quarta-feira, 29 de março de 2017

Top 10 (Plot Twists)


No último final de semana chegou aos cinemas o suspense Fragmentado (leia a nossa opinião aqui), o mais novo trabalho do "Às" dos 'plot twists' M. Night Shyamalan. Um dos diretores mais inventivos em atividade, o homem por trás de O Sexto Sentido (1999), Corpo Fechado (2000) e Sinais (2002) retomou o prumo da sua carreira num filme pequeno e de baixo orçamento, tirando dinheiro do próprio bolso ao construir um dos filmes mais lucrativos de 2017. Com orçamento de US$ 9 milhões, o longa já faturou US$ 265 milhões ao redor do mundo, atestando o apreço do público por uma boa reviravolta. Dito isso, neste Top 10 iremos reunir alguns dos 'plot twists' mais marcantes da sétima arte. O critério, aliás, será bem simples. Além do potencial de surpresa, nesta lista vamos priorizar as reviravoltas mais "possíveis", os plot's mais coerentes com as suas respectivas premissas. Para proteger as surpresas, ao longo da lista irei "esconder" os trechos mais reveladores, que poderão ser lidos quando selecionados. Sem mais explicações, começamos com... 

10º Testemunha de Acusação (1957)


Um filme de tribunal com um extraordinário 'plot twist', Testemunha de Acusação (leia a nossa opinião aqui) entrega uma clímax mais surpreendentes do gênero. Dirigido por Billy Wilder, esse filmaço acompanha as desventuras de um inventor (Tyrone Power) acusado de matar uma velha amiga e incentivadora comercial. Alegando inocência, ele contrata um veterano advogado (Charles Laughton), sem saber que a sua enigmática esposa (Marlene Dietrich) se tornaria uma peça chave no julgamento. Com a sua reconhecida sagacidade, Wilder enfileira uma extraordinária sequência de 'plot twists', incluindo uma reviravolta em torno da figura da manipuladora esposa, uma em torno do sonso marido e as trágicas consequências envolvendo as duas. Tudo isso num curto prazo de dez minutos. 

9º A Chegada (2016)


Um Sci-Fi extremamente humano, A Chegada (leia a nossa opinião aqui) emociona ao entregar um arrepiante 'plot twist'. Conduzido com sensibilidade por Dennis Villeneuve, o longa estrelado por Amy Adams acompanha os passos de uma especialista em linguística envolvida numa misteriosa invasão alienígena. Como se não bastasse o cuidado do argumento ao estabelecer o elementos Sci-Fi, o realizador canadense se aproxima de questões mais íntimas ao explorar o "passado" da protagonista através de comoventes flashbacks. Na transição para o clímax, entretanto, Villneuve surpreende ao investir num tocante 'plot twist', criando uma sequência 'mind blowing' ao revelar que os flashbacks, na verdade, são pequenos lampejos do futuro da especialista. Uma reviravolta que, diga-se de passagem, é potencializada pela afiada montagem, impecável ao costurar a trama rumo ao extraordinário desfecho. 

8º A Vila (2004)


O primeiro filme de M. Night Shyamalan na lista, A Vila traz uma reviravolta realmente original. Imersivo e com um nebulosa aura de suspense, o longa contraria as expectativas do público ao rasgar a mitologia de época presente nos dois primeiros atos, mostrando que tudo não se passava de uma grande mentira e que o filme era cituado em pleno século XXI. Na verdade, as motivações por trás dos idealizadores desta "sociedade secreta" são brilhantemente introduzidas, mostrando a capacidade de Shyamalan ao trazer questões humanas para o centro da trama. O resultado é um 'plot twist' memorável, um dos desfechos mais impactantes que eu já tive a oportunidade de assistir nos cinemas. 

7º Amnésia (2000)


Assim como em A Chegada, a montagem é um elemento decisivo para a construção do genial 'plot twist' de Amnésia. Sob a batuta do então jovem Christopher Nolan, o longa faz um primoroso uso do transtorno psicológico citado no título ao construir um suspense intrigante e não linear. Manipulando as expectativas do público do começo ao fim, Nolan cria uma história recheada de nuances, culminando num fantástico 'plot twist'. Nele, após uma longa e complexa investigação, o manipulável personagem interpretado por Guy Pearce descobre que ele foi o responsável pela morte da sua esposa e que toda a busca pelo assassino foi uma tentativa de "seguir vivendo". Que desfecho!

6º Os Suspeitos (1995)


Um dos maiores filmes de suspense da década de 1990, Os Suspeitos catapultou a carreira do diretor Bryan Singer. Com uma premissa envolvente, o longa instiga ao acompanhar a investigação de um determinado detetive (Chazz Palminteri) em busca do temido assassino Kaiser Soza. Mais do que um grande suspense policial, Os Suspeitos entrou para o seleto hall das grandes reviravoltas esconder com "unhas e dentes" a identidade do verdadeiro antagonista, construindo um jogo de gato e rato que culmina numa fantástica sequência final. Nela, após uma magnífico lampejo, o detetive descobre que o assassino sempre esteve próximo e que Kaiser Soza, na verdade, era o deficiente e aparentemente inofensivo Verbal (Kevin Spacey). Um 'plot twist' totalmente coerente, impulsionado pelas excepcionais atuações e pela capacidade de Synger em construir uma obra realmente original. 

5º Planeta dos Macacos (1968)


Um astronauta (Charlton Heston) cai num planeta habitado por macacos. Lá, tenta escapar das garras dos seus raptores, buscando uma forma para voltar para o seu querido planeta Terra. Dono de uma das mais icônicas sequências finais da história do cinema, Planeta dos Macacos surpreendeu o espectador com uma implacável reviravolta. Nela, após enfrentar uma série de situações complicadas, o astronauta finalmente consegue escapar da escravidão imposta aos humanos pelos símios. Para a sua (e nossa) surpresa, entretanto, o seu mundo desmorona de vez no momento em que ele se depara com uma destruída Estátua da Liberdade e realiza que já estava no que sobrou do Planeta Terra. Que final!

4º Star Wars: Episódio V: O Império Contra-Ataca (1980)


Esse spoiler eu nem vou proteger. O melhor filme da franquia Star Wars, o Império Contra-Ataca chocou uma legião de fãs ao construir um memorável 'plot twist'. Com a coragem necessária para abalar as estruturas de uma crescente franquia, George Lucas e o diretor Irvin Kershner entregaram um dos diálogos mais icônicos da sétima arte ao revelar que o nefasto Darth Vader era, na verdade, o pai do altruísta Luke Skywalker (Mark Hamill) e que ele era irmão do seu "interesse amoroso", a indomável Princesa Leia (Carrie Fisher). Que coragem!

3º O Sexto Sentido (1999)


Responsável por lançar para o estrelato o então jovem M. Night Shyamalan, O Sexto Sentido conquistou uma legião de fãs ao aproximar as histórias de fantasmas do mundo real. Impulsionado pela presença do astro Bruce Willis, o diretor norte-americano constrói um suspense tenso e amedrontador, uma obra capaz de causar arrepios ao acompanhar a relação entre um infeliz psicologo e o seu jovem paciente. O garoto, interpretado pelo astro mirim Haley Joel Osment, podia ver fantasmas e isso, obviamente, vinha causando muitos problemas na sua vida. Após este pequeno 'plot', entretanto, Shyamalan escreveu o seu nome na história do gênero ao finalmente revelar a verdade por trás desta relação. Com uma explicação totalmente coerente, o realizador chocou o público ao revelar que o psicologo era um fantasma e que o garoto vinha tentando ajuda-lo a se livrar dos temas que ainda o prendiam entre nós. Com um inquestionável fator surpresa, O Sexto Sentido se tornou referência dentro do gênero e inspirou uma série de outros filmes, entre eles os elogiados Os Outros (2001) e O Orfanato (2007). 

2º Psicose (1960)


Com dois estrondosos 'plot twists', Psicose é considerado por muitos o mais ousado filme do mestre do suspende Alfred Hitchcock. Dono de uma fantástica filmografia, o realizador resolveu testar as expectativas do seu público com uma obra à frente do seu tempo. Antes mesmo do lançamento, ele idealizou uma inventiva campanha de marketing, pedindo para que o público não revelasse os segredos do longa após o término da sessão. Uma preocupação, indiscutivelmente, necessária, já que as reviravoltas de Psicose estão entre as maiores do gênero. Logo com quarenta minutos de projeção, Hitchcock mostra um pouco da sua genialidade ao simplesmente matar a sua protagonista, a secretária em fuga interpretada por Janet Leigh. Daí nasce praticamente um novo filme, um suspense psicológico envolvendo um estranho dono de um hotel e uma hóspede em busca de respostas. Após nos brindar com uma série de momentos tensos, o diretor chocou o público ao revelar o segredo por trás do seu antagonista. Mais do que seguir as ordens da sua "ciumenta" mãe, ele, na verdade, encarnava a personalidade da sua finada mãe ao atacar as suas vítimas, um mistério desvendado dentro do impactante clímax. 

1º O Gabinete do Drº Caligari (1920)


O "pai" dos 'plot twists', o Gabinete do Drº Caligari é uma verdadeira pérola do Expressionismo Alemão. Conduzido com maestria por Robert Wiene, o longa se tornou um símbolo dentro do gênero, tendo a sua reviravolta replicada de diversas maneiras ao longo das décadas seguintes. Com uma atmosfera naturalmente sombria, o longa narra as desventuras de Francis, um homem comum intrigado com o show do Drº Caligari, um misterioso vidente que utilizava o sonâmbulo Cesare para descobrir o dia da morte dos membros da plateia. Ao perceber que as previsões dele estavam corretas, ele começa a desconfiar que existe um homem por trás dos misteriosos crimes, buscando provas que pudessem incriminar Caligari e o assombroso Cesare. Fazendo um primoroso uso dos assimétricos cenários, uma característica marcante deste importante movimento, Wiene constrói um suspense ainda hoje instigante, uma obra marcada pela sua incrível reviravolta. Completamente coerente com a proposta do longa, o clímax nos revela que Francis era um paciente de uma clínica psiquiátrica, que Caligari era o seu médico e que todos os episódios narrados por ele eram apenas uma ilusão da sua confusa mente. Um 'plot twist' memorável, que, quase um século depois, foi "reciclado" por Martin Scorsese no igualmente surpreendente A Ilha do Medo. Em suma, pelo seu impacto e pela inquestionável importância história, O Gabinete do Drº Caligari merece ocupar a primeira posição no Top 10 'Plot Twists'. 

Menções (Muito) Honrosas

- Monty Python: Em Busca do Cálice Sagrado (1975)


E quem disse que comédia não pode ter 'plot twist'. Da mente insana da trupe Monty Phyton nasceu Em Busca do Cálice Sagrado, uma comédia medieval sobre um grupo de cavaleiros em busca de um miraculoso artefato. Recheado de impagáveis sequências, o longa atinge o seu ápice no momento em que descobrimos que a história se passa nos dias de hoje e que os cavaleiros são loucos fugitivos de um hospício.

- O Segredo dos Seus Olhos (2009)


Um dos grandes exemplares do cinema argentino, O Segredo dos Seus Olhos é um thriller envolvente com um espetacular clímax. Estrelado pelo astro latino Ricardo Darín, o longa acompanha a longa investigação de dois oficiais em busca do paradeiro do assassino de uma jovem. Eis que, anos mais tarde, a dupla finalmente descobre os motivos do sumiço do autor do crime. Na verdade, ele não havia fugido, mas sim sido raptado pelo pai da vítima e mantido em cativeiro durante vários anos. Que final!

- Um Corpo que Cai (1958)


Uma aula de suspense, Um Corpo que Cai está entre os grandes títulos do gênero. Estiloso e recheado de reviravoltas, o clássico dirigido por Alfred Hitchcock utiliza o medo de altura como o estopim de uma premissa envolvendo morte, traição, paixão e grandes surpresas. Na trama, acompanhamos um detetive com acrofobia (James Stewart) que se sente culpado pela morte de uma das suas investigadas, uma mulher deprimida que era o seu mais novo interesse amoroso. Após anos se recuperando, ele é pego de surpresa ao encontrar uma pessoa idêntica a sua amada. Obcecado, o ex-detetive passa a se envolver com ela, sem saber este caso poderia ressuscitar velhos fantasmas. Envolvente e naturalmente tenso, Um Corpo que Cai atesta a genialidade de Hitchcock no momento em que nos deparamos com o aguardado 'plot twist'. No final das contas, o detetive foi envolvido num complexo assassinato e as duas mulheres eram, na verdade, a mesma pessoa. A sequência final, entretanto, eu vou manter em sigilo, já que nela percebemos a ferocidade deste genuíno mestre do suspense. 

- Medo da Verdade (2007)


Um suspense com forte carga moral, Medo da Verdade mostrou que Ben Affleck é melhor diretor do que ator. Estrelado pelo seu irmão mais novo, o intenso Casey Affleck, o longa esbanja realismo ao acompanhar jornada de um detetive particular em busca do paradeiro de uma garotinha desaparecida. Num cenário urbano cruel e violento, o protagonista invade o submundo em busca de respostas, transitando por um terreno perigoso ao tentar reaproximar a criança da sua viciada mãe. Recheado de momentos tensos e desoladores, Affleck surpreende ao entregar um clímax impactante e uma reflexiva reviravolta. Nela, descobrimos que o autor do crime, na verdade, era o chefe de polícia (Morgan Freeman) e que a garotinha vivia em segurança com a esposa dele. Cego pela justiça, o impulsivo detetive decide denunciar o policial, sem saber que não demoraria muito para a relapsa mãe da criança voltar a abandona-la. Um desfecho corajoso. 

- OldBoy (2003)


Dono do 'plot twist' mais cruel desta lista, Oldboy apresentou o fértil cinema sul-coreano para os ocidentais. Parte da popular Trilogia da Vingança, o longa dirigido por Chan-wook Park acompanha os passos de um homem que, sem motivo aparente, é mantido num cárcere privado quinze anos. Repentinamente solto, ele decide iniciar uma jornada de vingança contra o seu misterioso algoz, sem saber o preço seria bem alto. Recheado de sequências agressivas, Park embrulha o estômago do espectador ao entregar o seu 'plot twist', chocando ao revelar que a jovem que o ajudou durante a sua jornada de vingança era, na verdade, a sua filha. E que os dois vinham mantendo um incestuoso caso de amor. Que plano perverso! 

Mais informações sobre o cinema na nossa página do Facebook e na nossa conta do Twitter

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...