quarta-feira, 21 de abril de 2010

Cinemaniac Indica (O Franco Atirador)

Apesar do que o título possa sugerir, O Franco Atirador é um excelente drama de Guerra. Destacando o impacto da guerra do Vietnã, na vida de um grupo de amigos, o filme marca pelo ótimo elenco, pelo roteiro eficiente e por impactantes cenas, que destacam todos os traumas sofridos em uma guerra. Com uma narrativa fria, porém intensa, o filme é uma grande obra de arte, que apesar do forte tema, com certeza irá agradar aos fãs do gênero.

Lançado no ano de 1978, O Franco Atirador mostra com frieza impressionante, todo o trauma causado as famílias americanas com a tão contestada Guerra do Vietnã. Dirigido por Michael Cimino, o longa de quase três horas de duração é um retrato fiel e duro sobre a influência do conflito, em um grupo de amigos quase que inseparáveis. Com roteiro produzido pelo próprio Cimino, o longa conta a história de um grupo de cinco amigos, Michael (Robert De Niro), Nick (Christopher Walken), Stosh (John Cazalle), Steven (John Savage) e Axel (Chuck Aspegreen). Vivendo em uma pacata cidade do interior, os amigos viviam uma vida simples porém bastante feliz. De casamento marcado, Steven aproveitava os últimos momentos antes de se apresentar para a guerra. Junto dele, Michael e Nick também teriam que lutar no Vietnã e sobreviver não só ao conflito, como também as cicatrizes que ele deixou na vida de cada um deles.

Para destacar como era a vida deste grupo de amigos, e de toda a cidade, a primeira hora de filme destaca com intensidade a amizade do grupo. Com grandes atuações de todo o elenco, as cenas fluem com naturalidade e química invejável, fazendo com que o espectador sinta realmente o quão próximos eram os amigos. Baseando-se em um roteiro dinâmico, por um momento, os diálogos conseguem se destacar pelo bom-humor apresentado entre os amigos. Além disto, o diretor exalta a fotografia da pacata cidade, com takes excelentes, mostrando principalmente, a sua beleza natural. Percebe-se, que a intensão é transformar a cidade em uma espécie de representação do paraíso e preparando o espectador para um grande choque de realidade.

Ao final desta hora, com uma grande explosão, de maneira repentina o filme deixa a cidade e já mostra os três em batalha no Vietnã. O longa, que até o momento era leve e fluía com serenidade, sofre uma grande mudança. A paisagem fria e bela, é substituída pelas cores quentes do Vietnã. Neste momento, o diretor começa a trabalhar todo o trauma da guerra. Não vou revelar o que acontece com os três, mas as cenas neste período são extremamente chocantes e impactantes, destacando algumas das torturas que muitos soldados sofreram em guerra. Após uma segunda hora, o filme deixa o conflito e mostra a tentativa dos três de se reabilitar dentro da pacata vida da cidade. Vivendo problemas opostos, a direção explora os traumas vividos por cada um, conseguindo assim um resultado final impactante, pessimista e surpreendente.

Com esta narrativa fragmentada, destacando o antes/durante/depois, Cimino não deixa brechas para o espectador. O diretor mostra, sem amenizar nas situações mais dramáticas, o quanto a guerra influencia na vida do ser humano. Destacando uma abordagem visivelmente negativa, o trabalho da direção exalta a rotina dos cidadãos pré-guerra e contrasta com o pós-guerra, tornando amplamente compreensível a mensagem passada pelo longa. A grande prova disto é o contraste das primeiras cenas com a cena final, aonde apesar de estarem reunidos, é perceptível a mudança do clima entre os amigos. É conseguindo exaltar este clima que o filme consegue, talvez, se tornar um dos mais eficientes do gênero.

Se a o roteiro e a direção são excelentes, o elenco é de tirar o chapéu. Robert De Niro (Taxi Driver), em uma de suas melhores interpretações, Chritopher Walken (Anjos rebeldes), idem, e John Cazalle (O Poderoso Chefão), conseguem atuações brilhantes. Meryl Streep (Kramer vs Kramer), também tem um atuação sensacional, vivendo um interesse romântico de De Niro. Aliás, Streep teve presença marcante também nos bastidores do filme. Com uma doença terminal, o então esposo de Streep, Jonh Cazzale, iria se descartado pela produção, que temia que ele não conseguisse chegar ao fim das filmagens. Sabendo disto Streep bateu o pé, e afirmou que se seu marido saísse ela também não continuaria. Com esta imposição o estúdio cedeu e Cazzale concluiu as gravações. Infelizmente, ainda em 78, o ator faleceu aos 42 anos, deixando personagens marcantes, como o inesquecível Fredo Corleone, em O Poderoso Chefão.

Enfim, como uma abordagem pessimista, cenas de impacto visual gritante e uma narrativa longa, mas intensa, O Franco Atirador mostrou todos os impactos negativos de um conflito que poderia ter sido evitado. Como se não bastasse todo o ótimo drama, o filme ainda possui boas cenas de ação e todo um cuidado para que a melancolia apresentada durante o longa não entedie o espectador. O resultado é uma obra chocante e triste, que irá causar surpresas.

Por Que Assistir ?

- Pelo ótimo elenco, encabeçado por Robert De Niro e Cristopher Walken.
- Pelas ótimas e impactantes cenas.
- Por mostrar a realidade do pós-conflito,para muitas famílias, no Vietnã.

3 comentários:

Hugo disse...

As cenas no campo de prisioneiros que termina com a roleta-russa são sensacionais.
É o maior desempenho da carreira de Christopher Walken.

Abraço

thicarvalho disse...

Sem dúvidas Hugo, de sufocar... E o fim é realmente emblemático. Grande atuação de Walken. Gosto mto do papel dele em Anjos Rebeldes, apesar do estilo completamente diferente. Grande abraço e volte sempre.

Mariana & Roberta disse...

Dos melhores filmes da minha vida. Daqueles que quando paras de ver te poes a pensar...pensar....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...