domingo, 30 de novembro de 2014

Top 10 (Chuvas e Temporais)

O Brasil tem convivido nos últimos meses com a notória escassez de chuva. Na TV, no rádio e nos jornais somos bombardeados por assuntos envolvendo "volume morto", "Cantareira" e "crise hídrica", palavras que traduzem a apreensão com relação a falta de água em grandes capitais brasileiras. No cinema, aliás, as tempestades sempre tiveram grande importância. Geralmente associadas a destruição e aos filmes catástrofes, grandes diretores também usaram os temporais para criar algumas das mais icônicas cenas já concebidas. Aproveitando a recorrência deste tema nos principais noticiários, neste Top 10 Cinemaniac conheça dez dos melhores longas que utilizaram a chuva como parte integrante de sua narrativa.

10º Tempestade (1998)
Estrelado por Morgan Freeman, Christian Slater e Minnie Driver, Tempestade utiliza a chuva como parte integrante de sua trama. Dirigido por Mikael Salomon (A Mansão Marsten), o longa narra a história de um grupo de assaltantes que resolve roubar um carro forte em meio a um temporal de grandes proporções. Os planos dos bandidos, no entanto, saem do controle quando um dos agentes (Slater) consegue fugir com o dinheiro e enterra-lo em um cemitério para evitar o crime. Percebendo que a cidade estava ficando embaixo d'água, o homem terá que despistar não só o grupo de bandidos, como também evitar as investidas de um ganancioso xerife (Randy Quaid). Um "molhado" filme de ação, que me parece bastante subestimado em relação a outros trabalhos do gênero. 

9º O Resgate do Soldado Ryan (1998)
Um dos mais impressionantes relatos sobre o Dia D na Segunda Guerra Mundial, O Resgate do Soldado Ryan usou muito bem a chuva para dar ainda mais verossimilhança as cenas de batalha. Dirigido com inspiração por Steven Spielberg, o longa narra a história do pelotão liderado pelo capitão John H. Miller (Tom Hanks), um militar que em meio a invasão à Normandia recebe uma missão surpreendente: resgatar um soldado que já havia perdido três dos seus irmãos na Guerra. Acompanhando as desventuras deste pelotão em solo francês, Spielberg utiliza a chuva em muitos momentos do longa, mostrando habilidade ao explorar este elemento para construir sufocantes cenas de batalha.

8º O Corvo (1994)

Cultuado por muitos fãs de cinema, O Corvo explorou com propriedade todo o cenário gótico bem popular na década de 1990. Dirigido pelo expressivo Alex Proyas (Cidade das Sombras), este suspense com pitadas de ação acabou ficando marcado pela trágica morte de Brandon Lee, filho de Bruce Lee, que faleceu durante as filmagens. Apostando num cenário bem sombrio, onde a escuridão e a chuva parecem determinar o estado de espírito dos personagens, o longa narra a história de Eric Draven (Lee), um músico que é brutalmente assassinado ao lado de sua esposa. Por um acaso do destino, no entanto, ele renasce dos mortos disposto a se vingar da gangue de sádicos que destruiu a sua felicidade. Contando com a espetacular atuação de Brandon Lee, chuva e sangue se misturam neste respeitado cult, marcando não só toda a trama, como também dando ainda mais tensão ao vertiginoso clímax. Como uma das próprias personagens diz: "Não pode chover o tempo todo. O céu não pode cair para sempre. E embora a noite pareça longa, suas lágrimas não podem cair para sempre."

7º As Aventuras de Pi (2012)
Visualmente espetacular, As Aventuras de Pi mostrou o que de melhor a tecnologia pode oferecer ao cinema. Dirigido com maestria por Ang Lee, vencedor do Oscar em 2013, o longa se aproveita de muitos elementos da natureza para narrar as desventuras de um indiano em pleno oceano. Na trama, adaptada do popular best-seller de Yann Martel, após uma grande tempestade um jovem perde a sua família no naufrágio de um navio que o levava para o Canadá. Único sobrevivente, o garoto terá que sobreviver não só as dificuldades impostas pelo mar, como também dividir espaço com um tigre, uma hiena, um macaco e uma zebra, que também estavam no navio. Além da gigantesca cena do naufrágio, Lee utiliza a chuva em diversos outros momentos, incluindo na concepção de uma espetacular tormenta com direito a raios e enormes ondas.

6º Jurassic Park (1993)
Assim como em O Resgate do Soldado Ryan, Steven Spielberg já havia mostrado a sua habilidade ao "trabalhar" com a chuva no Cinema em Jurassic Park - Parque dos Dinossauros. Num dos pioneiros projetos da década de 1990, que viria abrir uma nova gama de possibilidades dentro da tecnologia digital, o realizador impressionou o mundo ao trazer os dinossauros de volta aos cinemas. Na trama, um visionário cientista (Richard Attenborough) resolve criar dinossauros em laboratório para abir um gigantesco parque temático. Após a grande descoberta de um fóssil, dois arqueólogos (Sam Neill e Laura Dern) são convidados para visitar o parque antes de sua inauguração. A dupla, no entanto, não esperava que uma tempestade fosse os aproximar tanto dos pré-históricos animais. Se prepare então para dinossauros, e muita, mais muita chuva. Uma opção que só dá mais impacto às verossímeis criações de Spielberg e sua turma. Como não lembrar da cena em que o Tiranossauro Rex resolve atacar as duas crianças dentro de um carro. 

5º Um Sonho de Liberdade (1994)
Maior cotação do site IMDB, Um Sonho de Liberdade nos proporcionou uma das mais icônicas cenas rodadas sob a chuva. Dirigido por Frank Daranbont (A Espera de um Milagre), o longa narra a história de um banqueiro (Tim Robins) que acaba sendo acusado injustamente pelo assassinato da sua esposa e do amante. Condenado à prisão perpétua, ele passa então a tentar se enturmar na prisão, iniciando assim uma amizade com um influente prisioneiro (Morgan Freeman). Em meio as desventuras deste homem dentro de um cenário completamente hostil, Frank Daranbont utiliza a chuva para dar ainda mais emoção a um momento extremamente particular do longa. Uma daquelas cenas que se tornam difíceis de serem esquecidas. Não é por menos que este momento faz parte de uma das capas de Um Sonho da Liberdade. 

4º Blade Runner (1982)
"Eu vi coisas que os humanos não acreditariam. (...) Todos estes momentos ficarão perdidos no tempo, como lágrimas na chuva. Hora de morrer". Essa frase dita pelo androide Roy Batty (Rutger Hauer) diz muito sobre o icônico Sci-Fi Blade Runner, um clássico que utiliza a chuva como elemento fundamental numa das cenas mais marcantes do longa. Dirigido por Ridley Scott (Gladiador), o longa narra a história de um caçador de androides que resolver perseguir um grupo de replicantes que tentam se misturar entre os humanos. Contando também com Harrison Ford no elenco, o longa é um daqueles trabalhos que envelheceram muito bem, com direito a um clímax filosófico embalado por uma bela tempestade. Daquelas que traria alegria ao povo de São Paulo. 

3º Cantando na Chuva (1952)
O que falar de um longa que traz a chuva no seu nome. Estrelado pelo "Ás" da dança Gene Kelly, Cantando na Chuva acabou se tornando marcante graças a inesquecível dança na chuva que dá título ao longa. Na trama deste musical, dirigido por Stanley Donen e Gene Kelly, dois famosos astros do cinema mudo se deparam com a chegada do advento da fala. Dispostos a fazer um longa já com esta nova tecnologia, os astros se deparam com um grande problema quando uma das principais estrelas femininas de Hollywood parece não ter uma voz à altura de sua beleza. Carismático do inicio ao fim, Cantando na Chuva é um dos grandes exemplos da era de ouro dos musicais, e até hoje é lembrado pela clássica cena de dança de Gene Kelly. 

2º Mar em Fúria (2000)
Inspirado numa trágica história real, Mar em Fúria mostra bem todo o poder de destruição de uma grande tempestade. Intitulado nos EUA The Perfect Storm, ou a Tempestade Perfeita, o longa dirigido por Wolfgang Petersen (O Barco) mostra a luta de um grupo de pescadores em alto mar diante de um temporal de grandes proporções. Estrelado por nomes como George Clooney, Mark Wahlberg, John C. Reilly, William Fichtner e John Hawkes, o longa atribui à chuva e às gigantescas ondas um expressivo antagonismo, tornando as desventuras dos tripulantes do Andrea Gail uma experiência cinematográfica genuinamente angustiante.  

1º Noé (2014)
Num Top 10 sobre chuvas e tempestades, no entanto, o primeiro lugar não poderia deixar de ser de Noé, adaptação hollywoodiana do popular conto bíblico. Dirigido por Darren Aronofsky (Fonte da Vida), o longa consegue capturar toda a essência da grandiosidade dos versos do Antigo Testamento, mostrando o grande dilúvio sob um ponto de vista extremamente blockbuster. Na trama, percebendo a péssima conduta da raça humana, Deus resolve colocar um fim na vida na Terra. Para salvar as muitas espécies de animais, no entanto, Noé (Russel Crowe) é escolhido para construir uma arca e reunir também a sua família. Contando com uma visceral atuação de Crowe, Noé nos apresenta uma daquelas tempestades capaz de encher não só a Cantareira, como boa parte dos rios de nosso país. 

Menções Honrosas

- Matrix Revolutions (2003)


Como não lembrar da famosa cena debaixo de chuva entre Neo (Keanu Reeves) e o agente Smith (Hugo Weaving)...

- As Pontes de Madison (1995)

... ou das melancólica despedida do casal vivido por Clint Eastwood e Maryl Streep em As Pontes de Madison... 

- Homem Aranha (2002)

... ou do beijo apaixonado de Peter Parker (Tobey Maguire) em Mary Jane (Kirsten Dunst) no primeiro Homem-Aranha...

- V de Vingança (2006)

... e também do grito de liberdade de Eve (Natalie Portman) em V de Vingança. Cenas que ganharam contornos ainda mais expressivo graças ao efeito da chuva. 

2 comentários:

Hugo disse...

Muito legal a lista.

Eu incluiria um filme antigo, quase esquecido, chamado "As Chuvas de Ranchipur".

Abraço

thicarvalho disse...

Esse confesso que ainda não assisti Hugo. Mas, sem dúvidas, fica a dica. Abs.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...