domingo, 18 de maio de 2014

Cinco Filmes... (Scarlett Johansson)


Neste fim de semana chega aos cinemas o Sci-Fi Sob a Pele, longa que promete apresentar a bela e competente Scarlett Johansson como você nunca viu. Muito criticado durante a sua apresentação no Festival de Cannes, o longa vem dividindo as opiniões dos críticos, sendo taxado de cult por uns, e de pretensioso por outros. Dirigido por Jonathan Glazer (Reencarnação), a obra narra a história de uma alienígena que vem a terra para caçar e seduzir as suas presas humanas. Mais um dos ecléticos trabalhos da carreira de Johannson que, aliás, não se resume a ótima Viúva Negra dos longas da Marvel. Fugindo então dos clichês, chegou a hora de apresentarmos cinco filmes indispensáveis para que você conheça um pouco mais da carreira de Scarlett Johansson. 

Nº 1 - Encontros e Desencontros (2003)


Dirigido pela competente Sofia Coppola (Maria Antonieta), Encontros e Desencontros foi talvez o primeiro grande trabalho de Scarlett Johansson nos cinemas. Contracenando com o grande Bill Murray, a atriz vive Charlotte, uma mulher recém-casada que acaba tendo de acompanhar o seu marido a uma viagem de trabalho no Japão. Entediada e se sentindo só, ela acaba conhecendo o decadente ator Bob Harris (Bill Murray). Com poucos conhecidos em comum, os dois acabam se aproximando em território estrangeiro, inciando assim uma inusitada e divertida relação. Contando com a grande direção de Sofia Coppola, Encontros e Desencontros é uma daquelas histórias realmente genuínas. Apostando no talento de Murray e Johansson, essa comédia-dramática é um daqueles trabalhos indispensáveis para os fãs do gênero. 

Nº 2 - Match Point: Ponto Final (2005)


Uma das musas recentes do diretor Woody Allen, Scarlett Johansson foi dirigida três vezes pelo experiente diretor. Apesar do longa mais conhecido desta parceria ser Vicky Cristina Barcelona, sem dúvidas, o mais interessante é o suspense Match Point: Ponto Final. Na trama, Scarlett vive a bela Nola, um decidida mulher que mantém um relacionamento conturbado com Tom (Mathew Goode). Apesar dos dois se gostarem, a conservadora família rica dele acaba contestando essa relação. Ela então conhece o ex-tenista Chris Wilton (Jonathan Rhys Meyers), melhor amigo e cunhado de Tom. Ainda que goste da sua dedicada esposa (Emily Mortimer), Chris acaba se encantando pela beleza de Nola, construíndo assim um triângulo amoroso de grandes proporções. Ainda que a trama soe repetitiva, Woody Allen mostra o seu talento na condução desse surpreendente thriller.

Nº 3 - O Grande Truque (2006)


Sob a batuta do cultuado Christopher Nolan, Scarlett Johansson protagoniza mais um triângulo amoroso no ótimo O Grande Truque. Dividindo a tela com Christian Bale e Hugh Jackman, Johansson vive uma assistente de palco que acaba potencializando uma rivalidade entre dois mágicos. Apesar da trama ser construída através da rivalidade entre os mágicos, Johansson tem um excelente desempenho, contribuindo de forma intensa para o desenrolar desta grandiosa e surpreendente trama. 

Nº 4 - Ghost World - Mundo Cão (2001)



Se Encontros e Desencontros foi o filme que catapultou a carreira de Scarlett Johansson, Ghost World - Mundo Cão foi - talvez - o primeiro trabalho em que a atriz teve um papel expressivo. Retratando com cinismo e originalidade a transição da adolescência para a fase adulta, o longa dirigido por Terry Zwigoff narra a história de duas amigas: Enid (Thora Birch) e Rebecca (Scarlett Johansson). Recém-formadas no ensino médio, as duas jovens demonstram uma grande dúvida com relação em seu futuro. Enquanto Rebecca se mostrava mais decidida a morar sozinha e conseguir um trabalho, Enid se sentia um "peixe fora d'água" e pulava de trabalho em trabalho. Tudo muda, no entanto, quando Enid conhece o solitário Seymour (Steve Buscemi). Um tímido homem que dedica o seu tempo livre a coleção de discos. Atraída por esse excêntrico tipo, Enid acaba oferecendo ajuda para que ele consiga arranjar uma namorada. Em cima desta premissa, Terry Zwigoff cria um belo e sarcástico retrato de uma geração confusa, explorando muito bem o talento das - então - jovens atrizes. 

Nº 5 - Ela (2013)


E pra fechar esta lista nada melhor do que o mais original trabalho da carreira de Scarlett Johansson: Ela. Interpretado um sistema de computador, a atriz é um dos maiores destaques deste original trabalho dirigido por Spike Jonze (Adaptação). Se passando em um futuro não muito distante, Ela narra a história de um homem solitário (Joaquin Phoenix) que decide comprar em um inovador programa de computador. Encantado pela utilidade do programa, que acaba o auxiliando em diversos momentos de sua vida, o homem começa a se sentir atraído pela voz desta inteligência artificial (Johansson). Desta aproximação nasce um interessante debate sobre os relacionamentos virtuais, cercado por uma fotografia impressionante, por uma trilha sonora encantadora e por grande atuações. Com destaque para a sexy voz de Johansson, muito expressiva apesar de não aparecer em uma só cena do longa. Detalhe: Scarlett é a responsável pela canção acima. Em meio a tantos romances descartáveis, esse é um trabalho que merece uma atenção especial.

Bônus: Compramos um Zoológico (2011) 



Não podemos deixar de fora também esta interessante comédia dramática. Dirigido por Cameron Crowe, Scarlett Johansson tem uma participação menor, mas não menos importante neste longa. Deixando de lado os seus personagens mais vaidosos, em Compramos um Zoológico Johansson vive uma veterinária que acaba ajudando uma família a realizar um inusitado trabalho: manter um zoológico no quintal de sua casa. Com boas atuações de Matt Damon e Elle Fanning, Compramos um Zoológico é uma ótima opção dentro do gênero e mais uma prova da versatilidade de Johansson. 

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...