quinta-feira, 25 de junho de 2015

Cinemaniac Indica (Férias Frustradas de Verão)


Apesar do genérico título brasileiro passar uma impressão equivocada, Férias Frustradas de Verão surpreende ao nos apresentar um bem humorado romance recheado de interessantes reflexões. Nos conduzindo pela pluralidade do final da década de 1980, o diretor Greg Mottola promove um atemporal relato sobre a juventude, destacando de maneira altamente cativante os anseios, as decepções, os romances e as incoerências desta fase da vida. Contando com um elenco absolutamente afiado, capitaneado pelos talentosos Jesse Eisenberg (A Rede Social) e Kristen Stewart (Acima das Nuvens), este caprichado longa conquista não só pela inebriante atmosfera oitentista e pela espetacular trilha sonora, mas também pela forma como questiona alguns dos enraizados dogmas envolvendo os relacionamentos.


Utilizando um parque de diversões como um curioso pano de fundo para um apaixonante romance, o argumento também assinado por Mottola foge do lugar comum pela forma universal como aborda a juventude. Ainda que o longa se passe numa época bem específica, o realizador faz questão de trabalhar com arquétipos extremamente atuais, e dilemas compatíveis com as mais variadas gerações. Apostando num humor afiado, que ganha corpo através dos expressivos coadjuvantes, o filme narra a jornada de James (Eisenberg), um jovem cheio de planos que vive a expectativa de viajar pela Europa após terminar o colegial. Aprovado numa renomada universidade de Nova Iorque, James tem os seus sonhos frustrados quando a sua família entra numa crise financeira e decide mudar o padrão de vida. Obrigado a morar no interior, ele resolve arranjar um emprego de férias para manter os seus sonhos, e após algumas recursas aceita trabalhar no Adventure Land, um popular parque de diversões da região. Inicialmente decepcionado, ele enxerga um horizonte ao conhecer a bela Ern (Stewart), uma rebelde garota que também trabalhava no lugar. Encantando por ela, o romântico James se esforça para iniciar um relacionamento com ela, sem saber que Ern já vivia um escondido caso de amor com o enigmático Connell (Ryan Reinolds).


A partir desta premissa aparentemente inofensiva, Greg Mottola constrói uma trama nitidamente particular. Mesmo sem recorrer à soluções ousadas ou firulas narrativas, o realizador é perspicaz ao utilizar um parque de diversões como um cenário peculiar para desenvolver este maduro romance. Através de uma premissa verdadeiramente humana, o longa brinca com os clichês ao propor uma inversão na dinâmica do gênero, já que enquanto James recebe o rótulo de romântico incorrigível, Ern vive uma confusa jovem envolvida num relacionamento nada idealizado. Embalado pelas preciosas atuações de Jesse Eisenberg e da injustiçada Kristen Stewart, que exalam química em cena, Mottola se apropria destes esteriótipos para questionar as hipocrisias morais em torno de uma relação amorosa, defendendo com afinco a igualdade de gêneros. Além disso, em meio as idas e vindas deste projeto de namoro, Férias Frustradas de Verão é habilidoso ao refletir sobre a juventude e as dificuldades envolvendo a transição da adolescência para a fase adulta. Contando com um texto ágil e realmente esperto, o longa se destaca também pelos carismáticos personagens de apoio. A começar pelo 'looser' Joel, vivido com brilhantismo por Martin Star (Silicon Valley). Interpretando um jovem deslocado e de baixa estima, Star convence como o melhor amigo de James, dividindo a tela em alguns dos mais interessantes diálogos. Rivalizando com Stewart, a estonteante Margarita Levieva (O Poder e a Lei) também rouba a cena. Á frente da espevitada Lisa P, a atriz russa encanta ao dar contornos elaborados a 'sex symbol' do parque, construindo uma relação igualmente cativante com James.


Trazendo ainda os ótimos Bill Hader e Kristen Wiig (Irmãos Desastre), hilários como os excêntricos donos do parque, e Ryan Reinolds (A Proposta), propositalmente frio ao viver o nebuloso Connell, o Férias Frustradas de Verão é certeiro também na concepção da atmosfera oitentista. Apostando num figurino caprichado, que consegue capturar a transição estética da década de 1980 para 1990, o longa encontra a sua cereja no bolo na espetacular trilha sonora. Indo do pop ao rock com grande fluidez, Greg Mottola usa as canções como um complemento de suas cenas, fazendo um belo uso de nomes como os de Lou Reed, INXS, David Bowie, e The Cure. Com destaque para a sequência ao som de 'Breaking the Law', um dos maiores hit da banda Judas Priest. Uma diversão altamente satisfatória, esta comédia romântica adolescente mostra o talento de Greg Mottola, que após empolgar com o ácido SuperBad - É Hoje (2007), evidencia aqui uma dose a mais de maturidade neste leve e genuinamente atraente relato sobre a juventude. 

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...