quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Cinemaniac Indica (Sherlock Holmes)

Um dos filmes mais divertidos do ano, até o momento, Sherlock Holmes é puro entretenimento. Com direção segura, ótimo elenco, efeitos visuais brilhantes e uma eficiente trama, o "novo" Sherlock é um blockbuster de altíssima qualidade. A começar pelo excelente elenco, encabeçado por Robert Downey Jr e Jude Law. Diferente do tradicional Holmes, o personagem de Arthur C. Doyle ganhou uma nova roupagem nas mãos de Guy Ritchie. Tudo bem que o pragmatismo e o detalhismo, característicos do clássico Holmes, foram mantidos. Mas o Holmes de Ritchie é um ábil lutador, uma figura bastante excêntrica e também muito inventiva. Sabendo explorar de maneira brilhante estas caracterísitcas, Downey Jr dá show e garante o preço do ingresso. Já Dr. Watson, é semelhante ao personagem literal, mas não menos bem interpretado por Jude Law. Como de costume, o galã consegue uma atuação segura, mostrando uma química invejável com Downey Jr. Além dos dois, Sherlock ainda conta com a bélissima Rachel McAdams (Diário de uma Paixão) e com o sempre eficiente Mark Strong, muito bem na pele do vilão Lord Blackwood.


Com um ótimo elenco em mãos, Guy Ritchie monta uma trama bastante interessante cheio de diálogos rápidos e sempre eficientes. Apesar de não ser lá muito original, a trama mostra um Holmes sem objetivos após a morte de Lord Blackwood, talvez o último grande vilão de sua carreira. Além disto, seu parceiro Dr. Watson está de casamento marcado, motivando uma depressão ainda maior. Porém, tudo muda quando Blackwood foge de sua cova e espalha o terror dentro de um Londres em fase de expansão. Juntos, os dois partem na busca por solucionar os mistérios, sem saber que este poderia ser o caso mais complicado de suas vidas. Se apoiando nesta trama, o andamento do filme flui rápido, mas não com estilo Ritchie de filmar. O longa não tem o ritmo acelerado de Snatch e Rock And Rolla, mas isso não o deixa menos satisfatório. Sabendo que estava fazendo, talvez pela primeira vez, um filme para todo o público, o diretor preferiu uma abordagem mais conservadora mas não menos eficiente.


Porém, como de costume em seus trabalhos, Ritchie capricha nos diálogos, cheios de humor e sarcasmo. Diferente de muitos filmes do gênero, que fazem voltas para explicar os mistérios implícitos, Ritchie opta apenas pela explicação lógica e bastante literal de todos os mistérios do longa. O resultado são cenas eficientes, lembrando muito o modo de raciocinar do próprio Holmes, mas um pouco acelerada para os padrões, podendo confundir o espectador mais distraído. Além do díalogo, em Sherlock Holmes a trilha sonora também segue o padrão Ritchie de qualidade. Composta pelo grande Hans Zimmer (Rei Leão e Gladiador), a trilha preenche bem as ações do filme, proporcionando um sensação ainda mais agradável ao espectador.

Outro ponto muito interessante em Sherlock Holmes, foi a utilização da super câmera lenta, em algumas cenas. Sou um grande fã da expressividade deste recurso, desde Matrix, talvez o boom deste efeito, até a abertura de Zombieland, sempre me surpreendo quando o vejo em cena. E em Sherlock não foi diferente. As cenas em que este recurso foi utilizado, como por exemplo a cena do boxe e a da explosão, mostram todo o talento deste diretor e o detalhismo de cada ação dos personagens, resultando num colírio para os nossos olhos cinéfilos. Além destes recursos visuais, a ambientação é bastante fiel e mostra, de maneira brilhante, o cenário caótico do iníco da urbanização na metrópole Londres.

Enfim, entre pequenos erros e muitos acertos Sherlock Holmes é diversão garantida. Mais uma vez Downey Jr acerta em cheio na sua escolha, e sem dúvida, deixa em aberto uma possível nova franquia. Pelo sucesso que o filme vem fazendo, acredito que isso não irá demorar para acontecer... Vale lembrar que este é o segundo filme que assisto, entre as minhas maiores expectativas para 2010. Até agora 100% de aproveitamento, já que Zombieland e Sherlock se reveleram não só ótimos filmes, como também uma grande diversão.

2 comentários:

Jardel Nunes disse...

Também gostei muito de Sherlock... Vi muitas reclamações sobre a direção de Ritchie, mas percebe-se que quem fala mal é porque não conhece o passado do diretor e suas técnicas peculiares de dar movimento e ação a seus filmes... e claro, seus diálogos irônicos e a ótima trilha sonora...

2010, 100%!! que beleza ein? que venha mais...

thicarvalho disse...

Concordo plenamente Jardel. Diversão de altissima qualidade. Valeu pela visita e volte sempre. Grande abraço.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...