terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Missão Impossível 4: O Protocolo Fantasma


Brad Bird, Jeremy Renner e velha turma fazem de Missão Impossível 4 uma grande diversão

Esqueça os filmes de espionagem que você está acostumado a ver. Sem se levar tão a sério, MI 4: O Protocolo Fantasma aposta numa fórmula leve e extremamente divertida, que transforma esta continuação no mais eletrizante filme da série. Com direção de Brad Bird (Ratatouille), que aqui tem a primeira oportunidade de conduzir atores em live-action, o "novo" Missão Impossível ganha na personalidade, foge dos velhos padrões do gênero, e consegue aliar trama eficiente à empolgantes sequências de ação. O resultado é entretenimento da mais alta qualidade.

Com roteiro assinado pela dupla Josh Appelbaum e André Nemec, Missão Impossível 4, traz novamente o agente secreto Ethan Hunt (Tom Cruise), que após ter uma missão sabotada na Russia, é desautorizado pelo presidente dos Estados Unidos, ao ser acusado por um bombardeio no Kremlin. Tem início então o Protocolo Fantasma, ação promovida pelo governo americano para acabar com os agentes da IMF, agência pela qual ele agia. Sem qualquer recurso ou apoio, Ethan precisa encontrar  agora um meio de limpar seu nome e o da sua agência. Para isso, reúne o que restou da IMF, os agora agente Benji (Simon Pegg) e Jane (Paula Patton), e com a ajuda de Brandt (Jeremy Renner), um ex-agente que agora trabalha como analista, o grupo vai tentar evitar um ataque nuclear aos EUA.

Dirigido com originalidade pelo diretor Brad Bird, apesar da trama não apresentar nenhuma grande novidade para o espectador, o roteiro é bem amarrado e dá ritmo as sufocantes sequências de ação conduzidas por Bird - a cena da escalada de Cruise no prédio em Dubai é daquelas inesquecíveis. Conseguindo explorar esse fato, e o talento do seu elenco, o roteiro opta por uma narrativa leve e descontraída, que não perde a seriedade quando necessário. Fato que não impede a trama de ter algumas falhas, principalmente, quanto a utilização do seu vilão. Se nos longas anteriores, os antagonistas tinham grande espaço e quase que dividiam as atenções no filme, em MI 4 eles ocupam um papel secundário e de pouca expressão. Explorados quase sempre em fotos, ou em cenas de perseguição, o vilão não ganha corpo em MI 4, opção que acaba contribuindo para a diminuição do peso da trama. 

Com relação ao elenco, se nos longas anteriores o sucesso de Missão Impossível estava diretamente ligado ao astro Tom Cruise, nesta continuação as responsabilidades são compartilhadas. Além de Cruise e do comediante Simon Pegg (Todo Mundo Quase Morto), que já faziam parte da série, MI 4 ganha os reforços de Jeremy Renner (Guerra ao Terror) e Paula Patton (Deja Vu), dupla responsável por uma revitalizada na franquia. Mostrando estar à vontade na pele de um bem humorado e eficiente ex-agente, Renner acaba roubando a cena em quase todas as participações e deixa a impressão que veio para ficar. O mesmo pode se dizer de Paula Patton, que esbanjando charme e capacidade nas sequencias mais físicas, consegue também um desempenho de alto nível. Apesar desse "sangue novo", Tom Cruise segue como a cara da franquia e aqui tem mais uma eficiente e carismática atuação. Deixando claro que a idade ainda não é problema, Cruise demonstra grande perícia nas cenas de ação e não decepciona também nos - raros - momentos mais sérios. Por falar em seriedade, o comediante inglês Simon Pegg ganha mais espaço nesta continuação, protagoniza boas piadas - principalmente com os seus aparatos científicos - contribuindo para essa nova atmosfera mais leve da franquia. Vale destacar ainda a pequena participação de Tom Wilkison (Conduta de Risco) e a presença de Léa Seydoux (Robin Hood), que na pele de uma assassina mercenária, mesmo com o pouco tempo em cena, deixa uma ótima impressão. 

Divertido e empolgante, Missão Impossivel 4: O Protocolo Fantasma pode ser encarado como muito mais do que um bom filme. É um divisor de águas na franquia que ganha uma nova cara nas mãos de Brad Bird. Uma personalidade mais original que, no entanto, não esquece o seu passado. Méritos para Bird, que consegue equilibrar bem a ação e a comédia, criando talvez uma nova fórmula para o sucesso da franquia.


2 comentários:

Gabriel Monteiro disse...

Pelo trailer já posso afirmar o quão bom o filme é! Estou certo?

thicarvalho disse...

Está sim gabriel. No mínimo empolgante. Assista e divirta-se. Abs e valeu pela visita.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...