sexta-feira, 12 de março de 2010

Cinemaniac Indica (Avatar)

Como aqueles que lêem o blog sabe, confesso que não estava muito empolgado com toda a repercussão feita em cima do lançamento de Avatar. O trailer não me conquistou, e o alto investimento chegou a colocar um pouco de dúvida sobre o resultado que o filme poderia ter junto ao público. O único porém, que me mantinha interessado pelo longa, era a direção de James Cameron. E talvez este tenha sido o principal fator reponsável por todo a rentabilidade de Avatar, que em pouco mais de 1 mês, assumiu o posto de maior bilheteria de todos os tempos.

Confesso que escrever sobre este filme, se tornou algo muito difícil para mim. Sintetizar toda a magia que o longa proporciona ao espectador, é algo praticamente impossível, com palavras. Grande defensor do cinema, como ferramenta para promover diversão, fiquei realmente pasmo com a grandiosidade e a criatividade que Cameron conseguiu implantar ao longo das quase 3 horas de projeção. Todo conteúdo visualizado pelo diretor respira novidade, um desconhecido, que encanta através dos impressionantes recursos visuais e de toda a mágica criada por Cameron. O mundo construído por ele, o planeta Pandora, os Na'vi, todos conspiram para deixar o espectador em estado êxtase. As cores, os detalhes, os efeitos fantásticos, e principalmente, a forma como é contada a história, tornam Avatar um dos maiores fenômenos recentes da indústria cinematográfica. E como disse acima, graças a mente inventiva e pioneira de James Cameron, o criador por traz de tudo isto.

Afinal, foram quase 10 anos de desenvolvimento dos personagens, dos efeitos, das técnicas a serem utilizadas. Isto, sem esquecer da parte artística do longa, que privilegia o material humano, a trama, e principalmente o desenvolvimento da história. Diferente do que muitos disseram, Avatar não tem um roteiro fraco, ou previsível. Quem fala isto, é porque não tem o mínimo respeito pela magia que o cinema ainda proporciona ao espectador. Cameron não se agarra a uma história mirabolante, mas numa fórmula que quase sempre deu certo dentro do cinema: a do amor impossível, a da resistência heroica. Porém, apesar dos aparentes clichês, o grande mérito do diretor é o de dar uma nova roupagem a está fórmula, inserindo novos elementos e uma critica muito interessante. Por mais que o filme não assuma uma vertente politica, como por exemplo Guerra ao Terror fez, Avatar tem uma clara mensagem de proteção à natureza e ao equilíbrio do planeta. Mas não pense você, que ainda não teve a oportunidade de assistir ao longa, que isto é utilizado de maneira piegas. Pelo contrário, já que a critica é feita de maneira suave, em alguns momentos emocionantes, como na sensacional cena da destruição da "grande árvore". São pequenas metáforas que não se tornam o ponto alto do longa, mas que preenchem muito bem os espaços vazios que o roteiro podia deixar.

E nestes 10 anos de desenvolvimento, o que mais Cameron trabalhou foi na construção dos elementos de Avatar. Guardada as proporções, e espero que não seja mal interpretado, Cameron teve um papel de Deus no planeta Pandora, inclusive na criação dos Na'vi. Ele simplesmente criou tudo. Todos os elementos percebidos no longa, ainda que sejam referentes ao mundo em que vivemos, tem o dedo e a genialidade de Cameron. Desde uma pequena planta florescente à incrível paisagem do filme, tudo é construído com um detalhismo que impressiona e encanta com uma facilidade pouco vista. Sinceramente, fico sem palavras para descrever o que pude assistir durante o filme. É algo que só tendo a oportunidade de assistir, para se ter a noção exata do que está à sua frente. Sem dúvidas posso afirmar que o resultado final é sublime, e que vai ser um grande divisor de águas no cinema das próximas décadas.

Além da trama e dos ótimos efeitos visuais, um grande ponto positivo no filme foi a escolha do elenco. Sem grandes nomes, Cameron apostou em jovens "experientes", que emprestam toda sua versatilidade aos personagens do filme. Sam Worthington e Sigourney Weaver estão fantásticos. Apesar de todo o recurso visual por traz dos personagens, é visível a qualidade da interpretação dos dois. Diferente deles, Zoe Saldana tem a difícil missão de atuar apenas como Na'vi. E o resultado é realmente expressivo. Usando um sotaque local, Saldana tem uma atuação encantadora, que a coloca como uma das grandes revelações dos últimos anos. Além destes, o filme capricha nos vilões, como poucos conseguiram nas últimas décadas. Sempre defendo a tese que um bom filme heroico, tem de ter necessariamente um ótimo vilão e Stephen Lang acerta em cheio na pele do Coronel Quaritch. Brilhante atuação, destacando ainda mais toda a ação do longa, que na última hora de projeção toma conta das telas em níveis nada homeopáticos. Somado a estes, o filme ainda conta com a beleza rudimentar de Michele Rodriguez, que protagoniza uma das melhores cenas do filme, e com o sempre talentoso Giovani Ribisi, que mais uma vez rouba a cena sempre que está presente nela.

Enfim, Avatar é cinema da maior qualidade. Poucos filmes me impressionaram tanto, ao longo dos meus 23 anos de idade, quanto este longa conseguiu. Se um filme pudesse sintetizar o que o cinema representa para mim, este seria Avatar. Pois diverte como poucos, inova e encanta como só a sétima arte consegue fazer. Sem dúvidas é merecedor dos mais de 1 bilhão e meio arrecadados. Parabéns a Cameron, que dirigiu, produziu e roteirizou Avatar, ao produtor John Landau, que apostou na ideia, e principalmente, à toda a equipe responsável pela construção digital, que teve grande importância para o êxito comercial e artístico do filme. Será que daqui a dez anos vem mais coisa por ai. Vamos aguardar...

3 comentários:

Nekas disse...

Acredito que Avatar foi um verdadeiro impulsionador de criatividade e, como tu comentas, muitos seguirão os seus passos...

Avatar valeu pelos aspectos técnicos!

Abraço
Cinema as my World

Jardel Nunes disse...

Um filme grandioso sem dúvidas... e com um visual matador, que será copiado várias e várias vezes nos próximos anos...
Parabéns ao "deus" Cameron hehe

Abraços e belo texto.

thicarvalho disse...

Nekas não temos dúvidas nisto... A tecnologia implantada em Avatar agora será presente em muitos trabalhos do gênero. A grande questão é se eles conseguirão utiliza-la com a qualidade que Avatar conseguiu. Mto obrigado pela visita e volte sempre.

Jardel, mto obrigado pela visita. Como disse acima, esta tecnologia vai ser mto copiada. A questão e se os efeitos serão os mesmos. Particularmente acho mto difícil. Mto obrigado mais uma vez pela visita e volte sempre...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...