quinta-feira, 3 de julho de 2014

Vizinhos

Um inusitado duelo de estereótipos.

Um se popularizou vivendo basicamente o mesmo tipo: o imaturo e divertido maconheiro nerd. Já o outro, oriundo de uma trilogia teen, se acostumou a viver o popular adolescente descolado, do tipo que arranca suspiro das garotas e a inveja dos marmanjos. Explorando estas duas personas totalmente diferentes, a comédia Vizinhos promove um inusitado duelo de gerações entre um pai de família de primeira viagem e o perturbado líder de uma fraternidade. Contando com o carisma da dupla Seth Rogen e Zac Efron, somada a versatilidade da bela Rose Byrne, o longa dirigido por Nicolas Stoller (A Ressaca do Amor) empolga pela forma descarada como constrói todo esse improvável e politicamente incorreto cenário.

Trazendo uma série de inspiradas referências ao universo pop, e um elenco que não se incomoda em rir de si mesmo, o roteiro assinado pela inexperiente dupla Andrew J. Cohen e Brendan O'Brien é eficiente ao construir a rivalidade entre os vizinhos. Ainda que a qualidade do humor não seja tão bem equilibrada, oscilando entre cenas realmente hilárias e momentos completamente descartáveis, a trama abre espaço para um bem vindo tom satírico. Neste cenário, conhecemos o casal Mac (Seth Rogen) e Kelly (Rose Byrne), pais de primeira viagem que resolvem se mudar para um calmo bairro de classe média. Tentando se acostumar a essa nova rotina, o casal é pego de surpresa ao se deparar com os seus novos vizinhos: uma fraternidade de uma universidade local.


Temendo que os jovens fossem fazer barulho excessivo, Mac e Kelly decidem adotar a politica da boa vizinhança. Após uma noitada junto dos jovens da Delta Psi, o casal conhece o persuasivo Teddy (Zac Efron) e o simpático Pete (Dave Franco), respectivamente presidente e vice desta república. Acreditando que os dois teriam o mínimo de zelo com a vizinhança, Mac promete nunca denuncia-los para a polícia. Um dia depois, após uma série de pedidos, o casal se irrita com o som muito alto e decide fazer uma reclamação anônima. Eles, no entanto, não contavam que o oficial de plantão os dedurasse aos dois jovens. Irritados, Pete e Teddy resolvem passar a infernizar a vida do jovem casal, fato que acaba iniciando uma rixa de grandes proporções entre estes dois vizinhos.


Sem se preocupar com desnecessárias lições de moral, Nicolas Stoller brinca com os estereótipos e os clichês do gênero ao promover este divertido embate. Apostando no humor mais físico, com direito a fofa utilização da bebê Stella (vivida pelas gêmeas Elise e Zoey Vargas), é interessante ver como a trama consegue fazer rir mesmo quando não se concentra na empolgante briga entre os vizinhos. Ainda que brevemente, os roteiristas abrem um bem-vindo espaço para os dilemas envolvendo um casal e o esforço deles em se adaptar a uma nova rotina. Contando com a latente química entre os protagonistas Seth Rogen e Rose Byrne, Stoller é habilidoso ao abordar o medo e as incertezas dos dois no que diz respeito ao futuro da relação com a chegada da primeira filha.


Desde a primeira cena, quando o casal não consegue fazer sexo em função da presença da carismática Estella, percebemos que esse tema acabará servindo de pano de fundo para toda a trama. Melhor ainda, no entanto, é a forma como o roteiro transforma o medo da rotina numa espécie de estopim para a reação do casal contra os vizinhos. Com direito a bem concebidos ataques e elaborados planos contra o distorcido código de ética dentro da fraternidade. Uma pena que o confronto entre as diferentes realidades de Mac e Teddy não seja colocado tanto em evidência, assim como os dilemas dos dois em relação aos seus respectivos futuros. Até em cima disso, aliás, o argumento também vacila ao desenvolver o "bromance" entre Teddy e Pete, principalmente quando o assunto é o destino dos dois pós-universidade. A divertida cena final entre eles, por exemplo, deixa claro que esse tema poderia ser mais explorado.


Contando com um elenco afiado, com destaque para os divertidos Dave Franco (Anjos da Lei), Carla Gallo (Super Bad) e Ike Barinholtz (da série de TV Eastbound e Down), Vizinhos é mais um acerto na competente carreira de Seth Rogen e do produtor Evan Goldberg. Seguindo a linha da maioria dos projetos da dupla, cheio de citações ao universo pop e piadas nadas sutis, o longa funciona ao expor com ironia e descompromisso as inseguranças por trás da busca pela maturidade e da formação de uma nova estrutura familiar. E nesse ponto, diga-se de passagem, ele funciona como uma espécie de aspirante à sequência do igualmente divertido Ligeiramente Grávidos.


Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...