quinta-feira, 23 de julho de 2015

Top 10 (Adaptações de games que não fizeram feio nas telonas)


E neste final de semana chega ao cinemas a aventura Pixels (confira a nossa opinião aqui), novo longa do talentoso diretor Chris Columbus (Esqueceram de Mim, Harry Potter e a Pedra Filosofal). Colocando os clássicos games da década de 1980 como uma arma alienígena, a película estrelada por Adam Sandler, Peter Dinklage, Josh Gad e Michelle Monaghan se destaca ao dar vida a icônicos personagens como Pac-Man e Donkey Kong. Procurando repetir o sucesso de Detona Ralph (2012), animação indicada ao Oscar que também tirou um belo proveito do universo dos games, Pixels irá lutar contra o estigma que - geralmente com razão - condena os filmes baseados em populares jogos eletrônicos. Neste Top 10 Cinemaniac, no entanto, vamos lembrar que "para toda regra existe uma exceção" e citar dez adaptações de games que não fizeram feio nas telonas.

10º Battleship: A Batalha dos Mares (2012)
E já começo a lista com uma opção polêmica. Mesmo sem ser um grande filme, Batalha dos Mares merece estar nesta Top 10 pela criatividade com que levou para os cinemas o famoso jogo de tabuleiro Batalha Naval. Confesso que desde o anúncio deste projeto, fiquei curioso para ver como aquele joguinho bastante simples viraria um longa metragem. O resultado é um longa igualmente raso, mas esperto ao explorar a mecânica do jogo. Dirigido por Peter Berg e estrelado por nomes como os de Taylor Kitsch e Rihanna (????), o divertido e explosivo filme demonstrou inspiração ao brincar com os quadrantes deste game, colocando um navio sucateado como a última resistência contra uma invasão alienígena. Ainda que tenha muitos problemas, é inegável que Battleship vale como diversão e funciona dentro do que se propõe. Com orçamento de US$ 209 milhões, o longa não foi bem nas bilheterias e faturou US$ 303 milhões ao redor do mundo. 

9º Lara Croft - Tomb Raider (2001)
Acertando em cheio na escolha da protagonista, Lara Croft - Tomb Raider vai além da presença de Angelina Jolie. Numa época em que as personagens femininas dificilmente estrelavam filmes do gênero, a adaptação do clássico jogo Tomb Raider procurou se manter fiel ao clima de aventura da popular franquia de games. Dirigido por Simon West (Con Air), o longa coloca Lara contra uma sociedade secreta, tentando se inspirar na atmosfera de clássicos do gênero como Os Caçadores da Arca Perdida. Por mais que o argumento não demonstre lá grande inspiração, Tomb Raider é leve e divertido, e após o interessante desempenho nas bilheterias acabou ganhando uma continuação do mesmo nível. Com orçamento de US$ 115 milhões, Tomb Raider faturou US$ 274 milhões internacionalmente.  

8º Hitman - Assassino 47 (2007)
Mais uma adaptação que acertou em cheio na escolha do protagonista, Hitman - Assassino 47 se esforçou para seguir a atmosfera do popular jogo de tiro. Narrando as missões de um assassino profissional, que no longa é vivido por Timothy Olyphant (Show de Vizinha), Hitman funciona graças as eficientes sequências de ação e ao carisma do personagem que dá título ao longa. Obviamente, como em grande parte das adaptações do universo dos games, aconteceram uma série de mudanças em relação a premissa dos jogo, mas as alterações se mostram funcionais dentro do superficial argumento. Dirigido com agilidade por Xavier Gens (O Abrigo), Hitman faturou cerca de US$ 99 milhões ao redor do mundo, superando a péssima recepção por parte da crítica internacional. Divertido, mas esquecível, Assassino 47 mostra dignidade ao levar este reconhecido jogo para as telonas. 

7º Max Payne (2008)
Outra escolha polêmica desta lista. Apesar das criticas negativas envolvendo a falta de fidelidade ao universo do game e os muitos problemas no roteiro, Max Payne é um thriller de ação que me comprou pelo seu estilo. Estrelado por Mark Wahlberg, o longa dirigido por John Moore (Atrás das Linhas Inimigas) resolveu apostar em alguns elementos particulares ao narrar a história de um detetive atormentado pela perda de sua família. Com uma fotografia soturna e interessantes efeitos visuais, Max Payne faturou US$ 85 milhões ao redor do mundo, se distanciando das fórmulas dos jogos originais ao promover uma rasa, mas estilosa adaptação. 

6º Need for Speed (2014)
Muito criticado pela mídia internacional, Need for Speed é uma versão digna da popular franquia de carros. Numa adaptação livre deste jogo de corrida, o diretor Scott Waugh (Ato de Valor) procurou valorizar ao máximo a essência do game: a velocidade. Apostando num fiapo de história e no carisma do protagonista Aaron Paul (Breaking Bad), o longa não perde tempo com muitas firulas narrativas e promove uma ágil corrida ao longo das exageradas duas horas e dez de projeção. Contando com as mais furiosas máquinas sobre rodas e com empolgantes sequências de ação, Need for Speed não faz feio e oferece uma diversão honesta para os fãs do gênero. Mesmo sem ir bem nos EUA, onde faturou US$ 44 milhões, o longa se saiu bem nos mercados internacionais e faturou US$ 203 milhões ao redor do mundo. Ahh e vale destacar também a beleza de Imogen Potts, que traz um charme todo especial a esta adaptação.

5º Príncipe da Pérsia - As Areias do Tempo (2010)
Inspirado num verdadeiro clássico dos vídeo-games, o Príncipe da Pérsia - As Areias do Tempo adapta com habilidade uma versão mais recente do jogo. Estrelado pelo talentoso Jake Gyllenhall, o longa dirigido pelo experiente Mike Newell (Donnie Brasco) é uma caprichada aventura que acabou não sendo tão bem recebida pelo público. Com efeitos visuais bem concebidos e um competente elenco de apoio, capitaneado por nomes como os de Ben Kingsley, Gemma Arterton e Alfred Molina, o longa oferece não só um entretenimento de qualidade, mas também uma adaptação fiel envolvendo a jornada do Príncipe Dastan. Criado para ser um grande blockbuster, As Areias do Tempo teve um gigantesco orçamento de US$ 200 milhões e faturou "modestos" US$ 336 milhões nas bilheterias de todo o mundo. 

4º Detona Ralph (2012)
Mesmo não sendo propriamente uma adaptação de um game, Detona Ralph é uma divertida homenagem a alguns dos mais clássicos jogos. Trazendo personagens como Zangief (Street Fighter), Bowser (Super Mario Bros), M. Bison (Street Fighter), Sonic (Sonic - The Hedgehog) e Pac-Man, a cativante animação narra a jornada de redenção de um vilão que se cansa da sua realidade. Fazendo referência a jogos como Mario Kart, Donkey Kong (1981) e ao popular universo dos games em primeira pessoa, o longa nos apresentou ainda a personagens como o carismático Ralph, o certinho Félix e a adorável Vanellope. Sem dúvidas, um dos melhores filmes desta lista. Vale lembrar que o longa fez grande sucesso junto ao público, e com orçamento de US$ 165 milhões faturou expressivos US$ 471 milhões em todo mundo. 

3º Terror em Sillent Hill (2006)
Extremamente subestimado, Terror em Sillent Hill impressiona ao se manter fiel a atmosfera sombria do popular game de horror. Ainda que tenha apostando em personagens diferentes, o longa dirigido por Christophe Gans (O Pacto dos Lobos) é impecável ao capturar os elementos sinistros em torno do game, apostando em personagens esteticamente assustadores, em soluções narrativas interessantes e numa trama absolutamente bem resolvida. Estrelado pelos competentes Sean Bean (Game of Thrones), Radha Mitchell (Melinda e Melinda ) e  Jodelle Ferland (O Homem das Sombras), Terror em Sillent custou US$ 50 milhões e faturou US$ 97 milhões ao redor do mundo. Apesar das críticas oscilantes, o longa ganhou uma desastrada continuação, essa sim amplamente condenada pela mídia especializada. 

2º Mortal Kombat (1995)
Numa época em que as adaptações de games não presavam pela fidelidade, vide títulos como Super Mario Bros (1993), Street Fighter (1994) e Double Dragon - O Filme (1994), Mortal Kombat chegou para comprovar que os jogos poderiam ser filmados se mantendo fiel ao seu material de origem. Dirigido pelo então jovem Paul W.S Anderson, que viria mais a frente acertar em cheio com outra franquia de games, o longa conquistou os fãs ao se preocupar com os detalhes em torno dos clássicos personagens deste jogo. Se mantendo fiel também a estrutura do game, um clássico das lutas no arcade, o longa estrelado por Christopher Lambert (Raiden), Robin Shou (Liu Kang), Bridgette Wilson (Sonya Blade), Linden Ashby (Johnny Cage) e Cary-Hiroyuki Tagawa (Shang Tsung) fez sucesso junto ao público ao mostrar empolgantes batalhas e personagens muito bem caracterizados. Bem recebido pelos fãs do game, o longa faturou US$ 122 milhões ao redor do mundo, comprovando a popularidade da franquia de lutas. Na ânsia de repetir a fórmula, no entanto, Mortal Kombat - A Aniquilação (1997) chegou aos cinemas dois anos depois destruindo a boa reputação construída pelo seu antecessor. Já sem Anderson, o longa até acertou novamente na caracterização dos personagens do game, mas esbarrou num péssimo argumento e no baixo investimento nos efeitos especiais. 


1º Resident Evil: Apocalypse (2004)
E o nosso primeiro lugar não poderia ir para outra franquia. Dirigido novamente por Paul W.S Anderson, Resident Evil: O Hospede Maldito deu start a uma série que já chegou a cinco filmes. Estrelada por Milla Jovovich, que é casada com Anderson, o primeiro longa da série conseguiu capturar a atmosfera do clássico jogo de terror, narrando as trágicas consequências do vazamento de um vírus criado pelo nefasto laboratório Umbrella. Trazendo no elenco nomes como os de Michele Rodriguez e James Purefoy, a adaptação se distanciou um pouco da trama do icônico game criado por Shinji Mikami, mas se manteve fiel a linha narrativa do jogo. Trocando a mansão pelo laboratório da Umbrela, o longa soube tirar proveito do clima soturno, explorando habilmente elementos como os zumbis cachorros e as metamorfoses causadas pelo vírus. O melhor longa da série, no entanto, é Resident Evil: Apocalypse (2004), de longe o trabalho mais fiel a obra nipônica. Trazendo o destruidor antagonista Nêmesis, o longa novamente estrelado por Jovovich procurou reproduzir - até mesmo - algumas sequências do jogo, abrindo espaço para a protagonista da franquia Jill Valentine (Sienna Guillory). Com orçamento de US$ 45 milhões, Apocalypse faturou US$ 129 milhões em todo mundo, um valor interessante para um longa de alta censura. 

Game Over: Super Mario Bros (1993), Wing Comander (1999), House of Dead (2003), Alone in The Dark (2005), BloodRayne (2005), DOA - Vivo ou Morto (2006), The King of Fighters - A Batalha Final (2009), Street Fighter - A Lenda de Chun-Li (2009) e Tekken (2010).

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...