quinta-feira, 24 de março de 2016

Os 'Batmans' e 'Supermans' do Cinema

Conheça as muitas versões destes dois icônicos personagens da DC nas telas grandes



A espera acabou. Nesta quinta-feira chegou aos cinemas o aguardado Batman v Superman: A Origem da Justiça (confira a nossa opinião aqui), longa que promete reorganizar o universo DC nos cinemas. Dirigido por Zack Snyder (300, O Homem de Aço), a película não só irá introduzir os integrantes da Liga da Justiça, como também apresentará a nova e tão comentada versão do Homem-Morcego interpretada por Ben Affleck. À sombra do astro Christian Bale, que, numa atuação visceral, recuperou a aura sombria do personagem na aclamada trilogia Cavaleiro das Trevas, Affleck irá apresentar uma versão mais envelhecida de Bruce Wayne, um homem aparentemente atormentado pelo poder de destruição do seu "rival" alienígena Superman. Este último, aliás, novamente interpretado pelo ator Henry Cavill, que, inegavelmente, se saiu muito bem no papel de Clark Kent ao reintroduzir a franquia no interessante Homem de Aço (2013). Como a maioria sabe, no entanto, a história destes dois icônicos super-heróis da DC nas telas grandes não se resume a Ben Aflleck e Henry Cavill. Aproveitando a estreia de Batman v Superman, neste especial do Cinemaniac confira uma lista com os atores que tiveram a responsabilidade de dar vida as estes importantes personagens dos quadrinhos nos cinemas.


Lewis Wilson - Batman (1943)
Responsável por interpretar a primeira versão do Homem-Morcego, Lewis Wilson foi o escolhido para encarnar o herói no seriado para o cinema intitulado Batman (1943). Escalado aos 23 anos para este importante personagem, o jovem ator deu vida a Bruce Wayne em 15 episódios, no que se tornou o grande papel da sua curta carreira. Exibida durante a Segunda Guerra Mundial, a série colocou Batman lutando contra um espião japonês chamado Dr Daka, o líder de um grupo de traidores decididos a estabelecer o controle japonês sobre a América. 

Kirk Alyn - Superman (1948) e O Homem-Atômico contra o Super-Homem (1950)
Alguns anos depois, mais precisamente em 1948, foi a vez do Homem de Aço ganhar o seu seriado para os cinemas. Estrelado por Kirk Alyn, que voltaria ao papel na continuação O Homem Atômico contra o Super-Homem (1950), Superman era exibido em sessões matinês e acompanhou a chegada de Kal-el a Terra e a sua luta contra a vilã intitulada Mulher-Aranha. Curiosamente, Alyn fez uma ponta não creditada na versão clássica de Superman (1978), interpretando um general de nome Sam Lane. Já na continuação de 1950, o Homem de Aço finalmente introduz o seu maior rival, o ardiloso Lex Luthor e a ameaça da kryptonita.

Robert Lowery - A Volta do Homem-Morcego (1949)
Com alguns roteiros assinados pelo próprio Bob Kane, a grande mente por trás da criação do Batman, o super-herói voltou aos cinemas em 1949 na série A Volta do Homem-Morcego. Estrelada por Robert Lowery, a série apresentou também o fiel escudeiro Robin, interpretado na época por Johnny Duncan. Novamente produzido pela Columbia Pictures, a série colocou Batman contra o misterioso Mago, um sujeito que rouba um controle remoto capaz de controlar todos os veículos da cidade. Diferentemente de Wilson, no entanto, Lowery seguiu atuando após o término da série, marcando presença, inclusive, num episódio da série televisiva Adventure of Superman (1952-1958).

George Reeves - Superman and The Mole Man (1951)
Antes de brilhar na série de TV Adventure of Superman, George Reeves passou na "prova" ao interpretar o Homem de Aço no filme Superman and The Mole Man (1951). Considerado uma espécie de teste para o seriado, o longa de 58 minutos colocou o Super-Homem como o protetor dos Homens Toupeiras, uma espécia subterrânea que teve o seu habitat descoberto após a inauguração do mais profundo poço de petróleo do mundo. Reconhecido pela sua excelente forma física e pela aptidão para as cenas mais perigosas, Reeves se tornou o primeiro ator a ter a sua imagem realmente associada ao Homem de Aço, principalmente após as bem sucedidas seis temporadas da série televisa. Em 1959, no entanto, um ano após o cancelamento do seriado, George Reeves foi encontrado morto em sua casa.

Adam West - Batman: O Homem-Morcego (1966)
Responsável por dar vida a uma das versões mais queridas pelos fãs do quadrinhos, Adam West é até hoje lembrado graças a popular série de TV Batman (1966-1968). Reconhecido pelo visual colorido, pelo tom bem-humorado e por resgatar a maioria dos personagens das história em quadrinhos, a série acabou originando o filme Batman: O Homem Morcego (1966). Distribuído pela 20th Century Fox, o longa resgatou alguns dos mais famosos antagonistas da série, entre eles o popular Coringa (Cesar Romero), Pinguim (Burgess Meredith), Charada (Frank Gorshin) e Mulher-Gato (Lee Meriwether). Na trama, quando Batman descobre que o Comodoro Schmidlapp está em perigo a bordo do seu iate, o super-herói parte numa missa de resgate com o seu batcóptero, sem saber que estava diante de mais um dos nefastos planos dos seus mais temidos rivais.

Christopher Reeve - Superman (1978), Superman II: A Aventura Continua (1980), Superman III (1983) e Superman IV (1987)
Na minha opinião o melhor Homem de Aço dos cinemas, Christopher Reeve se tornou estrela da primeira grande franquia de super-heróis com o aclamado Superman (1978). Num trabalho brilhante de caracterização, o ator encarnou com categoria o senso de justiça e altruísmo do seu personagem, criando uma versão adorada pelos fãs e pela crítica. Dirigido pelo cultuado Richard Donner, o primeiro longa da saga se tornou se tornou um inquestionável sucesso, faturando US$ 355 milhões ao redor do mundo. Reconhecido por este icônico papel, Reeve retornou a franquia nas outras três continuações, mas não conseguiu impedir a derrocada da saga. Além disso, numa daquelas tragédias da vida, o ator ficou tetraplégico ao sofrer um grave acidente em 1995. Nos anos seguintes, já longe do cinema, ele fundou a Christopher Reeve Paralysis Foundation, uma instituição voltada para as vítimas de paralisia, e se tornou também um importante porta-voz na luta pela pesquisa com células tronco. Christopher Reeve faleceu em 2004, aos 52 anos, mas o seu legado como o Homem de Aço segue intacto junto aos fãs do herói da DC.

Michael Keaton - Batman (1989) e Batman: O Retorno (1993)
Assim como Ben Affleck, Michael Keaton precisou conviver com a ira dos fãs mais raivosos ao ser escalado para interpretar o Homem Morcego em Batman (1989). Parceiro de Tim Burton no cultuado Beetlejuice (1988), Keaton assumiu o protagonismo desta adaptação cercado por dúvidas, já que muitos consideravam que ele era baixo demais para o papel e que não tinha o porte físico necessário para dar vida a este icônico herói. Oriundo das comédias, Michael Keaton se dedicou ao projeto com unhas e dentes e, apesar das milhares de cartas contrárias a sua presença, entregou um dos melhores Batmans que o cinema já viu. Na minha opinião, o melhor. Resgatando a atmosfera sombria do personagem, Burton transformou a novo Batman num estrondoso sucesso de público e crítica, arrecadando US$ 411 milhões ao redor do mundo. Keaton, aliás, voltou a interpretar o Homem Morcego no fantástico Batman: O Retorno (1993), um longa que ousou ao apostar numa atmosfera ainda mais dark e violenta.

Val Kilmer - Batman Eternamente (1995)
Sob nova direção, já que a atmosfera mais sombria de Batman: O Retorno não surtiu tanto efeito nas bilheterias, a Warner resolveu entregar a Joel Schumacher (Os Garotos Perdidos) a direção de Batman Eternamente (1995). Numa produção conturbada, coube a Val Kilmer a missão de substituir o elogiado Michael Keaton. E ele, verdade seja dita, se saiu bem. Apesar da relação problemática com Schumacher, Kilmer conseguiu resgatar uma pequena parte da aura sombria construída por Keaton nos dois filmes anteriores, mesmo com a intenção do estúdio em tornar esta continuação mais familiar. Investindo num tom mais irônico, defendido com categoria por Tommy Lee Jones (Duas Caras) e Jim Carrey (Charada), Batman Eternamente foi recebido de maneira morna junto à crítica, mas fez relativo sucesso com o grande público. Não tenho dúvidas em dizer que, apesar dos inúmeros problemas narrativos e dos irritante tom mais leve, Kilmes, Jones e Carrey deram algum sentido a esta adaptação.

George Clooney - Batman e Robin (1997)
Todo o legado construído por Keaton e Burton, no entanto, caiu por terra com o desastroso Batman e Robin (1997). Responsável por dar vida ao pior Homem Morcego da história do cinema, George Clooney - coitado - assumiu uma grande bomba ao estrelar esta odiada continuação. Com o sinal verde da Warner após o sucesso comercial do filme antecessor, Joel Schumacher retornou à direção com a missão de deixar o longa ainda mais leve e familiar. O resultado é intraduzível em palavras. Com direito a uma enxurrada de bizarros gadgets (Batcard, sério?), a uma sucessão de extravagantes trajes, a uma série de vilões canastrões e a direção totalmente equivocada, o longa se tornou um fracasso retumbante ao descaracterizar por completo o personagem criado por Bob Kane. O estrago foi tão grande, mas tão grande, que este icônico herói da DC ganhou um "descanso" de quase uma década nos cinemas.

Christian Bale - Batman Begins (2005), Batman: O Cavaleiro das Trevas (2008) e Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge (2012)
Disposto a apagar a má impressão deixada na segunda metade da década de 1990, os executivos da Warner resolveram repaginar a figura do Homem Morcego nos cinemas. Sem um pingo de humor, o novo Batman encontrou no talento de Christian Bale a roupagem mais sóbria e realística que tanto precisava. Sob a batuta do cultuado Christopher Nolan, o ator abraçou o tormento do seu personagem e se tornou um dos grandes responsáveis pelo êxito do intenso Batman Begins (2005). O ápice desta nova trilogia, no entanto, viria a acontecer três anos mais tarde no espetacular O Cavaleiro das Trevas (2008). No embalo da surtada performance do saudoso Heath Ledger, brilhante ao dar vida a uma versão anarquista do Coringa, o longa se tornou um estrondoso sucesso de público e crítica, ultrapassando a barreira de US$ 1 bilhão nas bilheterias. Com um rival à altura, Bale esbanjou o seu talento ao traduzir as nuances deste novo Batman, se tornando o responsável por uma das versões mais populares do Homem Morcego. Uma pena que, apesar da fantástica bilheteria, o terceiro longa não tenha mantido o nível de excelência dos dois primeiros títulos desta trilogia.

Brandon Routh - Superman: O Retorno (2006)
No rastro de Batman Begins (2005), a Warner resolveu dar uma nova chance para o Homem de Aço nos cinemas. E o escolhido para esta missão foi o esforçado Brandon Routh. Apesar da semelhança física com o herói da DC, o ator esbarrou numa adaptação genérica, um longa correto, mas esquecível. Dirigido por Bryan Singer, que na época já colhia os frutos pelo sucesso da franquia X-Men, o novo Superman foi recebido de maneira positiva pela crítica, mas parece não ter conseguido o mesmo efeito junto ao público. Com um orçamento gigantesco, cerca de US$ 270 milhões, a aventura somou modestos US$ 391 milhões ao redor do mundo, um resultado inegavelmente decepcionante para um personagem deste porte. Brandon Routh, no entanto, entregou uma performance interessante como o novo Clark Kent, resgatando a essência inocente e o espírito altruísta do herói. Curiosamente, após o trabalho neste blockbuster, Routh se dedicou ao circuito mais independente e a TV. Recentemente, inclusive, ele voltou a entrar em contato com a universo DC ao integrar o elenco das séries Flash e Legends of Tomorrow, onde interpreta o super-herói Eléktron.

Henry Cavill - O Homem de Aço (2013) e Batman v Superman (2016)
E chegamos a nova geração dos heróis DC. Com o sucesso da trilogia Cavaleiro das Trevas, a Warner resolveu reintroduzir o icônico Superman no seu universo fílmico com o interessante O Homem de Aço (2013). Ainda que não seja um fã do tom exageradamente sério desta adaptação, nem tão pouco da versão mais raivosa e menos altruísta do personagem, o diretor Zack Snyder fez um bem sucedido trabalho ao construir um filme de ação naturalmente empolgante. Méritos para Henry Cavill que, numa atuação extremamente convincente, se revelou uma escolha certeira para um filme deste porte. Capaz de suportar a grandiloquência da trama, o ator entregou uma elogiada performance, tanto nas fantásticas cenas de ação, quando nos momentos mais humanos, contornando a excessiva sobriedade da trama com absoluta categoria. Como curiosidade, vale lembrar que o novo Superman é interpretado por um ator inglês. 

Ben Affleck - Batman v Superman (2016)
Assim como Michael Keaton no passado, a escolha de Ben Affleck para o papel do Homem Morcego se revelou uma daquelas opções no mínimo polêmicas. Dono de uma filmografia oscilante, Affleck parece ter amadurecido com o passar dos anos. Vencedor do Oscar por Argo, o ator abraçou com convicção alguns papéis mais sérios, se saindo muitíssimo bem em títulos como Garota Exemplar (2014), Amor Pleno (2012) e o excelente Atração Perigosa (2010). Este último, aliás, foi o longa que me fez acreditar no potencial do ator para um personagem do porte do Batman. O resultado, felizmente, é extremamente satisfatório. Apesar dos problemas narrativos e do tom novamente excessivamente sombrio do longa. Affleck abraça os tormentos do seu Batman com absoluta categoria, se revelando um dos principais acertos desta nova adaptação. 

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...