quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Motoqueiro Fantasma 2: O Espírito da Vingança

Enfim temos um Johnny Blaze de verdade


Falar que O Motoqueiro Fantasma 2: Espírito da Vingança é melhor que o seu original, na verdadem não representa qualquer tipo de mérito para a nova adaptação do herói Marvel. Afinal, após o pífio primeiro filme, qualquer trabalho regular já seria suficiente para conseguir um desempenho melhor. Felizmente, cinco anos após a primeira adaptação, a dupla Mark Neveldine e Brian Taylor (Adrenalina) resolveram apostar num "verdadeiro" Motoqueiro Fantasma. O resultado é um trabalho de personalidade da dupla, que consegue encontrar a essência do personagem, com direito a ação de extrema qualidade e uma trama que peca pela obviedade. 

Nada que estrague o filme, é verdade, até porque o "novo" Motoqueiro Fantasma privilegia a ação em detrimento da história. Com o já conhecido frenesi que vem marcando a carreira da dupla, Motoqueiro Fantasma 2 empolga pelo seu ritmo alucinante. Apostando numa trama rala, mas eficiente em sua proposta, o novo longa tem um ritmo quase surtado, acompanhando esse novo Blaze da dupla Mark Neveldine e Brian Taylor. Se no primeiro longa o personagem interpretado por Nicolas Cage era quase um paladino da justiça, aqui temos um "motoqueiro" vingativo e insano. Na trama roteirizada por Scott M. Gimple e Seth Hoffman, após o frustrante pacto com o coisa ruim, Johnny Blaze parte para a europa oriental na tentativa de esconder o seu incendiário alter-ego. O problema é que Blaze acaba ganhando uma missão divina, proteger o jovem Danny (Fergus Riordan) do seu pai, "nada mais, nada menos" que o próprio diabo Roarke (Ciarán Hinds). Para isso ele ganha a ajuda de Monroe (Idris Elba), um sarcástico e guerreiro padre, e Nadya (Violante Placido), a bela mãe de Danny, que juntos terão a missão de evitar o apocalipse.


Se amparando nos clichês para dar ritmo a trama, apesar de algumas soluções interessantes, Motoqueiro Fantasma 2 consegue um resultado acima da média graças a ação de qualidade apresentada pela dupla de diretores. Com um visual de tirar o fôlego, principalmente pela bem explicada caracterização dark e sombria de Johnny Blaze, a continuação nos brinda com cenas empolgantes. Apostando numa câmera sempre em cima dos personagens e em takes repletos de cortes, a dupla Neveldine\Taylor mostra que sabe filmar no gênero como ninguém. Vale destacar aqui o  trabalho realizado pela equipe de efeitos digitais que, após a versão light da Disney, apresenta um personagem quase novo, com uma atmosfera bem mais assustadora e condizente com a história de Johnny Blaze. O resultado é ainda melhor nos embates do "motoqueiro", que acabam ganhando takes de maiores proporções, principalmente quando Blaze assume uma gigantesca máquina em um ferro velho. Efeitos, que aliás, funcionam muito bem no 3-D conseguindo impressionar em diversos momentos da projeção.


Curiosamente, ou não, a outra grande mudança neste "novo" Motoqueiro Fantasma está na manutenção de Nicolas Cage como protagonista. Com uma interpretação bem mais intensa e eficiente, Cage cada vez mais mostra talento para interpretar personagens surtados. Foi assim, recentemente, em Kick Ass, no ótimo Vício Frenético e agora em O  Espirito da Vingança. Mesclando humor à um certo ar insano - nos poucos momentos que aparece de cara limpa - Cage mostra um desempenho acima da média numa convincente atuação. O mesmo pode se dizer de Idris Elba e Ciarán Hinds, que acrescentam qualidade ao elenco de apoio e vão bem na pele de Monroe e da encarnação do diabo. Em compensação, apesar da beleza, Violante Placido não funciona no filme, seja como mãe zelosa, seja como possível interesse romântico de Blaze.

Entretenimento de qualidade, mesmo sem ir muito longe, O Motoqueiro Fantasma 2 consegue cumprir o prometido. Com ação de qualidade, trilha sonora pesada, efeitos visuais de arrepiar e trama batida, entre erros e acertos O Espírito da Vingança consegue apagar a má impressão deixada no primeiro longa e, começando do zero, cria um personagem bem mais ligado aos quadrinhos da Marvel.


2 comentários:

Amanda Aouad disse...

Interessante, confesso que fiquei com medo do filme, mas fiquei até curiosa agora, vou tentar criar coragem.

abraços

thicarvalho disse...

Veja sim Amanda, principalmente se curtir o gênero. Bjs.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...