Infratores), o longa estrelado por Viggo Mortensen acompanha a jornada de um pai em meio a um tenebroso futuro. Dez anos após a destruição do mundo, ele tenta sobreviver ao lado de sua esposa (Charlize Theron) e do seu jovem filho (Kodi Smit-McPhee). Em meio ao canibalismo, a violência e a falta de recursos básicos como a água, o homem tenta ensinar ao seu filho as noções básicas para que ele possa sobreviver neste mundo caótico. Discutindo questões importantíssimas na relação entre pai e filho, A Estrada chega a assustar a nos apresentar a uma realidade completamente desumana. Não só um baita filme, mas também um grandioso alerta. 

1º Wall-E (2008)



E o nosso primeiro lugar vai para um dos alertas mais brilhantes produzidos pelo cinema nas últimas décadas. Através de um carismático robozinho, a Pixar deu aula de como construir um longa engajado em Wall-E. Recheado de questões existenciais e de críticas ao consumo desenfreado do nosso planeta, a animação dirigida por Andrew Stanton é impecável ao mostrar as consequência da escassez dos recursos naturais. Na trama, após a completa exaustão do nosso planeta, os habitantes sobreviventes tiveram que recorrer à enormes naves espaciais comandadas por uma grande corporação. No nosso planeta, apesar da falta de água e de oxigênio, um pequeno robô ficou com a responsabilidade de limpar a Terra do lixo deixado pela população. Desenvolvendo uma personalidade humana, o robô acaba encontrando uma forma de vida se restabelecendo no nosso planeta, iniciando assim uma jornada para tentar mostrar a recuperação da Terra. Um longa necessário, principalmente pela crítica envolvendo a postura sedentária do ser-humano em relação aos recursos naturais. 

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...