sábado, 12 de dezembro de 2009

Cinemaniac Indica (Monstros)

A década de 1930 ficou conhecida por revelar os maiores e mais famosos monstros da história do cinema. Personagens como Drácula, Frankstein, Lobisomen e Zumbis se popularizaram neste período e até hoje continuam sendo utilizados pelo cinema. Aproveitando o sucesso comercial deste gênero de filmes, o diretor Tod Browing resolveu arriscar tudo e mostrar os verdadeiros "monstros" da sociedade. Neste contexto, o diretor lançou no ano de 1932 o longa-metragem Monstros, um dos filmes mais ousados e inovadores da história do cinema.

Famoso por dirigir o clássico Drácula, em 1931, Tod Browning resolveu chocar a sociedade e mostrar que as aparências quase sempre enganam. Muito criticado pela falta de inovação técnica, apesar do iminente sucesso comercial de Drácula, o diretor quis mostrar que poderia ousar. A escolha então não poderia ser mais brilhante.  Browning resolveu evidenciar nas telas de cinemas, seres humanos que realmente eram considerados "freaks" (ou aberrações, na tradução) pela sociedade. Para isso, em vez da maquiagem ou dos efeitos visuais, Tod resolveu buscar pessoas com deficiências físicas em atrações circenses, como os populares Circo dos Horrores, espetáculos muito comuns naquele período. O resultado é chocante, mas ao mesmo tempo deslumbrante. Contrapondo a rotina das pessoas consideradas perfeitas pela sociedade, às deficientes, Browning consegue fazer uma das maiores e mais evidentes criticas sociais já realizadas na história do cinema.

Se aproveitando da paixão pelo circo, que o motivou a inclusive fugir de casa na década de 1910, o diretor consegue mostrar à fundo a vida por trás das lonas. Destacando atrações circenses famosas daquele período, como os Irmãos Earles, as gêmeas siamesas Violet e Daysi Hilton e o famoso homem torso Prince Randian, o filme mostra todo o preconceito latente na sociedade daquele período. A situação era tão alarmante, que até mesmo o próprio estúdio MGM resolveu separar os atores deficientes dos considerados "normais".  Muitos atores, inclusive, se recusavam a conviver com os considerados "freaks", mantendo a relação no profissional. Mostrando a rotina destes personagens no circo, e a relação diária deles com as figuras "normais", Tod Browning procura evidenciar este preconceito. Além disto, o diretor não busca apenas ressaltar este grave problema social, como também destacar que na verdade a perfeição não deve ser atribuída através da aparência física, mas sim, pelo modo de agir do indivíduo.

Com uma narrativa bastante inovadora, Tod Browning aproveita muito bem as quase 1 h e 10 de filme para mostrar a rotina de vida destas pessoas e quanto elas sofrem com a rejeição. O interessante é que o diretor consegue isto sem coloca-los como pobres coitados ou incapazes. Na verdade, ele busca destacar a força de cada personagem, a personalidade e o modo particular de cada um lidar com a sua deficiência. Além disto, o diretor é um dos primeiros a utilizar o desfecho como introdução na história, o que se tornou muito comum nos dias de hoje. 


Monstros conta a história da inescrupulosa e bela trapezista Cleópatra. Grande atração do circo, Cleópatra é o sonho de consumo de todos os homens, e principalmente, do pequeno anão Hans. Ao saber que Hans é herdeiro de uma grande fortuna, a trapezista decide, junto com o amante Hércules, montar um golpe, casando-se com ele, envenenando-o e herdando a sua fortuna. Mas o plano é descoberto pelos amigos ” monstrinhos” de Hans e a vingança acontece.

Infelizmente o preconceito da sociedade era tão grande, que Monstros acabou censurado em toda a América e em mais de 28 países, se tornando um grande fracasso comercial. Além disto, as críticas foram muito pesadas, contribuindo para que o filme não conseguisse o sucesso nos locais em que não foi vetado. Para se ter uma noção exata do choque naquele período, reza a lenda que um espectadora resolveu processar a MGM, alegando que o filme a fez ter um aborto espontâneo. O resultado foi péssimo para a já fragilizada carreira de Tod Browning, que em 1939 resolveu se aposentar dos cinemas, em função dos muitos fracassos financeiros. Apesar de ter custado a sua carreira, Monstros foi um dos mais vanguardistas trabalhos já feitos na história do cinema, e sem dúvidas, valeu por toda a trajetória cinematográfica de Browning. Não deixe de assistir esta grande crítica feita pelo diretor, cheio de humor-negro e brilhantismo, que ainda hoje, não é tão fácil de se digerir.

2 comentários:

Jardel Nunes disse...

Sempre tive curiosidade de assistir a esse filme, mas nunca o fiz... tenho que tomar vergonha na cara e olhar uma hora dessas. Infelizmente nunca o vi em nenhuma locadora, provavelmente vou ter que apelar para a internet (não querendo fazer apologia a nada, hehe).

Interessante o fato de vc falar da duração do filme em quase 1 hora e 10 min... os filmes eram curtos naquela época né. Hoje em dia, qualquer filme tem mais de 1h40min.. Interessante isso.

Abraço

thicarvalho disse...

Olá Jardel, mais uma vez obrigado pela visita. Veja siom Monstros, pq é uma excelente obra. A dica q te dou é q fique ligado em canais como TCM e TC Cult, pois olá sempre são exibidos bons clássicos do cinema. Inclusive, vi este no TCM. Quanto ao tempo dos filmes, realmente no passado eles eram bem curtos. A partir da década de 1930 q eles realmente passaram a ganhar mais tempo. Espero que goste das dicas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...